https://periodicos.ufsm.br/reufsm/issue/feed Revista de Enfermagem da UFSM 2022-05-24T12:00:15-03:00 Cristiane Cardoso de Paula reufsm@ufsm.br Open Journal Systems <p style="text-align: justify;">A <strong>Revista de Enfermagem da Universidade Federal de Santa Maria</strong> – <strong>REUFSM</strong> (ISSN 2179-7692) é uma revista acadêmico-científica em formato on-line da área de Enfermagem. O periódico eletrônico, de livre acesso, criado em 2010, é publicado em fluxo contínuo pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Curso de Graduação em Enfermagem e Departamento de Enfermagem da Universidade Federal de Santa Maria. Sua missão é fomentar a produção e a disseminação do conhecimento da Enfermagem e áreas afins, a partir da publicação da produção técnico-científica. Com posição B2 no Qualis/CAPES (2013-2016), são aceitos manuscritos encaminhados em português, espanhol ou inglês, nos formatos de artigos originais, artigos de relato de experiência, artigos de reflexão e artigos de revisão.</p> https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/68253 Fragilidades e potencialidades do cuidado de enfermagem em aleitamento materno na atenção primária: revisão integrativa 2022-02-14T11:20:45-03:00 Gisele Basso Zanlorenzi giselezanlorenzi@gmail.com Marilene Loewen Wall wall@ufpr.br Juliane Dias Aldrighi juliane.aldrighi@gmail.com Deise Cristine Forlin Benedet deisiforlin@yahoo.com.br Suellen Vienscoski Skupien suvienscoski@hotmail.com Silvana Regina Rossi Kissula Souza skissula@gmail.com <p><strong>Objetivo:</strong> identificar as fragilidades e potencialidades do cuidado de enfermagem no apoio ao aleitamento materno na atenção primária à saúde (APS). <strong>Método:</strong> revisão integrativa realizada nas bases LILACS, BDENF, PubMed, EMBASE, CINAHL, <em>Scopus</em>, <em>Web of Science</em> e biblioteca Scielo em março de 2021. <strong>Resultados:</strong> compuseram a amostra 19 estudos. Fragilidades envolvem embasamento teórico/prático incipiente dos profissionais de enfermagem, cuidado limitado voltado ao aleitamento materno e à (des)organização do serviço e do processo de trabalho. Como potencialidade, identificou-se a educação em saúde, desenvolvida pelo enfermeiro, durante o pré-natal e pós-parto. <strong>Conclusão:</strong> o embasamento teórico/prático incipiente é responsável pela limitação do cuidado, e a desorganização do serviço e do processo de trabalho é considerada um entrave no apoio ao aleitamento materno na APS. Ações de educação em saúde demonstram ser uma potência e uma possibilidade de oferta de cuidado de qualidade diante das barreiras impostas pela falta de conhecimento.</p> 2022-08-10T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/67273 Diabetes mellitus e a disseminação de informações na internet: revisão integrativa 2022-02-10T15:27:01-03:00 Delmo de Carvalho Alencar delmo-carvalho@hotmail.com Aline Raquel de Sousa Ibiapina alineraquel8@ufpi.edu.br Mayla Rosa Guimarães m_aylaguimaraes@hotmail.com Dárlinton Barbosa Feres Carvalho darlinton@acm.org Paulo Roberto Vasconcellos-Silva bioeticaunirio@yahoo.com.br <p><strong>Objetivo: </strong>analisar estudos que abordem as contribuições da <em>internet</em> na disseminação de informações sobre diabetes <em>mellitus</em>. <strong>Método:</strong> revisão integrativa, nas bases de dados MEDLINE/<em>Pubmed<sup>®</sup>,</em> <em>Web of Science</em>, <em>Scopus </em>e LILACS. A amostra foi constituída por 16 estudos, sem restrição de tempo ou de idioma, com análise e síntese dos resultados de forma descritiva. <strong>Resultados</strong>: prevaleceram estudos observacionais, com nível de evidência VI e publicados entre 2009 e 2021. As redes e mídias sociais representaram os principais ambientes virtuais utilizados por pacientes e profissionais de saúde para disseminação de informações e de experiências sobre a condição clínica, promoção do autocuidado, manutenção do tratamento e fortalecimento de redes de suporte e apoio social. <strong>Conclusão: </strong>apesar da limitada participação de profissionais de saúde nas comunidades virtuais, evidenciaram-se as possibilidades do <em>ciberespaço</em> como cenário de promoção da saúde e de interação com os pacientes, reconhecendo suas potencialidades como interface para o cuidar em saúde.</p> 2022-06-14T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/67098 Fatores de risco e elementos primitivos no desenvolvimento de síndromes hipertensivas no pré-natal: revisão integrativa 2021-11-06T18:36:16-03:00 João Cruz Neto enfjcncruz@gmail.com Paula Suene Pereira dos Santos paulasuene.pereiradossantos@urca.br Joseph Dimas de Oliveira joseph.oliveira@urca.br Rachel de Sá Barreto Luna Callou Cruz rachel.barreto@urca.br Dayanne Rakelly de Oliveira dayanne.oliveira@urca.br <p><strong>Objetivo: </strong>identificar os<strong> </strong>fatores de risco e elementos primitivos associados às síndromes hipertensivas nas gestantes no pré-natal. <strong>Método: </strong>revisão integrativa nas bases: MEDLINE, SCOPUS, WoS, CINAHL, BDENF e LILACS no período de setembro a outubro de 2020. Para a extração dos dados utilizou-se a ferramenta Poronto. <strong>Resultados: </strong>incluíram-se 47 estudos, nos quais foram identificados 30 conceitos primitivos inter-relacionados que alertam para as necessidades das gestantes. As investigações permitiram identificar idade de 18 a 50 anos, raça negra, vulnerabilidade socioeconômica, baixa escolaridade e o baixo peso ao nascer como fatores de risco sensíveis de identificação na atenção primária. <strong>Conclusão: </strong>a literatura apresenta fatores pertinentes quanto ao desenvolvimento da síndrome hipertensiva permitindo clarificar os elementos primitivos e fatores de risco. Além do mais, subsidia o cuidado e aponta para o desenvolvimento de pesquisas que desenvolvam instrumentos voltados ao público estudado.</p> 2022-05-12T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/67246 Tecnossocialidade na pandemia de covid-19 e promoção da saúde de usuários e famílias: scoping review 2021-09-27T17:30:02-03:00 Tamires Carolina Silva ta.csilva@hotmail.com Leila Cristine do Nascimento leilacnasc@gmail.com Bruna Moreira da Silva brunnaamoreira@gmail.com Daniela Priscila Oliveira do Vale Tafner dani.tafner@uol.com.br Tassiana Potrich tassiana.potrich@uffs.edu.br Selma Maria da Fonseca Viegas selmaviegas@ufsj.edu.br <p><strong>Objetivo:</strong> <a name="_Hlk83586747"></a>mapear as evidências científicas sobre a tecnossocialidade em tempos da pandemia de COVID-19 e a promoção da saúde para usuários/famílias da Atenção Primária à Saúde. <strong>Método:</strong> <em>scoping review</em> que utilizou a estratégia <em>Participants, Concept e Context </em>(PCC)<em>.</em> A busca foi efetuada em seis bases de dados. Os achados foram extraídos, analisados e sintetizados de forma narrativa. <strong>Resultados:</strong> recuperou-se um total de 30.377 estudos; desses, 28 foram selecionados para a revisão. Os usuários encontram-se mais conectados em redes sociais, a fim de buscar informações sobre a COVID-19, sendo inquestionável a influência das mídias sociais no comportamento dos indivíduos. <strong>Conclusão:</strong> as redes sociais constituem terreno fértil para o compartilhamento de notícias e podem ser usadas por profissionais da saúde para a promoção da saúde em meio à pandemia de COVID-19. Além disso, o telessaúde desponta como importante ferramenta para a continuação do cuidado em tempos de isolamento social.</p> 2022-08-15T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/68966 Acolhimento e desafios no retorno ao trabalho, após a licença-maternidade em uma instituição de ensino 2022-05-24T12:00:15-03:00 Liana Nolibos Rodrigues lianaenf2015@gmail.com Marialda Moreira Christoffel marialdanit@gmail.com Luciane Najar Smeha lucianenajar@yahoo.com.br Franceliane Jobim Benedetti franceliane@ufn.edu.br Josiane Lieberknecht Wathier Abaid josianelwathier@gmail.com <p><strong>Objetivo: </strong>analisar os sentimentos e dificuldades de mães no retorno da licença-maternidade e a percepção do acolhimento institucional. <strong>Método: </strong>estudo quali-quantitativo com 40 mães trabalhadoras de uma instituição de ensino pública de ensino médio, técnico e superior que retornaram ao trabalho após o período de licença. Foi aplicado um questionário <em>on-line</em>, com análise quantitativa descritiva e qualitativa de conteúdo. <strong>Resultados: </strong>das participantes, 42,5% relataram sentimentos difíceis (tristeza, depressão e desamparo), 50% dificuldade nas rotinas, 17,5% problemas para amamentar pela distância e 35% pontos positivos quanto à amamentação exclusiva no trabalho remoto. Cinco categorias foram encontradas: sentimentos no retorno ao trabalho; dificuldades do retorno e amamentação; pandemia e trabalho remoto; fragilidades percebidas e sugestões de melhorias; reflexões quanto à sua saúde mental. <strong>Conclusão: </strong>os sentimentos negativos e as dificuldades prevaleceram na percepção das mães, demandando atenção institucional para acolhimento no retorno da licença-maternidade.