Práticas de atenção ao parto na experiência de puérperas: análise à luz da humanização

Pâmela da Rosa Gonzalez, Lisie Alende Prates, Joice Moreira Schmalfuss, Jussara Mendes Lipinski, Ana Paula de Lima Escobal, Mari Luci Chalme da Silva

Resumo


Objetivo: analisar as experiências de puérperas acerca das práticas profissionais desenvolvidas na atenção ao parto à luz do aporte teórico da humanização. Método: pesquisa qualitativa, com a participação de dez puérperas que vivenciaram parto vaginal, por meio de entrevista semiestruturada, desenvolvida entre setembro e novembro de 2019. Adotou-se a análise temática. Resultados: predominaram práticas que se distanciaram da humanização, como enema, restrição hídrica e alimentar, exames vaginais frequentes, episiotomia, manobras de Valsalva e de Kristeller. As práticas que se aproximaram da humanização foram a presença do acompanhante, utilização de métodos de alívio da dor no parto e contato cutâneo precoce entre mãe e bebê. Conclusão: as experiências das puérperas foram marcadas, principalmente, por condutas profissionais prejudiciais ou ineficazes, realizadas de forma inadequada e com poucas evidências científicas sobre a sua eficácia. Espera-se subsidiar a reflexão quanto à necessidade de revisão e atualização quanto às boas práticas de atenção ao parto.


Palavras-chave


Enfermagem; Saúde da mulher; Parto; Parto humanizado; Humanização da assistência

Referências


Victora CG, Aquino EM, Leal MC, Monteiro CA, Barros FC, Szwarcwald CL. Maternal and child health in Brazil: progress and challenges. Lancet. 2011;377(9780):1863-76. doi: https://doi.org/10.1016/S0140-6736(11)60138-4

Gottems LBD, Carvalho EMP, Guilhem D, Pires MRGM. Boas práticas no parto normal: análise da confiabilidade de um instrumento pelo Alfa de Cronbach. Rev Latinoam Enferm. 2018;26:e3000. doi: https://doi.org/10.1590/1518-8345.2234.3000

World Health Organization (WHO). Recommendations intrapartum care for a positive childbirth experience [Internet]. Geneva: World Health Organization; 2018 [cited 2019 Nov 15]. Available from: https://www.who.int/reproductivehealth/publications/intrapartum-care-guidelines/en/

Pereira SB, Diaz CMG, Backes MTS, Ferreira CLL, Backes DS. Boas práticas de atenção ao parto e ao nascimento na perspectiva de profissionais de saúde. Rev Bras Enferm. 2018;71(3):1393-9. doi: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2016-0661

Gomes SC, Teodoro LPP, Pinto AGA, Oliveira DR, Quirino GS, Pinheiro AKB. Renascimento do parto: reflexões sobre a medicalização da atenção obstétrica no Brasil. Rev Bras Enferm. 2018;71(5):2744-8. doi: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2017-0564

Ministério da Saúde (BR). Política Nacional de Humanização. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2013.

Ministério Público de Pernambuco (MP-PE). Humanização do parto. Nasce o respeito: informações práticas sobre seus direitos. Recife: Procuradoria Geral de Justiça; 2015.

Amorim T, Araújo ACM, Guimarães EMP, Diniz SCF, Gandra HM, Cândido MCRM. Percepção de enfermeiras obstetras sobre o modelo e prática assistencial em maternidade filantrópica. Rev Enferm UFSM. 2019;9(e30):1-19. doi: https://doi.org/10.5902/2179769234868

Ministério da Saúde (BR). Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa. Protocolos da Atenção Básica: saúde das mulheres. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2016.

Minayo MCS. O desafio do conhecimento científico: pesquisa qualitativa em saúde. 14ª ed. São Paulo: Hucitec; 2014.

BRASIL. Ministério da Saúde. Lei nº 11.108, de 7 de abril de 2005. Altera a Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, para garantir às parturientes o direito à presença de acompanhante durante o trabalho de parto, parto e pós-parto imediato, no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, ano 142, n. 67, p. 1, 08 abr. 2005.

Gomes IEM, Padoin SMM, Langerdorf TF, Paula CC, Gomes CA, Ribeiro AC. Benefícios da presença do acompanhante no processo de parturição e nascimento: revisão integrativa. Rev Enferm UFSM. 2019;9(e61):1-18. doi: https://doi.org/10.5902/2179769234170

Souza SRR, Gualda DMR. A experiência da mulher e de seu acompanhante no parto em uma maternidade pública. Texto Contexto Enferm. 2016;25(1):e4080014. doi: https://doi.org/10.1590/0104-0707201600004080014

Santos ALS, Oliveira ARS, Amorim T, Silva UL. O acompanhante no trabalho de parto sob a perspectiva da puérpera. Rev Enferm UFSM. 2015;5(3):531-40. doi: https://doi.org/10.5902/2179769217337

