Sentimentos da família diante do enfrentamento do viver-morrer do membro familiar na UTI

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5902/217976923604

Palavras-chave:

Enfermagem, Família, Cuidados Intensivos

Resumo

Identificar as principais necessidades das famílias que enfrentam situação de afastamento do familiar por necessidade de cuidados de alta complexidade; e conhecer a capacidade de resiliência das famílias durante a hospitalização de um dos seus membros em desvio de saúde numa UTI. Método: Pesquisa de natureza qualitativa, descritivo-exploratória. Os sujeitos foram sete indivíduos de cinco famílias distintas, de ambos os sexos, que deram anuência em participar do estudo. Resultados: Algumas famílias descreveram sentimentos de esperança, fé e expectativa na recuperação do seu familiar. Conferem tais sentimentos à complexidade do ambiente intensivista, dotado de equipamentos tecnológicos, mas conferem a Deus a responsabilidade por trazer ao meio relacional-familiar o subsistema hospitalizado. Conclusões: Sensibilizar-se frente às necessidades dessas famílias requer do profissional, compaixão, entrega, aproximação ao sofrimento familiar, devendo o profissional de enfermagem conhecer a sua dor e sofrimento, revelando a essencialidade da existência humana envolta no processo de cuidar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luzia Wilma Santana da Silva, UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA, Vitória da Conquista, BA

Profa, DSc. em Filosofia, Saúde e Sociedade - Enfermagem, pela PEN-UFSC. Docente da UESB. Líder do Grupo Interdisplinar de Estudos em Ciências da Saúde e Sociedade. Linha: Família em seu ciclo vital. Docente do PPGES?UESB - Nível Mestrado Acadêmico.

Flávia Farias Santos, UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA, Vitória da Conquista, BA

Enfermeira. Graduada pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Aluna Especial do Mestrado em Enfermagem pelo Programa de Pós-Graduação da Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia . Membro da Linha de Pesquisa: A família em seu ciclo vital. Colaboradora do Projeto Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Extensão em cuidados às famílias em convibilidade com doenças crônicas/UESB.

Deusélia Moreira de Souza, UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA, Vitória da Conquista, BA

Enfermeira. Mestre em Enfermagem–UFBA. Professora Assistente do Departamento de Saúde – DS/UESB. Membro dos Grupos de Pesquisa: GREPE e EXERCE.

Downloads

Publicado

2011-10-25

Como Citar

Silva, L. W. S. da, Santos, F. F., & Souza, D. M. de. (2011). Sentimentos da família diante do enfrentamento do viver-morrer do membro familiar na UTI. Revista De Enfermagem Da UFSM, 1(3), 420–430. https://doi.org/10.5902/217976923604

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos Semelhantes

1 2 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.