</p> 2022-09-15T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/68715 Ações educativas às pessoas com hipertensão e diabetes: trabalho do Agente Comunitário de Saúde rural 2022-02-14T16:02:03-03:00 Geórgia Figueira Rampelotto ge.rampelotto@gmail.com Maria Denise Schimith ma.denise2011@gmail.com Laís Mara Caetano da Silva Corcini lais.silva@ufsm.br Raquel Pötter Garcia raquelgarcia@unipampa.edu.br Nara Marilene Oliveira Girardon Perlini nara.girardon@gmail.com <p><strong>Objetivo: </strong>descrever as ações educativas desenvolvidas pelos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) no cuidado às pessoas com Hipertensão Arterial e Diabetes <em>mellitus</em> que vivem no campo. <strong>Método: </strong>estudo qualitativo desenvolvido com 16 ACS que atuavam em nove unidades de saúde rurais de um município do Sul do Brasil, nos meses de junho a agosto de 2019. Utilizou-se a entrevista semiestruturada como instrumento de coleta de dados. A análise dos dados foi fundamentada pela análise de conteúdo. <strong>Resultados: </strong>as narrativas revelaram que os ACS são promotores de ações educativas, como: visita domiciliária, grupos, rodas de conversa, palestras e sala de espera; todavia, essas atividades são realizadas junto a outros profissionais e estão direcionadas a grupos específicos. <strong>Conclusão: </strong>os ACS precisam refletir sobre a forma como suas práticas educativas estão sendo desenvolvidas, a fim de estabelecer espaços de discussões que tenham impacto nas condicionalidades crônicas.</p> 2022-09-15T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/68599 Análise das variáveis perioperatórias e sua relação com as complicações em Sala de Recuperação Pós-Anestésica 2022-02-28T16:53:41-03:00 Thaise Loyanne Felix Dias thaise.loyanne@hotmail.com Célio Melo dos Anjos celio.meloanjos@gmail.com Joanlise Marco Leon de Andrade joanlise@unb.br Mani Indiana Funez mani@unb.br <p><strong>Objetivo:</strong> analisar as frequências das complicações em Sala de Recuperação Pós-Anestésica (SRPA) por especialidades cirúrgicas e sua associação com variáveis pré, intra e pós-operatórias imediatas. <strong>Método:</strong> estudo transversal, com 98 pacientes. Utilizaram-se dados perioperatórios, coletados por meio de entrevista, exame físico e prontuário eletrônico; e análises descritivas, bivariadas e regressão logística. <strong>Resultados:</strong> hipotermia foi mais frequente nas cirurgias geral e ginecológica em mulheres, sendo associada às anestesias geral ou raquidiana e ao posicionamento litotômico (p&lt;0,05). Náuseas em cirurgias gerais e ginecológicas (p=0,05), e vômitos nas gerais (p=0,01). Dor nas cirurgias gerais, associada à anestesia geral e à prescrição de analgésicos no intraoperatório (p&lt;0,05). Cirurgia geral aumenta 3,5 vezes as chances de dor em SRPA (p=0,01). <strong>Conclusão: </strong>encontrou-se maior frequência de hipotermia, dor e náuseas/vômitos, associadas às especialidades ginecológica e geral, ao sexo feminino, posicionamento cirúrgico litotômico, à prescrição de analgésicos no intraoperatório e às anestesias raquidiana e geral.</p> 2022-08-31T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/68637 Climatério e menopausa: conhecimento e condutas de enfermeiras que atuam na Atenção Primária à Saúde 2022-03-21T21:46:22-03:00 Poliana Ferreira Campos poliana_campos16@hotmail.com Maria Eduarda Almeida Marçal eduarda.marcal5@gmail.com Luanna dos Santos Rocha luanna.rocha.enf@gmail.com Valdirene Pereira da Silva Carvalho valdirene@pesqueira.ifpe.edu.br Jovânia Marques de Oliveira e Silva jovaniasilva@gmail.com <p><strong>Objetivo:</strong> identificar o conhecimento e as condutas de enfermeiras na Atenção Primária à Saúde sobre climatério e menopausa. <strong>Método:</strong> estudo descritivo exploratório, de abordagem qualitativa, realizado junto a 15 enfermeiras do município de Pesqueira, Pernambuco, Brasil. Os dados foram coletados por meio de entrevista semiestruturada e analisados pelo método de Bardin. <strong>Resultados:</strong> foi identificado conhecimento limitado em relação a definição de climatério, menopausa e de sinais e sintomas característicos, como também referente à terapia de reposição hormonal vaginal. A captação destas mulheres para as consultas de enfermagem se dava por demanda espontânea e ao realizar exame do colpocitopatológico. <strong>Conclusão: </strong>o conhecimento acerca do climatério é limitado nas práticas das enfermeiras na abordagem às mulheres que estão passando por esta fase. Na busca de minimizar as lacunas relacionadas ao desconhecimento profissional, é relevante a continuidade de estudos sobre a assistência a esse público.</p> 2022-08-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/68846 Perspectiva dos trabalhadores da Estratégia de Saúde da Família na promoção da saúde ao idoso rural 2022-02-22T15:15:19-03:00 Andressa Hoffmann Pinto dessa_h_p@hotmail.com Celmira Lange celmira_lange@terra.com.br Fernanda dos Santos drenffernanda@gmail.com Ivonete Teresinha Schülter Buss Heidmann ivoneteheideman@gmail.com Marcos Aurélio Matos Lemões enf.lemoes@gmail.com Juliana Graciela Vestena Zillmer juzillmer@gmail.com <p><strong>Objetivo:</strong> desvelar a perspectiva de promoção da saúde dos trabalhadores de Estratégia de Saúde da Família em relação aos idosos rurais. <strong>Método:</strong> qualitativo, tipo ação participante, com 25 profissionais da saúde, elencados por conveniência em um município da região sul do Brasil. O período de coleta ocorreu de agosto a dezembro de 2019. Análise dos dados por meio dos Círculos de Cultura de Paulo Freire. Foram realizados cinco círculos de cultura, com duração média de uma hora, todos gravados e fotografados. <strong>Resultados:</strong> a partir dos dados obtidos após a realização da dinâmica com os participantes, emergiram cinco temas: Adoção de hábitos saudáveis; A família como promotora de saúde; Prevenção de doenças; Atividade Coletiva; e O trabalhador como promotor de saúde. <strong>Conclusão:</strong> a promoção da saúde na perspectiva dos trabalhadores da estratégia tem suas bases no pilar de mudança comportamental de estilo e qualidade de vida individual.</p> 2022-08-25T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/68006 Representações sociais de adultos soropositivos sobre vírus da Imunodeficiência Humana e Aids 2021-12-30T14:19:31-03:00 Rebeca Coelho de Moura Angelim rebecaangelim@hotmail.com Sérgio Corrêa Marques sergiocmarques@uol.com.br Denize Cristina de Oliveira dcouerj@gmail.com Regina Celia de Oliveira regina.oliveira@upe.br Daniela de Aquino Freire daniela_3439@hotmail.com Fátima Maria da Silva Abrão abraofatima@gmail.com <p><strong>Objetivo: </strong>identificar as representações sociais de adultos soropositivos acerca do Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) e da Aids.<strong> Método: </strong>pesquisa de campo, do tipo exploratório-descritiva, com abordagem qualitativa, fundamentada na Teoria das Representações Sociais, realizada de 2017 a 2018, na cidade do Recife, Pernambuco, Brasil, aplicados 129 questionários de evocações livres com adultos vivendo com HIV e 30 entrevistas semiestruturadas. Utilizou-se da análise prototípica e lexical. <strong>Resultados:</strong> observaram-se conteúdos representacionais atrelados ao início da epidemia, como preconceito e morte, refletindo sobre a base histórica destes, como conteúdos relacionados a uma perspectiva de normalidade da doença. <strong>Conclusão: </strong>demonstrou-se existência de processo de mudança nas representações, inicialmente ligadas à morte, porém, posteriormente, visão de normalidade, provavelmente como consequência da convivência com a doença, por meio do novo contexto que possibilita maior sobrevida.