Ministério da Saúde (BR). Diretrizes nacionais de assistência ao parto normal: versão resumida [Internet]. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2017 [acesso em 2019 nov 15]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/diretrizes_nacionais_assistencia_parto_normal.pdf

Ministério da Saúde (BR). Cadernos HumanizaSUS: volume 4: humanização do parto e do nascimento. Brasília (DF): Ministério da Saúde [Internet]. 2014 [acesso em 2019 nov 15]. Disponível em: https://www.redehumanizasus.net/sites/default/files/caderno_humanizasus_v4_humanizacao_parto.pdf

Calvacanti ACV, Henrique AJ, Brasil CM, Gabrelloni MC, Barbieri M. Terapias complementares no trabalho de parto: ensaio clínico randomizado. Rev Gaúcha Enferm. 2019;40:e20190026. doi: https://doi.org/10.1590/1983-1447.2019.20190026

Carvalho EMP, Amorim FF, Santana LA, Göttems LBD. Avaliação das boas práticas de atenção ao parto por profissionais dos hospitais públicos do Distrito Federal, Brasil. Ciênc Saúde Colet. 2019;24(6):2135-45. doi: https://doi.org/10.1590/1413-81232018246.08412019

Boaviagem A, Coutinho TA, Oliveira LGA, Moretti E. Comportamento biomecânico da pelve nas diferentes posturas adotadas durante o segundo período do trabalho de parto. Rev Eletrônica Estácio [Internet]. 2019 [acesso em 2020 maio 19];5(1). Disponível em: https://reer.emnuvens.com.br/reer/article/view/222/113

Torres M, Vinagre C, Godinho AB, Casal E, Pereira A. Evidência sobre a posição da grávida no segundo estádio do trabalho de parto. Acta Obstét Ginecol Port [Internet]. 2018 [acesso em 2020 maio 19];12(4):277-83. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/pdf/aogp/v12n4/v12n4a05.pdf

Silva JLP, Linhares FMP, Barros AA, Souza AG, Alves DS, Andrade PON. Fatores associados ao aleitamento materno na primeira hora de vida em um hospital amigo da criança. Texto Contexto Enferm. 2018;27(4):e4190017. doi: https://doi.org/10.1590/0104-07072018004190017

Lopes GC, Gonçalves AC, Gouveia HG, Armellini CJ. Attention to childbirth and delivery in a university hospital: comparison of practices developed after Network Stork. Rev Latinoam Enferm. 2019:27;e3139. doi: https://doi.org/10.1590/1518-8345.2643-3139

Hidalgo-Lopezosa P, Hidalgo-Maestre M, Rodríguez-Borrego MA. Labor stimulation with oxytocin: effects on obstetrical and neonatal outcomes. Rev Latinoam Enferm. 2016;24:e2744. doi: https://doi.org/10.1590/1518-8345.0765.2744

Tornquist CS. Paradoxos da humanização em uma maternidade no Brasil. Cad Saúde Pública. 2003;19(Supl 2):419-27. doi: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2003000800023

Possati AB, Prates LA, Cremonese L, Scarton J, Alves CN, Ressel LB. Humanização do parto: significados e percepções de enfermeiras. Esc Anna Nery. 2017;21(4):e20160366. doi: https://doi.org/10.1590/2177-9465-ean-2016-0366

Sadler M, Santos MJ, Ruiz-Berdún D, Rojas GL, Skoko E, Gillen P, et al. Moving beyond disrespect and abuse: addressing the structural dimensions of obstetric violence. Reprod Health Matters. 2016;24(47):47-55. doi: https://doi.org/10.1016/j.rhm.2016.04.002

Jardim DMB, Modena CM. A violência obstétrica no cotidiano assistencial e suas características. Rev Latinoam Enferm. 2018;26:e3069. doi: https://doi.org/10.1590/1518-8345.2450.3069

Pompeu KC, Scarton J, Cremonese L, Flores RG, Landerhahl MC, Ressel LB. Prática da episiotomia no parto: desafios para a enfermagem. Rev Enferm Cent Oeste Min. 2017;7:e1142. doi: https://doi.org/10.19175/recom.v7i0.1142

Ballesteros-Meseguer C, Carrillo-García C, Meseguer-de-Pedro M, Canteras-Jordana M, Martínez-Roche ME. La episiotomía y su relación con distintas variables clínicas que influyen en su realización. Rev Latinoam Enferm. 2016;24:e2793. doi: https://doi.org/10.1590/1518-8345.0334.2686

Sales JL, Quitete JB, Knupp VMAO, Martins MAR. Assistência ao parto em um hospital da baixada litorânea do Rio de Janeiro: desafios para um parto respeitoso. Rev Pesq Cuid Fundam. 2020;12:108-14. doi: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.rpcfo.v12.7092




DOI: https://doi.org/10.5902/2179769253146

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Este site está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.