Simulação realística no ensino de segurança do paciente: relato de experiência

Tânia Solange Bosi de Souza Magnago, Jaqueline Scalabrin da Silva, Taís Carpes Lanes, Juliana Dal Ongaro, Emanuelli Mancio Ferreira da Luz, Patrícia Tuchtenhagen, Rafaela Andolhe

Resumo


Objetivo: relatar a vivência de ensino-aprendizagem de segurança do paciente com estudantes de um Curso de Graduação em Enfermagem. Método: relato de experiência, desenvolvido no ano de 2017, a partir de atividades teórico-práticas na disciplina “A enfermagem e a segurança do paciente na atenção à saúde”. Utilizou-se como estratégia metodológica a simulação realística, realizada no Laboratório de Habilidades, com estudantes do terceiro semestre de um Curso de Graduação em Enfermagem, de uma Universidade Pública Federal. Resultados: foram realizadas duas simulações no primeiro semestre letivo de 2017. A primeira referente aos protocolos de Higienização das Mãos e Identificação Correta do Paciente; a segunda abordou o protocolo de Cirurgia Segura e dispositivos intravenosos, cateteres e sondas. Pontos fortes e pontos frágeis foram discutidos, oportunizando fortalecer conhecimentos, habilidades e atitudes dos participantes. Conclusões: a vivência dos estudantes sobre o uso da simulação realística foi positiva, possibilitando maior confiança baseada na experiência vivenciada.

Palavras-chave


Educação em Enfermagem; Treinamento por simulação; Segurança do paciente; Enfermagem

Referências


Agência Nacional de Vigilância Sanitária (BR). Segurança do paciente em serviços de saúde: higienização das mãos. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2009.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria n. 529, de 1º de abril de 2013. Institui o Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP) [Internet]. 2013 [acesso em 2018 nov 14]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2013/prt0529_01_04_2013.html

Buxton M; Phillippi J; Collins MR. Simulation: a new approach to teaching ethics. J Midwifery Womens Health [Internet]. 2015 jan-fev [acesso em 2018 nov 14];60(1):70-4. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1111/jmwh.12185

Sanino GEC. O uso da simulação em enfermagem no curso técnico de enfermagem. J Health Inform [Internet]. 2012 dez [acesso em 2017 dez 10];4(N Esp):148-51. Disponível em: http://www.jhi-sbis.saude.ws/ojs-jhi/index.php/jhi-sbis/article/view/247/136

Melo MCB, Lui PMF, Magalhães AMPB, Gresta MM, Silva NLC, Brandão CFS. A simulação no ensino da graduação. In: Scalabrini Neto A, Fonseca AS, Brandão CFS. Simulação realística e habilidades na saúde. Rio de Janeiro (RJ): Atheneu; 2017. p. 23-29.

Valadares AFM, Magro MCS. Opinião dos estudantes de enfermagem sobre a simulação realística e o estágio curricular em cenário hospitalar. Acta Paul Enferm [Internet]. 2014 abr [acesso em 2018 dez 13]; 27(2):138-43. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-21002014000200009&lng=en http://dx.doi.org/10.1590/1982-0194201400025

Currie J, Kourouche S, Gordon C, Jorm C, West S. Mass casualty education for undergraduate nursing students in Australia. Nurse Educ Pract [Internet]. 2017 out [acesso em 2017 dez 01];(28):156-62. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/29101834

Bortolato-Major C, Arhur JP, Mattei AT, Mantovani MF, Felix JVC, Boostel R. Contribuições da simulação para estudantes de graduação em enfermagem. Rev Enferm UFPE On Line [Internet]. 2018 [acesso em 2017 dez 01];12(6):1751-62. Disponível em: https://doi.org/10.5205/1981-8963-v12i6a230633p1751-1762-2018

Kaneko RMU, Lopes MHBM. Cenário em simulação realística em saúde: o que é relevante para a sua elaboração? Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2019 [acesso em 2017 dez 01];53:e03453. Disponível em: http:// dx.doi.org/10.1590/S1980-220X2018015703453

Nascimento MS; Magro MCS. Simulação realística: método de melhoria de conhecimento e autoconfiança de estudantes de enfermagem na administração de medicamento. REME Rev Min Enferm [Internet]. 2018 mar [acesso em 2018 nov 25];22(e-1094):1-5. Disponível em: http://www.reme.org.br/artigo/detalhes/1232

Jeffries PR. Simulation in nursing education: from conceptualization to evaluation. New York: National League for Nursing; 2007.

