A educação física escolar com aulas de JUMP e a frequência da atividade física de jovens e adultos

Vanilson Batista Lemes, Caroline Brand, Arieli Fernandes Dias, João Henrique Ploia Mello, Camila Felin Fochesatto, Adroaldo Cezar Araujo Gaya, Anelise Reis Gaya

Resumo


O objetivo deste estudo foi verificar o efeito de uma proposta de educação física (EF) voltada à promoção da saúde sobre a frequência de atividade física (AF) semanal fora da escola em alunos da Educação de Jovens e Adultos, considerando o sexo, a idade, a massa corporal, a estatura e as modalidades de AF como fatores associados. Para isso, utilizou-se um estudo pré-experimental de intervenção. Como resultado, verificou-se que a AF aumentou 1,21 vezes no pós-teste, se associada com: futsal, dança, caminhada e musculação. Dessa maneira, conclui-se que a intervenção em EF propiciou aumento de 21% na prática de AF fora da escola no pós-teste através do futsal, dança, caminhada e musculação.

Palavras-chave


Caminhada; Dança; Treinamento de resistência; Assistência à saúde

Texto completo:

PDF

Referências


ANDERSEN, L. B. et al. A new approach to define and diagnose cardiometabolic disorder in children. Journal of diabetes research, v. 2015, n. Cvd, p. 539835, 2015.

ASSOCIATION, W. M. World Medical Association Declaration of Helsinki: Ethical Principles for Medical Research Involving Human Subjects. JAMA : the journal of the American Medical Association, v. 310, n. June 1964, p. 1–5, 2013.

BARROS, J. M. A. et al. A Educação Física traçando caminhos na Educação de Jovens e Adultos ( EJA ). Corpus et Scientia, v. 10, n. 2, p. 33–48, 2014.

BRASIL. Lei 9.394: Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional‎ (LDB), 1996.

CARSON, V. et al. Vigorous physical activity and longitudinal associations with cardiometabolic risk factors in youth. International journal of obesity (2005), v. 38, n. 1, p. 16–21, jan. 2014.

DE OLIVEIRA FORTES, M. et al. A educação física escolar na cidade de pelotas-rs: Contexto das aulas e conteúdos. Revista da Educacao Fisica, v. 23, n. 1, p. 69–78, 2012.

DENTI, J.; VARGAS, Â. A influência da dança de rua no nível de ansiedade das mulheres que frequentam o Ensino de Jovens e Adultos - EJA da Escola Estadual Cardeal Roncalli - Frederico Westphalen - RS- Brasil. FIEP BULLETIN, v. 83, p. 628–630, 2013.

DOHLE, S.; WANSINK, B. Fit in 50 years: participation in high school sports best predicts one’s physical activity after Age 70. BMC public health, v. 13, n. 1, p. 1100, 2013.

FURTADO, E.; SIMÃO, R.; LEMOS, A. Análise do consumo de oxigênio, freqüência cardíaca e dispêndio energético, durante as aulas do Jump Fit. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, v. 10, p. 371–375, 2004.

GAYA, A. Projetos de Pesquisa Científica e Pedagógica.O desafio da iniciação científica. 1. ed. Belo Horizonte: Instituto Casa da Educação Física, 2016.

GAYA, A.; GAYA, A. Projeto Esporte Brasil. Manual de testes e avaliação.Porto Alegre Editora Perfil. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, , 2016.

GONÇALVES, H. et al. Fatores socioculturais e nível de atividade física no início da adolescência. Revista Panamericana de Salud Pública, v. 22, n. 4, p. 246–253, 2007.

GUNTHER, M. C. C. O direito à educação física na educação de jovens e adultos. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 36, n. 2, p. 400–412, 2014.

HALLAL, P. C. et al. Global physical activity levels: Surveillance progress, pitfalls, and prospects. The Lancet, v. 380, n. 9838, p. 247–257, 2012.