</p> 2022-08-16T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/69035 Aspectos da ambiência que influenciam o processo de trabalho na unidade materno-infantil 2022-02-15T16:42:36-03:00 Kelly Pires do Amaral enfkellyamaral@gmail.com Juliane Portella Ribeiro ju_ribeiro1985@hotmail.com Melissa Hartmann hmelissahartmann@gmail.com Adrize Rutz Porto adrizeporto@gmail.com Clarice Alves Bonow claricebonow@gmail.com <p><strong>Objetivo:</strong> conhecer aspectos da ambiência que influenciam no processo de trabalho na unidade materno-infantil. <strong>Método:</strong> pesquisa qualitativa de caráter exploratório e descritivo; realizada em uma unidade materno-infantil. Participaram 21 profissionais de enfermagem. A coleta de dados ocorreu por entrevista semiestruturada gravada; posteriormente submetidos à análise temática. <strong>Resultados:</strong> como aspectos que contribuem no desenvolvimento do processo de trabalho elencaram-se a boa relação entre a equipe de enfermagem; disponibilidade de recurso pessoal e material; a identidade do hospital. Como dificultadores foi apontada a falta de especificidade e espaço da unidade; sua localização; dificuldade na comunicação e a assimetria entre os cuidados prestados pela equipe de enfermagem e médica. <strong>Conclusão:</strong> a ambiência da unidade materno-infantil deve contemplar a confortabilidade das mulheres internadas; possibilitar a produção de subjetividade dos profissionais de enfermagem, por meio do trabalho em equipe multiprofissional; bem como favorecer a utilização do próprio espaço como ferramenta facilitadora da produção de saúde.</p> 2022-08-15T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/68002 A experiência de vida dos trabalhadores da saúde mental durante a pandemia do coronavírus 2022-02-21T16:08:47-03:00 Lucas Rafael dos Santos lucas-rafael.santos@unesp.br Guilherme Correa Barbosa g.barbosa@unesp.br Júlia Carolina de Mattos Cerioni Silva jucarol80@usp.br Marcia Aparecida Ferreira de Oliveira marciaap@usp.br <p><strong>Objetivo: </strong>conhecer a experiência de vida dos trabalhadores de saúde mental durante o primeiro ano da pandemia do coronavírus. <strong>Método: </strong>estudo exploratório, descritivo, qualitativo com uso de narrativas, realizado em quatro serviços de saúde mental de um município do interior de São Paulo. Os dados foram coletados por meio de formulário on-line e a análise se deu pela hermenêutica dialética. <strong>Resultados: </strong>participaram 108 trabalhadores da saúde, predominou-se o sexo feminino, brancos, idade entre 38 e 47 anos, relação estável ou casamento e ensino superior. A partir das narrativas emergiram duas categorias temáticas: Adaptações às novas rotinas pessoais e Adaptações à nova rotina no trabalho. <strong>Conclusão: </strong>os trabalhadores da saúde mental experienciaram impactos que geram múltiplos anseios. Estratégias organizacionais que propiciem momentos de escuta e ofereça segurança e condições de trabalho adequadas são favoráveis ao momento enfrentado e necessitam ser discutidas nos serviços em questão.</p> 2022-08-08T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/67133 Competências gerenciais e estratégias de ensino para estudantes de graduação em enfermagem: visão de docentes 2022-04-05T15:06:17-03:00 Laura Andrian Leal laura.andrian.leal@usp.br Aline Teixeira Silva alinetsilva@yahoo.com.br Daniela Sarreta Ignácio daniela.sarreta@usp.br Nilva Maria Ribeiro nilva.enf@hotmail.com Mirelle Inácio Soares mirelleenfermagem@gmail.com Silvia Helena Henriques shcamelo@eerp.usp.br <p><strong>Objetivo:</strong> descrever as competências gerenciais desenvolvidas na formação do enfermeiro voltadas ao contexto hospitalar e as estratégias de ensino para seu fortalecimento na perspectiva docente. <strong>Método:</strong> estudo exploratório, qualitativo. Participaram 12 docentes de enfermagem de uma Instituição de Ensino Superior Pública. A coleta ocorreu em 2020 por meio de grupos focais. Para análise dos dados, utilizou-se análise temática indutiva. <strong>Resultados:</strong> elucidaram competências gerenciais prioritárias, como: Comunicação; Tomada de decisão gerencial; Liderança e Relacionamento Interpessoal. Dentre as estratégias para o seu aperfeiçoamento, destaca-se: simulação, estudos de caso clínico, além de reestruturação do estágio e do currículo formativo. <strong>Conclusão: </strong>os resultados da pesquisa contribuem para reflexão das competências necessárias ao ensino, e para reflexão de centros formadores em enfermagem quanto a reorganização dos currículos, incluindo estratégias de ensino ativas que facilitem o desenvolvimento de competências. Além disso, espera-se sensibilizar a comunidade hospitalar sobre o aprimoramento de competências.</p> 2022-08-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/67733 Repercussões da pandemia de COVID-19 na saúde das mulheres mães de crianças autistas 2021-11-15T21:23:09-03:00 Jeane Barros Souza jeane.souza@uffs.edu.br Tassiana Potrich tassiana.potrich@uffs.edu.br Érica Brito Pitilin erica.pitilin@uffs.edu.br Maíra Rossetto maira.rossetto@uffs.edu.br Michelle Kuntz Durand michakd@hotmail.com Jane Kelly Oliveira Friestino jane.friestino@uffs.edu.br <p><strong>Objetivo</strong>: compreender as repercussões da pandemia de COVID-19 na saúde das mulheres que são mães de crianças autistas. <strong>Método</strong>: estudo qualitativo, tipo ação participante, fundamentado nos pressupostos teórico-metodológicos de Paulo Freire. Realizou-se um Círculo de Cultura virtual em janeiro de 2021. Participaram 12 mulheres mães de crianças autistas, membros de uma associação na região Sul do Brasil. A análise dos dados ocorreu com a participação de todos os envolvidos no Círculo de Cultura, conforme Itinerário Freireano. <strong>Resultados</strong>: as mulheres refletiram sobre a sua saúde física e mental; seu papel social enquanto mãe e esposa; e a conciliação das atividades domésticas com a educação formal do filho. Também emergiram os sentimentos: cansaço, desânimo, depressão e medo de contrair COVID-19. <strong>Conclusão:</strong> a pandemia repercutiu na sobrecarga de mulheres mães de crianças autistas com diminuição do tempo para autocuidado e a necessidade de reprogramação dos seus ambientes de trabalho e rotina doméstica.</p> 2022-08-02T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/68259 Aplicabilidade clínica das intervenções de enfermagem de uma terminologia para assistência no processo de amamentação 2021-11-23T09:31:15-03:00 Odette Moura dos Santos odettemourads@gmail.com Fernanda Broering Gomes Torres ferbroering@yahoo.com.br Denilsen Carvalho Gomes deni.gomesc@gmail.com Cândida Caniçali Primo candidaprimo@gmail.com Marcia Regina Cubas m.cubas@pucpr.br <p><strong>Objetivo: </strong>analisar a aplicabilidade clínica das intervenções de enfermagem do subconjunto terminológico da Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem (CIPE<sup>®</sup>) para assistência à mulher e à criança em processo de amamentação.<strong> Método: </strong>estudo transversal. Dados coletados pela observação, sistemática e não participativa, durante os cuidados às puérperas em uma maternidade. Participaram puérperas e seus recém-nascidos; enfermeiras e técnicos em enfermagem. Utilizado instrumento com as 213 intervenções do subconjunto. <strong>Resultados: </strong>em 15 observações, 24 intervenções foram prescritas e observadas, como examinar as mamas da mãe; 77 não prescritas e observadas, como estimular amamentação em livre demanda; e 112 não foram observadas e nem prescritas, como reforçar as vantagens da amamentação. <strong>Conclusão: </strong>as intervenções do subconjunto da CIPE<sup>®</sup> são aplicáveis em alojamento conjunto. Identificou-se deficiência na prescrição e avaliação das intervenções de enfermagem.</p> 2022-07-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/67615 Potencialidades e fragilidades institucionais no cuidado ao idoso com hipertensão 2022-04-13T09:24:25-03:00 Johrdy Amilton da Costa Braga johrdybraga@gmail.com Mérida Zilanda Barbosa Bordoni zilandamerida@gmail.com Elorides de Brito eloridesbrito@gmail.com Maíra dos Santos Mendes maimendes@yahoo.com.br Iarema Fabieli Oliveira de Barros iaremafabi@hotmail.com Elisa Brosina de Leon elisadleon@ufam.edu.br <p><strong>Objetivo</strong>: avaliar a capacidade institucional de cuidado ao paciente hipertenso nos serviços de saúde destinados aos idosos, a partir da percepção das equipes de saúde. <strong>Método</strong>: estudo transversal, com 53 profissionais de saúde das instituições ambulatoriais especializadas no cuidado ao idoso na cidade de Manaus, Amazonas, Brasil. Aplicou-se a Avaliação da Capacidade Institucional para Atenção às Condições Crônicas (ACIC). Os dados são apresentados em valores de média. <strong>Resultados</strong>: as potencialidades foram nas dimensões: autocuidado apoiado (6,1 ± 2,7), organização da atenção à saúde (5,5 ± 2,1) e desenho do sistema de prestação de serviços (5,1 ± 2,6). As fragilidades foram: sistema de informação clínica (3,9 ± 2,7), recursos da comunidade (4,0 ± 2,9), integração dos componentes do modelo de atenção (4,1 ± 2,7) e suporte às decisões (4,4 ± 2,9). <strong>Conclusão</strong>: de acordo com o ACIC, as instituições apresentaram capacidade básica na prestação decuidado ao paciente hipertenso.