A relevância da noção de perspectivação conceptual (construal ) no âmbito dos estudos do texto e do discurso: teoria e análise

Paulo Roberto Gonçalves-Segundo

Resumo


Objetiva-se, neste artigo, por um lado, discutir teoricamente a noção de perspectivação conceptual e sua tipologia de operações e, por outro, mostrar sua aplicabilidade e pertinência para a análise de dados linguísticos orientados para o exame dos processos de produção e, especialmente, de interpretação do sentido no âmbito dos estudos discursivo-textuais. Para isso, expor-se-ão pressupostos teóricos das abordagens corporeadas de cognição e, posteriormente, noções fundamentais da Linguística Cognitiva relevantes para a textualidade, para somente então serem debatidas, com exemplificação analítica, variadas operações de perspectivação conceptual, como esquematização, metaforização, categorização, focalização, quadro de visualização, granularidade e proximização.


Palavras-chave


Perspetivação conceptual; Estudos Discursivos; Linguística Textual; Linguística Cognitiva; Corporeamento

Texto completo:

PDF

Referências


BARSALOU, Lawrence W. Perceptual symbol systems. Behavioral and Brains Sciences, 22, p. 577-660, 1999. CAP, Piotr. Proximization: The pragmatics of symbolic distance crossing. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins, 2013.

CAMERON, Lynne. A dynamic model of empathy and dyspathy. Living with Uncertainty. Working Paper 6. 2013. Disponível em: www.open. ac.uk/researchprojects/livingwithuncertainty/. Acesso em: 25 fev. 2015.

CHEMERO, Anthony. Radical Embodied Cognitive Science. Cambridge: The MIT Press, 2009.

CHILTON, Paul. Analysing Political Discourse: Theory and Practice. London: Routledge, 2004.

CHILTON, Paul. Missing links in mainstream CDA: Modules, blends and the critical instinct. In: WODAK, Ruth; CHILTON, Paul (org.) A New Agenda in (Critical) Discourse Analysis: Theory, Methodology and Interdisciplinarity. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins, 2005, p. 19-52.

CHILTON, Paul. Language, Space and Mind: The Conceptual Geometry of Linguistic Meaning. Cambridge: Cambridge University Press, 2014.

CIENKI, Alan. Frames, Idealized Cognitive Models, and Domains. In: GEERAETS, Dirk; CUYCKENS, Hubert (org.) The Oxford Handbook of Cognitive Linguistics. New York: Oxford University Press, 2007, p. 170-187.

CLARK, Andy. An embodied cognitive Science? Trends Cogn. Sci., 3 (9), p. 345-351, 1999. _____. Supersizing the mind: Embodiment, Action, and Cognitive Extension. Oxford: Oxford University Press, 2008.

CROFT, William; CRUSE, Allan. Cognitive Linguistics. New York: Cambridge University Press, 2004.

_____. William. Verbs: Aspect and Causal Structure. Oxford: Oxford University Press, 2012.

DUQUE, Paulo Henrique. Discurso e cognição: uma abordagem baseada em frames. Revista da Anpoll, n. 39, p. 25-48, jul./ago. 2015.

EVANS, Vyvyan; GREEN, Melanie. Cognitive Linguistics: an introduction. Edinburgh: Edinburgh University Press, 2006.

FALCONE, Karina. A legitimação e o processo de categorização social. Veredas, v. 15, n. 1, p. 16-31, 2011.

FELTES, Heloísa Pedroso de Moraes. Semântica Cognitiva: ilhas, pontes e teias. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2007.

FERRARI, Lilian. Introdução à Linguística Cognitiva. São Paulo: Contexto, 2011.

GIDDENS, Anthony. A constituição da sociedade. 3ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

GONÇALVES-SEGUNDO, Paulo Roberto. Tradição, estabilidade e dinamicidade nas práticas discursivas: um estudo da negociação intersubjetiva na imprensa paulistana. Tese de Doutoramento. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, 2011. DOI: http://dx.doi.org/10.11606/T.8.2011. de-25042012-161141

GONÇALVES-SEGUNDO, Paulo Roberto. Convergências entre a Análise Crítica do Discurso e a Linguística Cognitiva: Integração Conceptual, Metáfora e Dinâmica de Forças. Veredas, v. 18, n. 2, p. 32-50, 2014.

GONÇALVES-SEGUNDO, Paulo Roberto. A permeabilidade da Dinâmica de Forças: da gramática ao discurso. In: LIMA-HERNANDES, Maria Célia; RESENDE, Briseida Dôgo; DE PAULA, Fraulein Vidigal; MÓDOLO, Marcelo; CAETANO, Sheila Cavalcante (org.). Linguagem e cognição: Um diálogo interdisciplinar. Lecce: Pensa Multimedia Editores, 2015, p. 163-185.

GONÇALVES-SEGUNDO, Paulo Roberto. Exclusão e inclusão na mídia paulista: uma análise cognitivo- -retórica da construção dos rolezinhos na Folha de S. Paulo. In: AQUINO, Zilda; GONÇALVES-SEGUNDO, Paulo Roberto (org.) Estudos do discurso: caminhos e tendências. São Paulo: Paulistana, 2016, p. 134-158.

GONÇALVES-SEGUNDO, Paulo Roberto; RIBEIRO, Rafaela Baracat. Envolvimento e empatia: a solidariedade construída nas colunas de aconselhamento em revistas. Revista do GEL, v. 13, n. 2, p. 211-236, 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.21165/gel.v13i2.835

GRADY, Joseph E. Image schemas and perception: Refining a definition. In: HAMPE, Beate & GRADY, Joseph E. (org.) From perception to meaning: image schemas in Cognitive Linguistics. Berlin: Mouton De Gruyter, 2005, p. 35-55.