ISHAK, S. I. Z. S.; SHOHAIMI, S.; KANDIAH, M. Assessing the children’s views on foods and consumption of selected food groups: Outcome from focus group approach. Nutrition Research and Practice, v. 7, n. 2, p. 132–138, 2013.

KAHAN, D.; MCKENZIE, T. L. The potential and reality of physical education in controlling overweight and obesity. American Journal of Public Health, v. 105, n. 4, p. 653–659, 2015.

KNOPP, D.; PRAT, I. A.; AZEVEDO, M. R. Intervenções escolares de médio e longo prazo para promoção de atividade física: Revisão sistemática. Revista Brasileira Atividade Física e Saúde, v. 19, n. 2, p. 142–152, 2014.

LYTLE, L. A. et al. Mediators affecting girls’ levels of physical activity outside of school: Findings from the trial of activity in adolescent girls. Annals of Behavioral Medicine, v. 38, n. 2, p. 124–136, 2009.

MASON, P.; CURL, A.; KEARNS, A. Domains and levels of physical activity are linked to adult mental health and wellbeing in deprived neighbourhoods: A cross-sectional study. Mental Health and Physical Activity, v. 11, p. 19–28, 2016.

MAUERVECK, W. S.; FRANCO, N. Educação física na EJA. Revista Eletronica Pesquisaeseduca, v. 06, n. 12, p. 416–433, 2014.

MOREIRA, R. B. et al. Níveis De Atividade Física Em Diferentes Modalidades Esportivas: Um Programa Não Convencional De Educação Física Escolar. Pensar a Prática, v. 19, n. 4, p. 814–827, 2016.

MURA, G. et al. Physical activity interventions in schools for improving lifestyle in European countries. Clinical practice and epidemiology in mental health : CP & EMH, v. 11, n. Suppl 1 M5, p. 77–101, 2015.

OLIVEIRA, L. C. V. DE et al. Effect of an intervention in Physical Education classes on health related levels of physical fitness in youth. Revista Brasileira de Atividade Física &Saúde, v. 22, n. 1, p. 46–53, 2017.

PERANTONI, C. et al. Análise da intensidade de uma sessão de Jump Training. Fitness &Performance Journal, v. 8, n. 4, p. 286–290, 2009.

PRADO, V. M. DO; ALTMANN, H.; RIBEIRO, A. I. M. Condutas Naturalizadas na Educação Física: uma questão de gênero ? Currículo sem Fronteiras, v. 16, n. 1, p. 59–77, 2016.

REED, J. A. et al. Examining the impact of 45 minutes of daily physical education on cognitive ability, fitness performance, and body composition of African American youth. Journal of physical activity & health, v. 10, n. 2, p. 185–197, fev. 2013.

RODRIGUES, A. L. de P.; SANTOS, R. V. Dos. Aspectos Motivacionais para a Prática de Musculação entre jovens de 18 a 25 anos do munícipio de Fortaleza-CE. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, v. 10, n. 58, p. 308–313, 2016.

SALLIS, J. F. et al. Series Physical Activity 2016 : Progress and Challenges Progress in physical activity over the Olympic quadrennium. The Lancet, v. 6736, n. 16, p. 1–12, 2016.

VON HIPPEL, P. T.; BRADBURY, W. K. The effects of school physical education grants on obesity, fitness, and academic achievement. Preventive Medicine, v. 78, p. 44–51, set. 2015.

WEBBER, L. S. et al. Promoting Physical Activity in Middle School Girls. Trial of Activity for Adolescent Girls. American Journal of Preventive Medicine, v. 34, n. 3, p. 173–184, mar. 2008.




DOI: https://doi.org/10.5902/2316546438808

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Avaliação Qualis Capes (2014):

B4- Educação Física / B3- Interdisciplinar e Psicologia / B5- Educação 

Periodicidade: contínua

ISSN: 2316-5464 online

DOI: 10.5902/23165464

email: kinesisrevista@ufsm.br


 

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.