Ativação elétrica da musculatura e potência de membros inferiores: uma comparação entre atletas velocistas das modalidades natação e atletismo

Débora Aparecida Knihs, Luiz Francisco Reis, Anke Cristine Zimmermann

Resumo


O objetivo deste estudo foi verificar a diferença na ativação mioelétrica e potência de membros inferiores entre os atletas velocistas de natação e atletismo. A amostra foi composta por seis velocistas do sexo masculino de cada modalidade. Para a realização dos testes foi utilizado um tapete de contato e a eletromiografia. O pico de potência e a altura do salto se apresentaram menores nos atletas da natação. Quanto a ativação muscular, os corredores apresentaram ativação sigficativamente menor (p<0,05) apenas em um músculo. Concluiu-se que os corredores apresentaram valores mais altos de potência e houve diferença mínima na ativação muscular.

Palavras-chave


Potência; Eletromiografia; Atletismo; Natação

Texto completo:

PDF

Referências


BARBETTA, Pedro A. Estatística aplicada às ciências sociais. 7. ed. Florianópolis: Editora da UFSC, 2010.

BARATTA, R.; SOLOMONOW, M.; ZHOU, B. H.; LETSON, D.; CHUINARD, R.; D’AMBROSIA, R.; Muscular coactivation: the role of the antagonist musculature in maintaining knee stability. American Journal of Sports Medicine. v. 16, n. 2, p. 113–122, mar, 1988.

BARBOSA, C. A. G; MONTEIRO, H. L.; GARCIA JR., J. R.; Da SILVA, J. O.; SEMEGHINI, T. A. Aspecto anátomo-fisiológicos e cinesiológicos do Salto Vertical no Exercício e Esportes. Revista Científica das Faculdades Adamantinense Integradas: OMINIA Saúde. Adamantina, v.1, n. 2, p. 33-42, jan/jun, 2005.

BASMAJIAN, J. V.; BLUMENSTEIN, R. Colocação de Eletrodos em Biofeedback de Eletromiografia. S. l.; S. d. Disponível em: . Acesso em: maio de 2015.

BOCALINI, D.S.; ANDRADE, R.M.P.; UEZU, P.T.; SANTOS, R.N.; NAKAMOTO, F.P. O treinamento pliométrico melhora o desempenho da saída de bloco de nadadores. Revista Brasileira de Educação Física, Esporte, Lazer e Dança, Santo André, v.2, n.1, p.1-8, mar, 2007.

BORIN, S. H.; GUIRRO, R. R. J.; VANUCCI, M.; FALLEIROS, R.; PALAURO, V.;Análise da atividade eletromiográfica dos músculos extensores da perna de jogadoras de voleibol feminino. Revista Brasileira de Fisiologia do Exercício, v. 5, n. 1, p. 4-8, jan/dez, 2006.

CARROL, T. J.; RIEK, S.; CARSON, R. G. The sites of neural adaptation induced by resistance training in humans. Jounal of Physiology. London. v. 5, n. 2, p. 641-652, out, 2002.

CARVALHO, Ana Carolina. Estudo comparativo do salto vertical entre desportistas especializados em saltos e não desportistas, de ambos os gêneros. 2008. 70 f. Monografia (Licenciatura em Desporto e Educação Física) – Universidade do Porto, Porto, 2008.

CBAT. Provas oficiais. 2015. Disponível em: http://cbat.org.br/provas/provas_oficiais.asp. Acesso em: Maio de 2015.

CBDA. Natação – Recordes. 2015. Disponível em: http://www.cbda.org.br/cbda/natacao/recorde. Acesso em: Abril de 2015.

COSCARELLI, Marcelo V.; Treinamento Pliométrico, 2011. 10f. Monografia (Curso de Pós-graduação) - Universidade Federal de Minas Gerais, Minas Gerais, 2011.

COSTA, S. V.; OLIVEIRA, H. B.; DANTAS, P. M.; MEDEIROS, H. J; FILHO, J. F.; KNACKFUSS, M. I. Comparação antropométrica e da potência muscular de nadadores entre os estágios maturacionais. Revista Motricidade. Portugal, v. 2, n. 4, p. 243-250, fev, 2007.

DAL PUPO, Juliano. Índices fisiológicos e neuromusculares relacionados à performance de velocistas em provas de 200 e 400 m rasos. 2009. 119 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2009.

DAL PUPO, J; DETÂNICO, D.; SANTOS, S. G. Parâmetros cinéticos determinantes do desempenho nos saltos verticais. Revista Brasileira de Cineatropometria e Desempenho Humano. v. 14, n. 1, p. 41-51, 2012.

DETÂNICO, D.; HEIDORN, S. I.; SCHUTZ, G. R.; SANTOS, S. G. Aspectos cinemáticos e neuromusculares relacionados com o desempenho da saída do bloco na natação. Revista Brasileira Educação Física e Esporte. São Paulo, v.25, n.4, p.559-66, out./dez. 2011.

FERRÃO, Marta F. A. Efeito do treinamento pliométrico na capacidade de salto vertical e horizontal em jovens púberes. 2009. 124 f. Monografia (Licenciatura em Desporto e Educação Fisica) – Universidade do Porto, Porto, 2009.

GHELLER, R. G.; DAL PUPO, J.; LIMA, L. A. P.; MOURA, B. M.; SANTOS, S. G.; A influência da profundidade de agachamento no desempenho e em parâmetros biomecânicos do salto com contra movimento. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano. v. 16, n. 6, p. 658-668, 2014.