</p> 2022-08-17T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/68189 Avaliação dos registros de enfermagem por meio do Quality of Diagnoses, Interventions and Outcomes 2022-03-07T20:14:52-03:00 Suéli Regina Sulzbach sueli_sulzbachh@outlook.com Carla Argenta carla.argenta@udesc.br Edlamar Kátia Adamy edlamar.adamy@udesc.br William Campo Meschial williameschial@yahoo.com.br Elisangela Argenta Zanatta elisangela.zanatta@udesc.br Suzanne Cristina Abido suzanne.abido@edu.udesc.br <p class="resumo"><strong><span style="font-family: 'Open Sans',sans-serif;">Objetivo:</span></strong><span style="font-family: 'Open Sans', sans-serif;"> avaliar a qualidade dos registros do Processo de Enfermagem em prontuários de uma unidade de terapia intensiva adulto. </span><strong><span style="font-family: 'Open Sans',sans-serif;">Método:</span></strong><span style="font-family: 'Open Sans', sans-serif;"> estudo transversal, com aplicação do <em>Quality of Diagnoses, Interventions and Outcomes</em> em 145 prontuários de pacientes que estiveram internados no período de novembro de 2018 a junho de 2019.</span><strong><span style="font-family: 'Open Sans',sans-serif;"> Resultados:</span></strong><span style="font-family: 'Open Sans', sans-serif;"> em relação ao domínio denominado Diagnósticos de Enfermagem como processo, apenas 27% dos registros apresentaram-se completos. No domínio Diagnósticos de Enfermagem como produto, os resultados foram satisfatórios com 97% da documentação completa. A satisfatoriedade se manteve nas Intervenções de Enfermagem, em que a completude foi obtida em 94% dos prontuários. Quanto aos Resultados, mais da metade dos registros apresentaram inconsistências. </span><strong><span style="font-family: 'Open Sans',sans-serif;">Conclusão: </span></strong><span style="font-family: 'Open Sans', sans-serif;">os registros do Processo de Enfermagem vêm sendo executados na unidade de terapia intensiva de forma parcialmente satisfatória, e, a partir deste estudo, é possível desenvolver estratégias para melhoria da qualidade dos registros.</span></p> 2022-07-11T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/68178 Potencialidades e limites do ensino remoto emergencial de saúde mental no contexto da COVID-19 2021-11-24T10:28:16-03:00 Luciane Prado Kantorski kantorskiluciane@gmail.com Carla Gabriela Wünsch carlagabi20@hotmail.com Thylia Teixeira Souza thyliatsouza@gmail.com Taís Alves Farias tais_alves15@hotmail.com Michele Mandagará de Oliveira mandagara@hotmail.com <p><strong>Objetivo:</strong> analisar as potencialidades e os limites do ensino remoto emergencial de uma disciplina de saúde mental no contexto da pandemia da COVID-19. <strong>Método:</strong> pesquisa qualitativa que analisou os dados do <em>Google Forms</em> de questionário <em>online</em> respondido por estudantes com questões abertas e fechadas. A coleta de dados foi realizada em setembro de 2020, de forma autoaplicável, e os diálogos do ambiente de aprendizagem, em fevereiro de 2021. Dos 223 estudantes concluintes, 128 responderam ao questionário <em>online. </em>A análise temática buscou as manifestações subjetivas desses estudantes e as informações sociodemográficas foram transferidas para programa e calculadas conforme a média numérica. <strong>Resultados:</strong><em> </em>das potencialidades e limitações, destacam-se a colaboração da disciplina para o enfrentamento pessoal da pandemia e as dificuldades dos alunos com o acesso à <em>internet</em>. <strong>C</strong><strong>onclusão: </strong>é necessário refletir a respeito do futuro da formação universitária, dos processos pedagógicos e de trabalho, além da infraestrutura das instituições.</p> 2022-07-06T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/69299 Crianças com necessidades de saúde especiais em um serviço de pronto atendimento pediátrico: estudo transversal 2022-04-03T18:52:39-03:00 Mayara Pacheco da Conceição Bastos mayarabastosss@gmail.com Andressa Silva Torres dos Santos torresandressa@hotmail.com Beatriz Cabral Ledo beatriz.cabral.ledo@gmail.com Juliana Rezende Montenegro Medeiros de Moraes jumoraes333@gmail.com Ivone Evangelista Cabral icabral444@gmail.com Fernanda Garcia Bezerra Góes ferbezerra@gmail.com <p><strong>Objetivos:</strong> rastrear crianças com necessidades de saúde especiais em um serviço de pronto atendimento pediátrico e analisar suas demandas de cuidado. <strong>Método:</strong> estudo transversal, desenvolvido de março a junho de 2019, em serviço hospitalar de emergência infantil, no município de Rio das Ostras, Rio de Janeiro, Brasil. Aplicaram-se a versão brasileira do <em>Children with Special Health Care Needs Screener</em> (CSHCN<em> Screener®</em>) e o instrumento caracterizador de demandas com familiares cuidadores de crianças. Utilizou-se a estatística descritiva. <strong>Resultados: </strong>crianças com necessidades de saúde especiais corresponderam a 5,1%, dentre 235 famílias rastreadas. Os principais domínios de necessidades de saúde foram maior utilização de serviços e dependência de medicamentos. Dentre as demandas de cuidados, destacaram-se os cuidados habituais modificados. <strong>Conclusão:</strong> as seis demandas de cuidados foram identificadas entre as crianças rastreadas. Recomenda-se a adoção do CSHCN <em>Screener</em>® para ampliar a visibilidade e indicar estratégias assistenciais a esse grupo populacional.</p> 2022-08-08T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/68960 Terminologia especializada para a prática de enfermagem na promoção da saúde do adolescente 2022-04-04T14:52:03-03:00 Heloísa Silva Ometto heloisa.ometto@unifesp.br Jéssica Rocha j.lrocha@hotmail.com Josiane Melo josiane.melo@ints.org.br Soraia Buchhorn soraia.buchhorn@unifesp.br <p><strong>Objetivo</strong>: elaborar uma terminologia padronizada da Classificação Internacional para a Prática da Enfermagem (CIPE®) utilizada para o exercício da enfermagem na promoção da saúde do adolescente na Atenção Primária deSaúde. <strong>Método</strong>: estudo descritivo, quantitativo, com uso da técnica de mapeamento cruzado entre registros de enfermagem e a CIPE®. Os dados foram coletados de registros de atendimento feitos por enfermeiros, realizados entre 2018 e 2021. <strong>Resultado</strong>: extraiu-se 285, sendo que após normalização, 207 foram analisados. Destes, 147 são constantes na Classificação e 60 não constantes. Na validação dos termos não constantes, 56 alcançaram o índice de concordância ≥ 0,80 entre os participantes. Os principais eixos foram Foco e Ação. <strong>Conclusão</strong>: elaborou-se uma terminologia especializada para esse grupo, o que contribui no aperfeiçoamento e registro da prática profissional do enfermeiro. Identificou-se, que a CIPE® atende, majoritariamente, as necessidades de registro de atendimento a esta população.</p> 2022-06-28T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/68105 Percepções atribuídas por parturientes sobre o cuidado de enfermeiras obstétricas em centro de parto normal 2022-02-11T14:35:11-03:00 Clemilda Alves da Silva clew.alves.enf@gmail.com Diego Pereira Rodrigues diego.pereira.rodrigues@gmail.com Valdecyr Herdy Alves herdyalves@yahoo.com.br Elisângela da Silva Ferreira licalipe8@yahoo.com.br Márcia Simão Carneiro marsimao13@gmail.com Thalita Rocha Oliveira 15oliveira.thalita@gmail.com <p><strong>Objetivo: </strong>compreender as percepções das parturientes quanto aos cuidados da enfermagem obstétrica no processo do parto e nascimento em Centro de Parto Normal. <strong>Método:</strong> estudo descritivo, exploratório, de abordagem qualitativa, com 15 puérperas que tiveram o cuidado no parto e nascimento no Centro de Parto Normal Haydeê Pereira Sena, região metropolitana do estado do Pará, Brasil. Realizou-se entrevista semiestruturada, por meio virtual, via aplicativo <em>WhatsApp®</em>, na função de videochamada, de setembro a novembro de 2020, após captação das mulheres que receberam alta da unidade. Os dados foram gravados pelo áudio do aplicativo <em>SplendApps</em>, transcritos e submetidos à análise de conteúdo temática, com o suporte do <em>software</em> ATLAS.ti 8.0. <strong>Resultados: </strong>observaram-se o acolhimento e a empatia durante o processo da humanização, além da utilização de tecnologias não invasivas do cuidado da enfermagem obstétrica com base na ciência. <strong>Conclusão:</strong> cuidado humanizado garante respeito, autonomia e empoderamento, com a prática das enfermeiras obstétricas.