HART, Christopher. Critical Discourse Analysis and Cognitive Science: New Perspectives on Immigration Discourse. New Tork: Palgrave Macmillan, 2010.

_____. Christopher. Discourse, Grammar and Ideology: Functional and Cognitive Perspectives. London: Bloomsbury, 2014.

HUBERT, Dalby Dienstbach. Metaforicidade nos gêneros discursivos: a natureza das metáforas e a sua relação com os tipos de discurso. Tese de Doutoramento — Instituto de Letras da Universidade Federal Fluminense. Niterói, 2017.

KORTMANN, Bernd. Adverbial subordination: a typology and history of adverbial subordinators based on European languages (Empirical approaches to Language Typology, 18). Berlin: Mouton de Gruyter, 1997.

KÖVECSES, Zoltán. Metaphor: a practical introduction. 2a. edição. Oxford: Oxford University Press, 2010. LAKOFF, George. Women, fire, and dangerous things: What categories reveal about the mind. Chicago: University of Chicago Press, 1987.

LAKOFF, George; JOHNSON, Mark. Metaphors we live by. Chicago: The University of Chicago Press, 1980.

LANGACKER, Ronald. Cognitive grammar: a basic introduction. New York: Oxford University Press, 2008. _____. Ronald. Investigations in cognitive grammar. Berlin: Mouton de Gruyter, 2009.

LEWANDOWSKA-TOMASZCZYK, Barbara. Polysemy, Prototypes, and Radial Categories. In: GEERAETS, Dirk; CUYCKENS, Hubert (org.) The Oxford Handbook of Cognitive Linguistics. New York: Oxford University Press, 2007, p. 139-169.

LINDBLOM, Jessica. Embodied Social Cognition. New York: Springer, 2015.

LONGHIN-THOMAZI, Sanderléia. Aquisição de tradições discursivas: marcas de uma escrita heterogeamente constituída. Alfa: Revista de Linguística, v. 55, p. 225-248, 2011.

MANDLER, Jean Matter. The Foundations of Mind: Origins of Conceptual Thought. Oxford: Oxford University Press, 2004.

MORAIS, Argus Romero Abreu. O pensamento inatingível: discurso, cognição e metáforas emergentes distribuídas. Tese de doutoramento – Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais, 2015.

PALUMBO, Renata. Referenciação, metáfora e argumentação no discurso presidencial. Tese de Doutoramento — Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. São Paulo, 2013.

PAVEAU, Marie-Anne. Os Pré-discursos: sentido, memória, cognição. Tradução de Greciely Costa e Débora Massman. Revisão da Tradução José Horta Nunes. Campinas-SP: Pontes, 2013.

PELOSI, Ana Cristina; FELTES, Heloísa; FERREIRA, Luciane. Metáfora e empatia no discurso de vítimas de violência em centros urbanos brasileiros. In: MOURA, Heronides; GABRIEL, Rosângela (org.) Cognição na linguagem. Florianópolis: Insular, 2012, p. 89-112.

ROSCH, Eleanor. Natural Categories. Cognitive Psychology, 4, p. 328-350, 1973. SEMIN, Gün R.; SMITH, Eliot R. Introducing Embodied Grounding. In: SEMIN, Gün R.; SMITH, Eliot R. Embodied Grounding: social, cognitive, affective, and neuroscientific approaches. Cambridge: Cambridge University Press, 2008, p. 01-05.

SILVA, Augusto Soares da. Linguística Cognitiva: uma breve introdução a um novo paradigma em linguística. Revista Portuguesa de Humanidades, v. 1, 1997, p. 59-101.

STEEN, Gerard. The contemporary theory of metaphor – now new and improved! Review of Cognitive Linguistics, v. 9, n. 1, p. 26-64, 2011. DOI: http://dx.doi.org/10.1075/rcl.9.1.03ste

TALMY, Leonard. Towards a Cognitive Semantics. Vol. 1. Cambridge: MIT Press, 2000.

TENUTA, Adriana; LEPESQUER, Marcus. Aspectos da afiliação epistemológica da Linguística Cognitiva à Psicologia da Gestalt: percepção e linguagem. Ciências & Cognição, v. 16, n. 2, p. 65-81, 2011.

VAN DIJK, Teun A. Ideología y Discurso: uma introducción multidisciplinaria. Barcelona: Ariel, 2003.

_____. Teun A. Discourse and Knowledge: A Sociocognitive Approach. Cambridge: Cambridge University Press, 2014.

VEREZA, Solange. O lócus da metáfora: linguagem, pensamento e discurso. Cadernos de Letras da UFF – Dossiê: Letras e Cognição n. 41, p. 199-212, 2010.

_____. Solange. “Metáfora é que nem...”: Cognição e discurso na metáfora situada. Signo, v. 38, n 65, p. 02-21, 2013.

WEISS, Winola. Proximização e discurso de ódio: homofobia em Casos de família. In: GONÇALVES-SEGUNDO, Paulo Roberto et al. (org.) Texto, discurso e multimodalidade: perspectivas atuais. São Paulo: Paulistana, 2017, p. 370-382

WILSON, Margaret. Six views of embodied cognition. Psychonomic Bulletin & Review, 9 (4), p. 625-636, 2002.




DOI: https://doi.org/10.5902/2176148529571

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Letras



 

                      

 

                

 

                

 

    

  

   

 

  

 

 

                                     QUALIS/CAPES: Letras A2

                              ISSN Versão Impressa: 1519-3985

                              ISSN Versão Digital: 2176-1485



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.