HALL, Susan J. Biomecânica Básica. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

_________ Biomecânica básica. 5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005.

JOHNSON, Barry L.; NELSON, Jack K. Practical Measurements for Evaluation in Physical Education. 4. ed. Edina, MN: Burgess Publishing, 1986.

JOHNSON, M. A.; POLGAR, J.; WEIGHTMAN, D.; APPLETON, D. Data on the distribution of fibre types in thirty-six human muscles. An autopsy study. Journal of the Neurological Sciences. v. 18, n. 1, p. 111-129, jan., 1973.

KAMEN, Gary; GABRIEL, David A. Fundamentos da Eletromiografia. 1. ed. São Paulo: Phorte, 2015.

LINNAMO, V.; NEWTON, R. U.; HAKKINEN, K.; KOMI, P. V.; DAVIE, A.; MCGUIGAN, M.; TRIPLETT-MCBRIDE, T. Neuromuscular responses to explosive and heavy resistance loading. Journal of Electromyografhy and Kinesiology. Chicago, v. 10, n. 6, p. 417-424, dez., 2000.

LOMBARDI, G.; VIEIRA, N. S.; DETANICO, D. Efeito de dois tipos de treinamento de potência no desempenho do salto vertical em atletas de voleibol. Brazilian Journal of Biomotricity. v. 5, n. 4, p. 230-238, 2011.

McARDLE,William D., KATCH, Frank I., KATCH, Victor L. Fisiologia do exercício: nutrição, energia e desempenho humano. 7.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.

MAGLISCHO, Ernest W. Nadando o mais rápido possível. 3. ed. Barueri: Manole, 2010.

MARTINS, G. C., OLIVEIRA, H. F. R., CAMARGO, L. B., VIEIRA, F. S. F., NODA, D. K. G., NOVELLI, C., CASAGRANDE, R. M., JUNIOR, G. D. V. Análise biomecânica do salto vertical: estudo comparativo entre crianças esportistas e não esportistas. Revista CPAQV – Centro de Pesquisas Avançadas em Qualidade de Vida. v. 6, n. 1, 2014.

MAULDER, P. S.; BRADSHAW, E. J; KEOGH, J. Jump Kinetic Determinants of Sprint Acceleration Performance from Starting Blocks in Male Sprinters. Journal of Sports Science & Medicine. v.5, n.2, p. 359-366, Jun. 2006.

MORAES, Paulo A. C. Atletismo: 100 metros rasos masculino, a prova e seus recordes. 1997. 44 f. Monografia (Graduação em Educação Física) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1997.

MORITANI, T. Neuromuscular adaptations during the acquisition of muscle strength, power and motor tasks. Journal of Biomechanics. New York, v. 26, n. 1, p. 95-107, 1993.

NASCIMENTO, M. B.; DUARTE, C. R.; SANTOS, A. R. B. Perfil de aptidão física de atletas de alto nível praticantes de atletismo. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. v. 3, n. 3, p. 26-34, jul., 1989.

PEREIRA, T.; NAVARRO, F. Relação entre impulsão vertical e performance em atletas de natação. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. São Paulo, v.2, n.11, p.555-563. Set/Out. 2008.

PLATANOV, V. N. Tratado geral de treinamento desportivo. São Paulo: Phorte, 2008.

REBUTINI, Vanessa Z. Efeitos do treinamento pliométrico na saída da natação. 2012. 92 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2012.

RIBEIRO, Leonardo L. L.; Treinamento de força máxima e potência: adaptações neurais, coordenativas e desempenho no salto vertical. 2007. 91 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

SANTOS, Saray G. (Org.) Métodos e técnicas de pesquisa quantitativa aplicada à Educação Física. Florianópolis: Tribo da Ilha, 2011.

SAYERS, S. P.; HARACKIEWICZ, D. V.; HARMAN, E. A. Cross-validation of three jump power equations. Medicine & Science in Sports & Exercise, n. 31, v. 4, p. 572-577, 1999.

SILVA, Manoel F. P. D.; Comparação morfométrica e biomecânica do músculo gastrocnêmio em relação à corrida de curta distância em indivíduos de raças negra e branca. 2000. Dissertação (Pós-graduação em Ciência da Motricidade Humana) – Universidade Castelo Branco, Rio de Janeiro, 2000.

STEWART, Arthur; MARFELL-JONES, Michael; OLDS, Timothy; de RIDDER, Hans International Standards for Antropometric Assessment. 1. ed. New Zeland: ISAK, 2011.

SZMUCHROWSKI, Leszek A. Manual do usuário: jump test. 1. ed. São Paulo: Phorte, 1991.

TORTORA, Gerard J.; DERRICKSON, Bryan. Princípios de anatomia e fisiologia. 12. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2012.

TRITSCHLER, Kathleen A. Medida e Avaliação em Educação Física e Esportes de Barrow & McGee. 5. ed. Barueri: Manole, 2003.

TROUP, John P. The Physiology and Biomechanics of competitive swimming. Aquatic Sport Injuries and Rehabilitation. n.2, v.18, p.267-285, 1999.

UGRINOWITSCH, C., TRICOLI, V., RODACKI, A. BATISTA, M., RICARD, M. D. Influence of training background on jumping height. Journal of Strength Conditioning Research. v. 21, n. 3, p.848–852, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2316546421080



Avaliação Qualis Capes (2014):

B4- Educação Física / B3- Interdisciplinar e Psicologia / B5- Educação 

Periodicidade: contínua

ISSN: 2316-5464 online

DOI: 10.5902/23165464

email: kinesisrevista@ufsm.br

 

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.