</p> 2022-06-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/67548 Avaliação da simulação em parada cardiorrespiratória durante o debriefing entre estudantes de enfermagem na pandemia 2021-11-26T16:00:06-03:00 Karen da Silva Kilson karenkilson1998@gmail.com Luiza Helena de Oliveira Salvi da Cruz luizahosalvi@gmail.com Fernanda Bezerra Góes ferbezerra@gmail.com Maithê de Carvalho Goulart Lemos maithegoulart@gmail.com Fernanda Maria Vieira Pereira-Ávila fernanddamaria@hotmail.com <p><strong>Objetivo:</strong> avaliar a simulação em parada cardiorrespiratória durante o <em>debriefing</em> entre estudantes de enfermagem na pandemia da COVID-19. <strong>Método: </strong>estudo descritivo de abordagem qualitativa realizado entre 22 estudantes de enfermagem em duas etapas: simulação clínica em parada cardiorrespiratória e <em>debriefing</em> associado à simulação. O <em>corpus</em> textual decorrente dos diálogos foi submetido à análise lexicográfica, com auxílio do <em>software</em> <em>“</em>IRAMUTEQ<em>”.</em> <strong> Resultados: </strong>a maioria dos estudantes nunca havia participado de cenários de simulação clínica no decorrer da graduação. Mediante o <em>debriefing</em>, identificaram-se aspectos facilitadores como a voz do manequim e o realismo da simulação. Como dificultadores, os estudantes atribuíram o nervosismo e a falta de conhecimento no atendimento em parada cardiorrespiratória. <strong>Conclusão: </strong>na avaliação da simulação durante o <em>debriefing</em> verificou-se a importância desta estratégia de ensino prático para formação acadêmica, impactando positivamente no processo de ensino-aprendizagem do estudante de enfermagem, sobretudo na pandemia da COVID-19.</p> 2022-08-10T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/67786 Conhecimento das mulheres que participam dos grupos virtuais hospedados no facebook sobre o aleitamento materno 2021-12-08T16:51:39-03:00 Melissa Hartmann hmelissahartmann@gmail.com Juliane Portella Ribeiro ju_ribeiro1985@hotmail.com <p><strong>Objetivo:</strong> identificar o conhecimento das mulheres que participam de grupos virtuais hospedados no <em>Facebook</em> sobre o aleitamento materno. <strong>Método:</strong> pesquisa qualitativa de caráter exploratório e descritivo, realizada no período de setembro a novembro de 2020, com 15 mulheres que participam de grupos inscritos no <em>Facebook</em> que abordam a temática aleitamento materno. Os dados foram coletados por meio do Google <em>Forms</em> e, posteriormente, submetidos à análise de conteúdo. <strong>Resultados:</strong> as participantes demonstraram conhecimento sobre os benefícios do aleitamento materno, a pega e o posicionamento correto ao seio. Elas compreendem o conceito de aleitamento materno exclusivo e livre demanda. O discurso recorrente como motivador para participação dos grupos virtuais baseia-se na busca de conhecimento. <strong>Conclusão: </strong>a educação em saúde tem sua importância reafirmada pelas participantes ao apontarem que as informações sobre o aleitamento materno foram obtidas predominantemente por meio dos serviços de saúde e estratégias, como curso/grupo de gestantes.</p> 2022-08-08T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/66894 Agressão verbal contra profissionais de saúde da atenção primária e terciária: estudo de métodos mistos 2021-10-30T22:20:48-03:00 Letícia de Lima Trindade letrindade@hotmail.com Grasiele Fatima Busnello grasibusnello@gmail.com Maiara Daís Schoeninger maia_schoeninger@hotmail.com Kaciane Boff Bauermann kacianebb@hotmail.com Marina Klein Heinz marinakleinheinz@gmail.com Clarissa Bohrer da Silva clabohrer@gmail.com <p><strong>Objetivo: </strong>analisar a ocorrência da agressão verbal e fatores associados ao fenômeno contra trabalhadores de saúde. <strong>Método: </strong>estudo misto, explanatório sequencial, desenvolvido de 2016 a 2019, com 647 trabalhadores de serviços de saúde das regiões Oeste e Extremo Oeste de Santa Catarina. Utilizaram-se o <em>Survey Questionnaire Workplace Violence in the Health Secto</em>r e entrevistas semiestruturadas. Realizaram-se as análises estatística inferencial e temática, respectivamente. <strong>Resultados: </strong>dos participantes, 307 (47,4%) relataram terem sofrido ao menos um episódio de agressão verbal. Esse evento foi associado à função do trabalhador, ao contato físico com paciente, ao reconhecimento no trabalho e à preocupação com a violência no trabalho. Os depoimentos apontam os impactos na saúde dos trabalhadores e a fragilidade das condutas após os episódios. <strong>Conclusão: </strong>a agressão verbal é uma violência típica dos serviços públicos de saúde, com vítimas que possuem um perfil comum e instituições com dificuldade de manejo deste problema.</p> 2022-06-14T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/65530 Mulheres com deficiência vivendo em contexto rural: situações de vulnerabilidade e proteção 2021-12-06T14:24:48-03:00 Maira Missio mairamissio97@gmail.com Ethel Bastos da Silva ethelbastos@hotmail.com Jaqueline Arboit jaqueline.arboit@hotmail.com Marta Cocco da Costa marta.c.c@ufsm.br Alexa Pupiara Flores Coelho alexa.coelho@ufsm.br Alice do Carmo Jahn jahnalice@gmail.com <p><strong>Objetivo: </strong>analisar as situações de vulnerabilidade e de proteção vivenciadas por mulheres com deficiência em contexto rural.<strong> Método: </strong>estudo qualitativo, descritivo e exploratório, realizado com dez mulheres com deficiência residentes em áreas rurais de cinco municípios das regiões norte e noroeste do Rio Grande do Sul, Brasil. As entrevistas ocorreram nos domicílios nos meses de janeiro a junho de 2019. O material empírico foi gravado, transcrito e submetido à análise temática de conteúdo.<strong> Resultados: </strong>as vulnerabilidades desveladas foram: restrições de responsabilidade, educação, trabalho, renda, autonomia e benefício social. Quanto às condições potencializadoras de proteção às vulnerabilidades, observaram-se vínculos fortes com a Estratégia Saúde da Família Rural e a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais e recebimento do Benefício de Prestação Continuada. <strong>Conclusão: </strong>ações de equipes de saúde rural articuladas na rede de atenção auxiliam na superação de fragilidades de mulheres com deficiência.</p> 2022-04-14T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/67474 Infecções de sítio cirúrgico: reabordagem cirúrgica e infecção em cirurgias limpas e potencialmente contaminada 2021-12-06T11:11:41-03:00 Larissa Stefani larissastefani_2@hotmail.com Pollyanna Kássia de Oliveira Borges pkoborges@uepg.br Maria Dagmar da Rocha Gaspar nurse67@live.com <p><strong>Objetivo:</strong> verificar a associação entre a ocorrência de infecção de sítio cirúrgico (ISC) e a necessidade de reabordagem em pacientes submetidos a cirurgias limpas e potencialmente contaminadas. <strong>Método:</strong> estudo longitudinal, envolvendo 75 pacientes com infecção; a coleta de dados foi em formulário de pesquisa avaliando aspectos sociodemográficos e clínicos. A associação foi avaliada pela razão de chances e seus intervalos de confiança (IC95%). <strong>Resultados:</strong> pacientes internados por causas externas têm chance quatro vezes maior de reabordar cirurgicamente (p=0,011), na especialidade ortopédica a razão foi cinco vezes maior (p=0,003), reinternações, têm 10 vezes mais chances de reabordagem (p=0,000), leucocitose (p=0,002) e alteração no valor de proteína c-reativa (p=0,016) mostraram-se associados à necessidade de realização de nova cirurgia. A cultura positiva (p=0,001) e antibiótico terapêutico (p=0,04) demonstraram-se fatores protetores para a reabordagem. <strong>Conclusão: </strong>os dados demonstram a presença de ISC como forte influenciador à reabordagem cirúrgica, norteando hospitais com o mesmo perfil.</p> 2022-04-05T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/66858 Associação entre doenças cardiometabólicas autorreferidas, violência e uso de drogas em caminhoneiros 2021-11-17T08:53:54-03:00 Nayline Martins Pereira naylineptu@gmail.com Lúcio Borges de Araújo lucio.araujo@ufu.br Vanessa Cristina Bertussi vbertussi@yahoo.com.br Glória Terezinha Carrijo glorinhacarrijo@gmail.com Marcelle Aparecida de Barros Junqueira marcellebarros@ufu.br <p><strong>Objetivo</strong>: analisar a associação entre doenças cardiometabólicas, violência sofrida e uso de drogas em caminhoneiros. <strong>Método:</strong> estudo transversal que envolveu 235 motoristas que estiveram em um posto de combustível no município de Uberlândia (MG), Brasil. Os dados foram coletados por meio de entrevistas autorrelatadas e aplicados os Testes de Qui Quadrado e Regressão Logística, adotando-se um nível de significância de 0,05 para todas as variáveis. <strong>Resultados</strong>: observou-se uma relação entre os eventos violentos no trânsito e algumas doenças cardiometabólicas, especialmente a doença vascular periférica (OR=6,00 (IC 95% 2,47-14,56) e a obesidade (OR=2,56 (IC 95% 1,42-4,62); sendo que também o abuso de álcool (OR=4,16 (IC 95% 1,53-11,29) e tabaco (OR=2,68 (IC 95% 1,10-6,51) se relacionaram com essas patologias. <strong>Conclusão</strong>: exposição a assaltos e acidentes de trânsito, e uso de álcool e tabaco foram associados a uma maior chance de prevalência das doenças cardiometabólicas entre caminhoneiros.