O Aluno Monitor da Sala de Informática como estratégia para o uso pedagógico das TIC nas Escolas Municipais de Santa Maria

Eunice Pereira Azenha, Karla Marques da Rocha

Resumo


Este artigo se pauta na temática da habilitação de alunos monitores para atuar nas salas de informática, auxiliando na integração das tecnologias educacionais em rede à prática pedagógica dos professores das escolas municipais de Santa Maria. Tal ação, implementada pelo Núcleo de Tecnologia Educacional Municipal, buscou potencializar o uso pedagógico das tecnologias educacionais existentes nestes ambientes escolares, enfatizando o software livre, por meio do Linux Educacional, o Sistema Operacional adotado pelo PROINFO. A proposta constituiu-se com oficinas de formação continuada, ao longo do ano, alicerçada na abordagem qualitativa e na metodologia da pesquisa-ação. Foram selecionadas ferramentas do Linux Educacional compatíveis com a versão disponível nas escolas e elaborados materiais didáticos para o desenvolvimento das oficinas, organizados em um e-Book, visando à divulgação e compartilhamento da investigação-ação em outros contextos. A pesquisa analisou em que medida a integração das TIC, com o suporte do aluno monitor, pode auxiliar na prática dos professores que utilizam o ambiente informatizado na escola, como também as transformações que poderão ocorrer nas relações que se estabelecem entre aluno monitor e professor que aprendem e ensinam, em uma relação circular, e na escola que acolhe a proposta. A formação estimulou a aprendizagem colaborativa, perpassando pela apropriação, aperfeiçoamento de competências, habilidades e atitudes que resultaram em mudanças do aluno no papel de monitor, incentivando a promoção de sua autonomia e ação voluntária na sala de informática, como uma importante contribuição social que evidencia o protagonismo e atitude cidadã.


Palavras-chave


Aluno Monitor; Aprendizagem Colaborativa; Tecnologias Educacionais.

Texto completo:

PDF HTML

Referências


BELLONI, Maria Luiza; BÉVORT, Evelyne. Mídia-educação: conceitos, história e perspectivas. Educação & Sociedade, Campinas, v. 30, n. 109, p. 1081-1102, set./dez. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v30n109/v30n109a08.pdf. Acesso em: 29 ago. 2018.

BONILLA, Maria Helena Silveira; PRETTO, Nelson de Lucca. Políticas brasileiras de educação e informática, online, 2000. Disponível em: http://www2.ufba.br/~bonilla/politicas.htm. Acesso em 20 ago.2018.

CASTELLS, Manuel. Redes de indignação e esperança: movimentos sociais na era da internet. Tradução de Carlos A. Medeiros. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

CYSNEIROS, Paulo Gileno. A gestão da informática na escola pública. In: XI SBIE 2000 – Simpósio Brasileiro de Informática na Educação. Maceió - AL: Anais. 2000.

COLL, César; MONEREO, Carles. Psicologia da educação virtual. Aprender e ensinar com as Tecnologias da Informação e Comunicação. Porto Alegre: Artmed, 2010.

COSTA, Antônio Carlos Gomes da. Protagonismo juvenil: adolescência, educação e participação. Salvador: Fundação Odebrecht, 2000.

DURAN, David; VIDAL, Vinyet. Tutoria: aprendizagem entre iguais. Porto Alegre: Artmed, 2007.

FRANÇA, George. Curso de preparação de monitores para a educação a distância. São Paulo: Rede Brasileira de EAD, 2000.

FERNANDES, Jorge Henrique Cabral. Qual a prática do desenvolvimento de software? Revista Ciência e Cultura. v. 55, n. 2, p.29-33, abril/maio/junho, 2003.

FREINET, Célestin. O jornal escolar. Lisboa. Ed. Estampa, 1974.

GANDOLFO, Maria Ângela Pauperio. Formação de professores de ensino médio e (in)visibilidade de experiências de protagonismo juvenil. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2006.

GOMES, Péricles Varella et al. Aprendizagem colaborativa em ambientes virtuais de aprendizagem: a experiência inédita da PUC-PR. Revista Diálogo Educacional. v. 3, n. 6, p. 11-27, maio/ago., 2002.

GULO, Carlos Alex Sander Juvêncio et al. Utilizando GCompris na escola. II ENCONTRO NACIONAL DE INFORMÀTICA. Cascavel-PR, 2011.

KENSKI, Vani Moreira. Tecnologias e ensino presencial e à distância. Campinas: Papirus, 9. ed. 2012.

KENSKI, Vani Moreira. Tecnologias e tempo docente. Campinas:

Papirus, 2014.

MONEREO, Carles. In: DURAN, David; VIDAL, Vinyet. Tutoria: aprendizagem entre iguais. Porto Alegre: Artmed, 2007.

MORÁN, José Manuel. O vídeo na sala de aula. Revista Comunicação & Educação. USP, São Paulo, 1995. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/comueduc/article/view/36131. Acesso em: 20 ago. 2018.

PISCHETOLA, Magda. Inclusão digital e educação: a nova cultura da sala de aula. Editora Vozes, Editora PUC-Rio, 2016.

SABBATINI, Renato Marcos Endrizzi. Ambiente de ensino e aprendizagem via Internet: a plataforma Moodle. O que é Moodle? online, 2007. Disponível: http://www.ead.edumed.org.br. Acesso em: 20 ago. 2018.

THIOLLENT, Michel. Metodologia da Pesquisa-Ação. 18. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

TORRES, Patrícia Lupion. Laboratório on-line de aprendizagem: uma proposta crítica de aprendizagem colaborativa para a educação. Tubarão: Ed. Unisul, 2004.

TORRES, Patrícia Lupion; IRALA, Esrom Adriano. Aprendizagem Colaborativa: teoria e prática. (Org.) Complexidade: redes e conexões na produção do conhecimento. Curitiba: Coleção Agrinho 61, Senar, 2014.

TRIPP, David. Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Educação e Pesquisa, v. 31, n. 3, p. 443-446. São Paulo, set./dez. 2005.

VALENTE, José Armando. (Org.). O computador na sociedade do

conhecimento. Publicação OEA_NIED/UNICAMP, 1999. Disponível em: http://www.nied.unicamp.br/oea Acesso em: 20 ago. 2018.

VERGUEIRO, Waldomiro. (Org.). Como usar as histórias em quadrinhos na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2. imp., 2014.




DOI: https://doi.org/10.5902/1984644434486

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc - Prédio 16
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao


ISSN Eletrônico: 1984-6444

DOI: http://dx.doi.org/10.5902/19846444

Qualis/Capes: Educação A1

Periodicidade: Publicação contínua

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

A Revista Educação (UFSM) agradece auxílio recebido por meio do Edital Pró-Revistas, da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, da Universidade Federal de Santa Maria. 

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International (CC BY 4.0).

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

____________________________________________________

    

SalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar