A língua na economia da luz como espaço de reflexão sobre o que somos

Lucília Maria Souza Romão, Amanda Eloina Scherer

Resumo


Nosso objetivo, para o presente artigo, é propor algumas questões que envolvama política de língua via sua monumentalização e patrimonialização, tomando como objetoo Museu da Língua Portuguesa. Tais questões ultrapassam o meramente linguístico e odiscursivo para pensarmos sobre as políticas públicas de inclusão/exclusão em um espaçovisceral como é caso da Estação da Luz. Lugar de sujeito, espaço e tempo diferenciados,lugar de conflito de toda a espécie e de toda a ordem. Nossa questão principal diz respeitoao lugar da língua e sua constituição nas políticas urbanas de recuperação arquitetônicana/pela circulação de bens e de pessoas.

Palavras-chave


Língua; Museu; Conflito; Lugar de sujeito; Constituição

Texto completo:

PDF

Referências


CALVINO, Italo. Coleção de areia. Tradução de Maurício Santana Dias. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

DE BARROS, Lenora. Relivro. Rio de Janeiro: Automática Oi Futuro, 2011.

DEWITTE, Jacques. La lignification de la langue. Hermès, n. 58 – Les Langues de Bois, Paris: CNRS Editions, 2010.

GADET, Françoise; PECHEUX, Michel. La langue introuvable. Paris: François Maspero, 1981.

HARTOG, François. Régimes d’historicités: presentisme et expériences du temps. Paris: Editons du Seuil, 2003. Coll. La Librairie du XXI Siècles.

HEINICH, Nathalie. La fabrique du patrimoine. Paris: Editions de la Maison des Sciences de l’Homme, 2009.

LISPECTOR, Clarice. A paixão segundo G. H. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1979.

PAMUK, Orhan. A maleta do meu pai. Tradução de Sérgio Flaksman. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

PECHÊUX, Michel [1983]. O discurso, estrutura ou acontecimento. Tradução de Eni P. Orlandi. Campinas: Pontes, 1997.

PECHÊUX, Michel. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Tradução de Eni P. Orlandi. Campinas: Editora da Unicamp, 1988.

RANCIÈRE, Jacques. O espectador emancipado. Tradução de Ivone C. Benedetti. São Paulo: Martins Fontes, 2012.

ROSA, Guimarães. Grande sertão: veredas. Edição comemorativa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2007.

SZYMBORSKA, Wilslawa. Poemas. Tradução de Regina Przybycien. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

VELOSO, Caetano. A terceira margem do rio. Disponível no endereço http://letras.mus.br/caetanoveloso/201521/. Acesso em: 21 ago. 2013.




DOI: https://doi.org/10.5902/2176148511738

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



 

                      

 

                

 

                

 

    

  

   

 

  

 

 

                                     QUALIS/CAPES: Letras A2

                              ISSN Versão Impressa: 1519-3985

                              ISSN Versão Digital: 2176-1485



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.