</p> 2022-07-25T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/66828 Conhecimento de adolescentes sobre álcool e outras drogas e sua opinião acerca das tecnologias educacionais 2021-12-07T13:23:15-03:00 Laura Cristhiane Mendonça Rezende Chaves lauracristhiane@hotmail.com Iracema da Silva Frazão isfrazao@gmail.com Letícia Menezes de Oliveira leticia_menezmenezes@hotmail.com Gesualdo Gonçalves de Abrantes gesualdomandragora@hotmail.com Camila Biazus Dalcin c.biazusdalcin@dundee.ac.uk Selene Cordeiro Vasconcelos selene.cordeiro@academico.ufpb.br <p><strong>Objetivo: </strong>investigar o conhecimento de adolescentes escolares sobre álcool e outras drogas e sua opinião acerca de tecnologias educacionais para prevenção do consumo. <strong>Método: </strong>estudo descritivo com abordagem qualitativa realizado com 86 adolescentes cursando o ensino médio. Os dados foram coletados utilizando um instrumento de aplicação autoadministrada e processados nos programas IRaMuTeQ 0.7 alpha 2 e SPSS versão 20.0. <strong>Resultados: </strong>a análise lexical mostrou três classes semânticas: consequência, representação e definição do álcool e outras drogas para os adolescentes. A tecnologia educacional escolhida pela maioria foi o vídeo e o aplicativo móvel, que versam sobre consequências e efeitos associados ao uso das substâncias e as formas de se evitar ou até mesmo utilizá-las. <strong>Conclusão: </strong>os resultados mostraram que os adolescentes possuem pouco conhecimento sobre a temática e que tecnologias educacionais digitais podem ser estratégias de educação em saúde eficazes para prevenção do consumo de álcool e outras drogas entre o público-alvo.</p> 2022-03-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/67045 Características laborais e atitudes de enfermeiros no cuidado às famílias na atenção primária à saúde 2021-12-08T21:49:18-03:00 Aurélia Danda Sampaio aurelia.sampaio@hotmail.com Lílian Moura de Lima Spagnolo lima.lilian@gmail.com Eda Schwartz edaschwa@gmail.com Fernanda Lise fernandalise@gmail.com Josiele de Lima Neves josiele_neves@hotmail.com Marinéia Albrecht Kickhofel marineiakickhofel@gmail.com <p><strong>Objetivo:</strong> identificar a repercussão das características laborais nas atitudes de apoio dos enfermeiros no cuidado às famílias, no contexto da atenção primária à saúde. <strong>Método:</strong> estudo transversal, com 71 enfermeiros da Atenção Primária à Saúde. Utilizou-se um formulário para caracterizar os participantes e a escala Importância das Famílias nos Cuidados de Enfermagem – Atitude dos Enfermeiros. Aplicou-se estatística descritiva e analítica, estratificando os escores da escala pelas características dos enfermeiros. <strong>Resultados:</strong> verificou-se atitude de apoio dos enfermeiros 80,9±7,8, com significância estatística para a diferença de escore médio na subescala 2, que avalia a família como recurso dos cuidados de enfermagem, entre os da Estratégia Saúde da Família, quando comparados aos de unidades tradicionais. <strong>Conclusão:</strong> as características laborais dos enfermeiros repercutem na atitude de apoio dos profissionais em relação às famílias, influenciadas pelo modelo de unidade de trabalho, localização, oferta de capacitação profissional e tempo de atuação na Atenção Primária à Saúde.</p> 2022-03-11T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/66542 Aptidão, conhecimento e atitude de profissionais da educação infantil sobre primeiros socorros 2021-12-10T09:52:47-03:00 Karine Bianco da Cruz karine.bianco@yahoo.com.br André Gustavo de Lima Godas andrelgodas@gmail.com Rayssa Gonçalves Galvão rayssaggalvao@hotmail.com Thaís Cavichio David thaiscavichio@gmail.com Bruna Moretti Luchesi bruna_luchesi@yahoo.com.br Tatiana Carvalho Reis Martins tatycnn@hotmail.com <p><strong>Objetivo:</strong> analisar a aptidão, o conhecimento e a atitude de profissionais da educação infantil que participaram ou não de capacitação em primeiros socorros. <strong>Método:</strong> estudo transversal, desenvolvido com 132 profissionais da educação infantil do município de Três Lagoas, Mato Grosso do Sul, Brasil, por meio de questionário no <em>Google Forms.</em> Aplicaram-se os testes qui-quadrado ou Exato de Fisher. <strong>Resultados:</strong> dos 132 profissionais, 67 relataram não ter participado anteriormente de capacitação em primeiros socorros. A maioria sente-se apta a prestar atendimento nas situações de febre, ferimentos e sangramentos. Aqueles que já participaram de capacitação acertaram mais respostas referentes ao conhecimento dos conceitos de febre, convulsão, desmaio, trauma, parada cardiorrespiratória e acidente por animal peçonhento; e referente às atitudes para convulsão, desmaio, engasgo, queda/trauma e parada cardiorrespiratória. <strong>Conclusão:</strong> ter participado de capacitação proporcionou aos profissionais maior conhecimento e assertividade referente à atitude a ser tomada nas situações de emergência.</p> 2022-03-09T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/65680 Reformas curriculares e a sua importância para um curso de graduação em enfermagem (1969-1991)* 2021-10-28T11:25:00-03:00 Juliana Bonetti de Carvalho julianapersempre@hotmail.com Maria Itayra Padilha itayra.padilha@ufsc.br Roberta Costa roberta.costa@ufsc.br Mariana Vieira Villarinho nanyufsc2004@gmail.com Stéfany Petry stefanypetry@hotmail.com <p><strong>Objetivo</strong>: historicizar as reformas curriculares ocorridas no Curso de Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) (1969-1991) e sua influência na formação acadêmica a partir da percepção dos docentes. <strong>Método</strong>: pesquisa qualitativa, sócio-histórica, coleta de dados realizada por meio da história oral temática, de outubro a dezembro de 2016, com 17 docentes. Utilizou-se análise de conteúdo temática e referencial foucaultiano. <strong>Resultados</strong>: emergiram três categorias: O Curso de Graduação em Enfermagem da UFSC e seu primeiro currículo; A influência da Reforma Universitária nas Mudanças Curriculares e; O desafio da implantação e da implementação do Ensino Integrado. As reformas curriculares apontam o papel fundamental das enfermeiras docentes. Ampliam a visibilidade da Enfermagem e de uma mudança na percepção do papel do enfermeiro para outros profissionais, pacientes e para a comunidade. <strong>Conclusão</strong>: as reformas curriculares propiciaram avanços tanto na implantação de disciplinas, como na qualidade de formação de enfermeiros.</p> 2022-07-25T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/67164 Vivências de mães de bebês prematuros: da gestação aos cuidados no domicílio 2021-12-01T10:16:21-03:00 Carolina Heleonora Pilger carolinapilger@gmail.com Lisie Alende Prates lisiealende@hotmail.com Ana Paula de Lima Escobal anapaulaescobal@hotmail.com Kelly Dayane Stochero Velozo kellyvelozo@unipampa.edu.br Natália da Silva Gomes nataliasilvag_@hotmail.com Jarbas da Silva Ziani jarbasziani230@gmail.com <p><strong>Objetivo:</strong> conhecer as vivências de mães de bebês prematuros da gestação até o domicílio, após a alta hospitalar. <strong>Método:</strong> estudo qualitativo, descritivo e exploratório, desenvolvido com 16 puérperas em uma Policlínica Infantil, em dezembro de 2020, por meio de entrevistas semiestruturadas, submetidas à análise de conteúdo temática. <strong>Resultados:</strong> as vivências da gestação envolveram tanto a ausência como a presença de fatores de risco. No nascimento, observou-se a separação da mãe e do bebê, com poucas orientações sobre as razões da permanência deste na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal. Na internação, as mães demonstraram desgaste emocional e físico diante das mudanças na rotina. Já no domicílio, elas buscaram a manutenção dos cuidados desenvolvidos no ambiente hospitalar. <strong>Conclusão:</strong> é fundamental o olhar sensível e atento dos profissionais de saúde quanto às orientações fornecidas à mulher e sua família, permitindo maior compreensão sobre as questões ligadas à prematuridade.