ESTUDO DA VARIAÇÃO DO ARCO PLANTAR LONGITUDINAL COM APOIO DO CALCÂNEO EM DIFERENTES ALTURAS

John Peter NASSER

Resumo


Este trabalho visou investigar a conformação externa do arco plantar longitudinal medial e a distribuição de forças anterior e posterior do pé, em diferentes alturas e ângulos de apoio do calcanhar. Participaram 8 voluntários do sexo feminino, com média de idade 18,6 anos, altura média de 165,7 cm, comprimento médio do pé de 242,6 mm e média da massa corpórea de 55,5 kg, sem indícios de problemas de coordenação motora, de locomoção ou ortopédicos e que usavam regularmente sapatos de salto alto. Verificou-se a distribuição de força nas regiões de apoio (anterior e posterior) do pé e a conformação do arco plantar para as alturas de apoio do calcanhar entre 1 e 12 centímetros, em intervalos de 1 cm, com variações angulares do apoio de 0o, 10°, 15° e 20° para cada altura. As medidas de força nas regiões anterior do pé foram feitas com o sistema F-Scan e uma plataforma Kistler, com freqüência de aquisição de dados 200 Hz, durante 2 s. As medidas de força na região posterior foram feitas apenas com sistema F-Scan. Para coleta dos dados videográficos, utilizou- se o sistema Peak Motus, constituído de uma câmera de vídeo, um gravador de vídeo e um “software” processador de imagens. Com esse sistema, obtiveram-se as coordenadas, em um plano, de pontos anatômicos previamente marcados sobre o arco plantar longitudinal medial. Essas coordenadas foram posteriormente utilizadas como dados para alimentar o “software” Curve Expert, que obteve as equações de regressão para descrever o arco plantar. Foi realizado T-teste e encontrou-se diferença significativa, na distribuição das forças nas regiões anterior e posterior, entre as diferentes alturas e ângulos de apoio do calcanhar. Quando os dados obtidos pela Cinemetria foram processados e analisados, para verificar qual modelo representava melhor o contorno do arco plantar longitudinal medial, houve uma predominância da

ab + cxd

equação não linear modelo MMF ^ ~ b + xd aplicável a 32 combinações de alturas e ângulos de apoio do calcanhar. Nove combinações de alturas e ângulos produziram configurações de arco plantar melhor descritas como um polinómio de terceiro grau (y=<:/+b.x+c.\~+). O terceiro modelo foi uma equação quadrática iinear (y=a+bx+cx2), que melhor representou a configuração do arco plantar em cinco das combinações altura-ângulo. Outros modelos obtidos foram o sinosoidal

(y=a+b.cos(cx+d)) e o logístico (y =_____ Ë--- ), cada qual descrevendo

1 + b cx

melhor o arco em duas combinações de altura e ângulo.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5902/231654648061



Avaliação Qualis Capes (2014):

B4- Educação Física / B3- Interdisciplinar e Psicologia / B5- Educação 

Periodicidade: contínua

ISSN: 2316-5464 online

DOI: 10.5902/23165464

email: kinesisrevista@ufsm.br


 

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.