Coutinho V, Martins JCA, Pereira MF, Mazzo A. Feedback e debriefing. In: Scalabrini Neto A, Fonseca AS, Brandão CFS. Simulação realística e habilidades na saúde. Rio de Janeiro (RJ): Atheneu; 2017. p. 115-25.

Organização Mundial da Saúde (OMS). Segundo desafio global para a segurança do paciente: cirurgias seguras salvam vidas [Internet]. Rio de Janeiro (RJ): Organização Pan-americana da Saúde, Ministério da Saúde, Agência Nacional de Vigilância Sanitária; 2009 [acesso em 2018 dez 15]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/seguranca_paciente_cirurgias_seguras_guia.pdf

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM). HUSM-UFSM-Hospital Universitário de Santa Maria [Internet]. 2016 [acesso em 2018 out 15]. Disponível em: http://www2.ebserh.gov.br/web/husm-ufsm

Mazzo A, Almeida RGS, Baptista RCN, Pedersoli CE, Girão FB, Martins JCA. Simulação: conceitos básicos. In: Scalabrini Neto A, Fonseca AS, Brandão CFS. Simulação realística e habilidades na saúde. Rio de Janeiro (RJ): Atheneu; 2017. p. 49-57.

Magro MCS, Barreto DG, Silva KGN, Moreira SCR, Silva TS, Santos CE. Vivência prática de simulação realística no cuidado ao paciente crítico: relato de experiência. Rev Baiana Enferm [Internet]. 2012 maio-ago [acesso 2018 out 14];26(2):556-61. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/enfermagem/article/view/6544/6360

Silva RC, Torres AAP, Valadão SR, Soares TMS. A simulação do cuidado como um cenário de aprendizagem em enfermagem. J Nurs Health. 2016;6(Supl.):164-72.

Brandão CFS, Collares CF, Marin HF. A simulação realística como ferramenta educacional para estudantes de medicina. Sci Med (Porto Alegre) [Internet]. 2014 dez [acesso em 2018 dez 01];24(2):187-92. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/scientiamedica/article/view/16189/11485

Oliveira SN, Prado ML, Kempfer SS. Utilização da simulação no ensino da enfermagem: revisão integrativa. Rev Min Enferm [Internet]. 2014 abr-jun [acesso em 2018 dez 01];18(2):487-95. Disponível em: http://www.dx.doi.org/10.5935/1415-2762.20140036

Abreu AG, Freitas JS, Berte M, Ogradowski KRP, Nestor A. O uso da simulação realística como metodologia de ensino e aprendizagem para as equipes de enfermagem de um hospital infanto-juvenil: relato de experiência. Ciênc Saúde (Porto Alegre). 2014;7(3):162-6.

Costa RRO, Medeiros SM, Martins JCA, Cossi MS, Araújo MS. Percepção de estudantes da graduação em enfermagem sobre a simulação realística. Cuid [Internet]. 2017 [acesso em 2017 dez 10];8(3): 1799-808. Disponível em: http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v8i3.425

Monteiro AB, Peixoto JGP, Silva APSS, Caregnato RCA, Millão LF. Formação para segurança do paciente: uma experiência de integração entre alunos da graduação e pós-graduação. Rev Enferm UFSM [Internet]. 2018 jan-mar [acesso em 2018 dez 11];8(1):192-202. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/23988/pdf

Rohrs RMS, Santos CF, Barbosa RS, Schulz RS, Carvalho MB. Impacto da metodologia de simulação realística na graduação de enfermagem. Rev Enferm UFPE On Line [Internet]. 2017 [acesso em 2018 dez 11]:11(Supl 12):5269-74. Disponível em: https://doi.org/10.5205/1981-8963-v11i12a23005p5269-5274-2017




DOI: https://doi.org/10.5902/2179769236616

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Este site está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.