FREQÜÊNCIA RELATIVA DE CR NA AQUISIÇÃO E RETENÇÃO DE UMA TAREFA MOTORA NA TERCEIRA IDADE

Elio Carlos PETROSKI

Resumo


O presente estudo teve como objetivo verificar os efeitos da freqüência relativa de CR na aquisição e retenção de uma tarefa motora, na terceira idade. Participaram do estudo 34 voluntários na faixa etária de 54 a 77 anos, que, através de sorteio, formaram dois grupos. Durante a aquisição, um grupo recebeu freqüência relativa de 100% de CR e o outro 57%. Os resultados foram submetidas à análise de variância (two-way ANOVA) com medidas repetidas. Na aquisição não houve diferenças significativas entre os grupos F( 1.32) = 1,48, entretanto, diferenças significativas foram encontradas na comparação entre tentativas F(7,224) = 29,86, p < 0,001, e na interação entre grupos e tentativas F( 7,224) = 2.14, p < 0.039. Na retenção, não houve diferenças significativas entre os grupos F( 1,32) = 0,77, na comparação entre as tentativas F(2,64) = 0,58, nem na interação entre grupos e tentativas F(7,64) = 0.09. Os resultados permitem concluir que não houve diferença significativa entre os grupos. Concordam com a hipótese de orientação na aquisição, porém, discordam na retenção, indicando à possibilidade de que idosos podem se diferenciar de outras faixas etárias, em relação à freqüência relativa de CR ideal para aprender uma mesma tarefa motora.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5902/231654648040

Direitos autorais



Avaliação Qualis Capes (2014):

B4- Educação Física / B3- Interdisciplinar e Psicologia / B5- Educação 

Periodicidade: contínua

ISSN: 2316-5464 online

DOI: 10.5902/23165464

email: kinesisrevista@ufsm.br


 

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.