</p> 2022-07-25T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/65710 Caracterização dos óbitos notificados decorrentes de complicações dos cuidados médicos e cirúrgicos 2021-11-16T11:40:40-03:00 Vanessa Leal de Lima de Moura vanessalealdelima@gmail.com Josemar Batista josemar.batista@hotmail.com Maria Luiza de Medeiros Amaro maria.amaro@unisantacruz.edu.br Beatriz Essenfelder Borges beatriz.borges@unisantacruz.edu.br Ingrid Solange Evans Osses ingrid.osses@unisantacruz.edu.br <p><strong>Objetivo:</strong> descrever os casos de óbitos notificados por complicações de assistência médica e cirúrgica no Brasil entre 2015 a 2018. <strong>Método:</strong> descritivo e retrospectivo conduzido entre junho e julho de 2020 com os registros de óbitos extraídos do Sistema de Informações sobre Mortalidade em Saúde. Os dados foram agrupados em dois biênios 2015-2016 e 2017-2018 e analisados por estatística descritiva e variações percentuais. <strong>Resultados:</strong> foram notificados 6.587 óbitos, com destaque para o biênio 2017-2018 (n=3.425;52%). Os óbitos ocasionados pelo uso de equipamentos médicos reduziram no Brasil, com variação percentual negativa de 15,4% entre os biênios. Houve aumento das mortes por efeitos adversos de drogas/medicamentos com variação percentual positiva de 12,2%. O número de óbitos por acidentes durante a assistência hospitalar se manteve estacionário. <strong>Conclusão:</strong> observaram-se alterações nos registros de óbitos notificados no Brasil, e expandir ações preventivas que visem reduzir os óbitos são necessárias em todos os grupos de notificação.</p> 2022-08-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/66137 Adaptação cultural do Families’ Importance in Nursing Care–Nurses’ Attitudes para o português do Brasil 2021-11-03T09:51:45-03:00 Aline Gabriela Bega Ruiz aline.bega@hotmail.com Maria do Carmo Fernandez Lourenço Haddad carmohaddad@gmail.com Elen Ferraz Teston elen-1208@hotmail.com Guilherme Oliveira de Arruda enfgoa@gmail.com Vanessa Carla Batista vane.vcb@hotmail.com Sonia Silva Marcon soniasilva.marcon@gmail.com <strong>Objetivos:</strong> validar o conteúdo e testar a aplicabilidade e compreensão do Families’ Importance in Nursing Care–Nurses’ Attitudes (FINC-NA) à cultura brasileira. <strong>Método:</strong> pesquisa metodológica que envolveu as etapas de tradução, síntese, retrotradução, avaliação de equivalências (semântica, idiomática, conceitual e experimental), validade de conteúdo, pré-teste e envio dos relatórios. Treze juízes avaliaram as equivalências da tradução e a validade de conteúdo do instrumento. A aplicabilidade, compreensão dos itens e a consistência interna foram verificadas em pré-teste com 37 enfermeiros. Nas análises, utilizados Kappa de Freiss (FK) e alfa de Cronbach. <strong>Resultados:</strong> a concordância entre os juízes foi considerada alta em relação à: Clareza, Objetividade, Pertinência, Precisão e Simplicidade (FK ≥0,72). No pré-teste, o alfa de Cronbach dos quatro domínios (α ≥0,81) e a consistência interna geral (0,86) se apresentaram altos. <strong>Conclusão:</strong> a adaptação cultural do FINC-NA para a cultura brasileira foi considerada adequada e o instrumento poderá ser testado psicometricamente. 2022-07-25T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/64972 Aplicabilidade do Processo de Enfermagem na atenção hospitalar: interface com as melhores práticas 2021-11-17T18:45:10-03:00 Susane Karine Kerckoff Machado susanekerckoff@gmail.com Edlamar Kátia Adamy katiadamy@hotmail.com Fabiane Pertille fabiane.pertille@udesc.br Carla Argenta carla.argenta@udesc.br Clarissa Bohrer da Silva clarissa.bohrer@udesc.br Carine Vendruscolo carine.vendruscolo@udesc.br <p><strong>Objetivo:</strong> analisar a aplicabilidade do Processo de Enfermagem em interface com as melhores práticas. <strong>Método:</strong> estudo transversal, realizado com 146 enfermeiros(as), mediante questionário estruturado tipo <em>survey</em>, aplicado entre maio e setembro de 2019, analisado por estatística descritiva e inferencial. <strong>Resultados: </strong>dos 146 enfermeiros(as), 115 (78,8%) realizavam o Processo de Enfermagem, sendo que 73 (50%) aplicavam as cinco etapas do Processo de Enfermagem. Destes 115, prevaleceram as etapas de coleta de dados 110 (95,7%) e implementação do cuidado 104 (90,4%). Houve associação significativa entre a aplicação das etapas do Processo de Enfermagem com o uso de sistemas de informação e escalas de avaliação. Algumas etapas do Processo foram associadas ao uso de Sistemas de Linguagem Padronizada e teorias de enfermagem. <strong>Conclusão:</strong> o Processo de Enfermagem configura-se como estratégia para consolidar as melhores práticas, fundamentando as ações em evidências científicas e nas necessidades do indivíduo mediante expertise clínica e qualificação dos registros.</p> 2021-11-16T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/67675 Reflexões das heranças da idade média no enfrentamento da pandemia da COVID-19 2022-03-20T22:42:24-03:00 Adaiana Fatima Almeida adaiana.f.almeida@gmail.com Isadora Ferrante Boscoli de Oliveira Alves isa.fboa@gmail.com Graziele Gorete Portellla da Fonseca grazieleportelladafonseca@gmail.com Rosilei Teresinha Weiss Baade rosileiweiss@uol.com.br Evangelia Kotzias Atherino dos Santos evanguelia.ufsc@gmail.com Soraia Dornelles Schoeller soraia.dornelles@ufsc.br <p><strong>Objetivo:</strong> refletir acerca das heranças da Idade Média no contexto da pandemia da Covid-19. <strong>Método</strong>: estudo de reflexão sobre aspectos teórico-filosóficos relacionados às heranças da Idade Média e a pandemia da COVID-19, elaborado durante a disciplina em um programa de pós-graduação em enfermagem de uma universidade pública, de setembro a dezembro de 2021. <strong>Resultados:</strong> a humanidade passou por inúmeras transformações ao longo dos séculos, essas mudanças foram fruto de diversos desafios que as populações precisaram enfrentar, como guerras, epidemias, bem como crises econômicas. Tais adversidades estavam interligadas com causa-consequência. A área da saúde precisou desenvolver-se para o enfrentamento desses obstáculos e para que as pessoas pudessem retomar suas vidas com menos impactos possíveis. <strong>Conclusão:</strong> a idade média foi precursora no enfrentamento de pandemias, deixando referências utilizadas atualmente frente a COVID-19, como: ações de higiene, utilização de equipamentos de proteção individual e isolamento social, além de comportamentos negacionistas reportando-nos à Idade das Trevas.</p> 2022-08-03T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/66559 Supervisão de enfermagem: instrumento gerencial de qualificação da equipe e do cuidado 2022-04-22T14:49:25-03:00 Márcia Aparecida Giacomini marcia.giacomini77@gmail.com Lucieli Dias Pedreschi Chaves dpchaves@eerp.usp.br Camila Galiano camilagaliano@gmail.com Larissa Roberta Alves laari.lra@gmail.com Vivian Aline Mininel vivian.aline@gmail.com Silvia Helena Henriques shcamelo@eerp.usp.br <p class="resumo"><strong>Objetivo: </strong>refletir sobre a supervisão de enfermagem como instrumento gerencial para qualificação da equipe e do cuidado. <strong>Método:</strong> estudo reflexivo, fundamentado em publicações científicas e vivência acadêmico-profissional. <strong>Resultados:</strong> para desenvolver a supervisão de enfermagem para além do controle de produção e reprodução de relações autoritárias, o enfermeiro precisa promover articulação entre os membros da equipe e adotar estratégias de corresponsabilização pelo cuidado de enfermagem, por meio de abordagens que promovam qualificação e segurança do cuidado, em uma perspectiva flexível, educativa, compartilhada, com vistas a avançar na utilização desse instrumento de gestão em novas dimensões, como a <span style="letter-spacing: -.2pt;">supervisão clínica e colaborativa. <strong>Conclusão:</strong> compreender as estruturas e os processos relacionados ao desempenho da supervisão pode favorecer a implementação de estratégias para apoiar os enfermeiros em suas funções, o que possibilita diminuir a distância entre teoria e prática profissional, superando adversidades do cotidiano de modo a qualificar a equipe e o cuidado</span>.</p> 2022-07-14T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/66747 Esperança e desespero: reflexões sobre o acesso na Atenção Primaria à Saúde 2021-11-27T18:30:09-03:00 Rafael Zaneripe de Souza Nunes rafaelzaneripe.psico@gmail.com Vanessa Pereira Corrêa vanessacorrea@unesc.net Jacks Soratto jacks@unesc.net <p><strong>Objetivo: </strong>refletir sobre o acesso na Atenção Primária à Saúde (APS) através de analogias entre dois programas televisivos brasileiros. <strong>Método: </strong>trata-se de uma reflexão teórica sustentada em elementos da cultura televisiva popular brasileira, a partir dos programas: a porta da esperança e a porta dos desesperados. <strong>Resultados: </strong>o acesso à saúde no âmbito da APS pode ser analisado na perspectiva de três portas: esperança, na solução de suas necessidades; desespero, voltada aqueles que não conseguem encontrar soluções as suas demandas; e a prioritária, pautada nas atribuições que lhe constitui e no direito à saúde.<strong> Conclusão: </strong>a APS precisa superar a tipologia de porta da esperança e dos desesperados para efetivação da sua atribuição ordenadora da rede de atenção à saúde.</p> 2022-06-14T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/67928 Força de trabalho de enfermagem: cenário e tendências 2021-11-25T21:34:39-03:00 Mariana Mendes mariana.mendes@unochapeco.edu.br Marisa da Silva Martins marisa.mpenf@gmail.com Indiana Acordi indianacordi@gmail.com Flávia Regina Souza Ramos flareginaramos@gmail.com Laura Cavalcanti de Farias Brehmer laura.brehmer@ufsc.br Denise Elvira Pires de Pires piresdp@yahoo.com <p><a name="_Hlk98491016"></a><strong>Objetivo: </strong>refletir sobre o panorama atual e tendências da força de trabalho de enfermagem no Brasil e no mundo.<strong> Método: </strong>ensaio teórico-reflexivo elaborado com base em dados de relatórios de organizações internacionais e nacionais de saúde e enfermagem, disponíveis em sites oficiais, entre fevereiro e setembro de 2021. <strong>Resultados:</strong> o cenário atual da força de trabalho da enfermagem aponta para escassez global de profissionais, alertando para um contingente de pessoas que não terá suas necessidades de saúde atendidas. O Brasil dispõe de quantitativo de profissionais de enfermagem semelhante ao dos países desenvolvidos, mas com distribuição desigual e percentual pequeno de enfermeiros na composição da força de trabalho.<strong> Conclusão: </strong>mesmo com esforços globais para reduzir a escassez da força de trabalho de enfermagem, o cenário permanece crítico. Trata-se de um trabalho fundamental para alcançar saúde para todos, o que requer investimento em número, qualificação e condições de trabalho adequadas.</p> 2022-03-22T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/68294 Experiência com mídias sociais para ações em saúde com idosos durante a pandemia Covid-19 2022-04-11T21:29:07-03:00 Adriana Martins Gallo adriana.gallo@ifpr.edu.br Juliane Pagliari Araujo juliane.araujo@ifpr.edu.br Jackeline Tiemy Guinoza Siraichi Jackeline.siraichi@ifpr.edu.br Djennyfer Abreu Souza djennyfersouza13@gmail.com Cristiano Schebeleski Soares cristiano.soares@ifpr.edu.br Ligia Carreira ligiacarreira.uem@gmail.com <p><strong>Objetivo:</strong> relatar a experiência de uso de mídias sociais para ações em saúde com idosos durante a pandemia Covid-19. <strong>Método: </strong>trata-se de um relato de experiência do projeto de extensão intitulado “Vovôs e vovós conectados: ligados na Internet na qualidade de vida”, realizado de abril a dezembro de 2020, mediado por interações síncronas e assíncronas, utilizando ferramentas digitais e discutido à luz da Política do Envelhecimento Ativo e da Década do Envelhecimento Saudável. <strong>Resultados:</strong> as abordagens virtuais basearam-se em: informações e combate às <em>fake news </em>sobre Covid-19; apoio emocional; promoção de saúde; e uso de tecnologia. <strong>Conclusão:</strong> evidenciou-se que o uso orientado de mídias sociais pelos idosos contribui de maneira eficaz para a manutenção das relações sociais e promoção da saúde na perspectiva do envelhecimento saudável mesmo durante uma crise sanitária de repercussão mundial. </p> 2022-08-10T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/66551 A experiência de se elaborar uma tecnologia cuidativo-educacional à luz da Teoria das Transições 2021-12-07T16:38:58-03:00 Marina Nolli Bittencourt marinanolli@hotmail.com Samira Reschetti Marcon samira.marcon@gmail.com Angellica Fernandes de Oliveira enfangellica@gmail.com Valquiria Mira Landim vmiralandim@gmail.com Darci Francisco dos Santos Junior darcijr.contato@gmail.com Bruna Hinnah Borges Martins de Freitas bruhinnah@gmail.com <p><strong>Objetivo</strong>: relatar a experiência da primeira fase da elaboração de uma tecnologia cuidativo-educacional (TCE)para a promoção da saúde mental infantil. <strong>Método</strong>: relato de experiência,sobre a primeira fase da elaboração de um manual à luz da Teoria das Transições de Meleis e do Modelo de Inteligência Emocional de Goleman. <strong>Resultados</strong>: o manual foi elaborado considerando a infância como um período de natureza desenvolvimental, tendo comofacilitadores a escola e as características emocionais positivas da criança, podendo ser inibida por fatores relacionados ao contexto social negativo. Em relação ao padrão de resposta, obteve-se um padrão de resposta emocional positivo da criança, por meio da promoção da saúde mental, a partir do fortalecimento das competências emocionais das crianças. <strong>Conclusão</strong>: a escolha da Teoria promove a comunicação de forma efetiva e a utilização do Modelo de Inteligência Emocional de Goleman possibilita que a TCE obtenha compreensão, multiplicação e execução.</p> 2022-08-09T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/69588 Ações educativas com adolescentes sobre a prevenção da COVID-19: relato de experiência 2022-03-23T09:24:51-03:00 Renata de Moura Bubadué renatabubadue@gmail.com Carla Chiste Tomazoli Santos carlachiste@senaaires.com.br Andressa da Silveira andressadasilveira@gmail.com Leonardo Bigolin Jantsch leo_jantsch@hotmail.com Cristilene Akiko Kimura cris.akiko7@gmail.com <p><strong>Objetivo:</strong> descrever a experiência acadêmica na realização de ações educativas, com adolescentes sobre a prevenção da COVID-19. <strong>Método:</strong> relato de experiência sobre as práticas de educação em saúde realizadas com 334 adolescentes, divididos em 15 turmas, estudantes da rede municipal de ensino no município de Valparaíso de Goiás. As atividades foram desenvolvidas, em março de 2020, utilizando o referencial metodológico do círculo de cultura, mediadas por estudantes de enfermagem e fisioterapia. <strong>Resultados:</strong> as ações educativas tiveram como referencial os círculos de cultura de Paulo Freire e a problematização, a fim de que os adolescentes pudessem transitar da consciência ingênua para a consciência crítica, sobre prevenção e cuidado a respeito da COVID-19. <strong>Conclusão:</strong> ações educativas, com círculo de cultura freireano, são essenciais para fortalecer a troca e construção de saberes mediados pelos conhecimentos científicos que podem desmistificar tabus, amenizar as dúvidas e gerar possibilidades para a promoção da saúde e cuidado.</p> 2022-08-09T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/67023 Coleta de dados para pesquisa quantitativa online na pandemia da COVID-19: relato de experiência 2021-11-01T10:34:13-03:00 Gabrielle Guedes Pedroso guedespedrosogabrielle@gmail.com Ana Carolina Vidigal Vieira Ferreira nanah2705@gmail.com Camila Custódio da Silva cmlcustodia@gmail.com Giulia Alvim Bassani Silva giulialvim@gmail.com Fernanda Moura Lanza fernandalanza@ufsj.edu.br Angélica da Conceição Oliveira Coelho angelica.coelho@ufjf.br <p><strong>Objetivo:</strong> relatar a experiência de pesquisadores na condução da coleta de dados online em uma pesquisa com abordagem quantitativa. <strong>Método:</strong> relato de experiência sobre a coleta de dados da pesquisa “Uso de equipamentos de proteção individual pelos profissionais de saúde no combate à COVID 19” ocorrida entre agosto de 2020 e março de 2021 por meio de questionário autoaplicável virtual. <strong>Resultados:</strong> utilizou-se como estratégias de divulgação da pesquisa, a criação de site e redes sociais, o envio de cartaz acompanhado de texto específico com link clicável pelo <em>Whatsapp</em>®, contatos por <em>e-mail</em> e por telefone, além da estratégia de sementes. Durante a coleta de dados, observaram-se fatores dificultadores e facilitadores. Como contribuição social, foi disponibilizado o curso “Biossegurança: Boas Práticas na atuação frente à COVID-19”. <strong>Conclusão:</strong> a coleta de dados online proporcionou a realização de uma pesquisa de abrangência nacional com baixo custo, mas com pouca participação perante a população elegível.</p> 2022-08-08T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista de Enfermagem da UFSM