Diferenças na força dinâmica máxima mensurada em diferentes marcas de aparelhos de musculação

João Augusto Reis de Moura

Resumo


O objetivo deste estudo foi verificar possíveis diferenças na Força Dinâmica Máxima (FDM) mensurada em máquinas de musculação de marcas diferentes mas que mobilizassem o mesmo grupo muscular. Para tal foi realizado os Testes de 1RM (uma repetição máxima) validados por Moura et al. (1997a). A amostra foi composta de 15 homens e 16 mulheres na faixa etária de 17 a 30 anos, todos praticantes de musculação. Os máquinas utilizadas foram das marcas Inbaf, Reno e Sportin, nos quais foram executados os exercícios de puxada frontal (PF), rosca de bíceps (RB), rosca de tríceps (RT), supino (SU), voador frontal (VF), voador invertido (VI), abdução de quadril (AB), adução de quadril (AD), extensão de joelho (EJ), flexão de joelho (FJ) e leg press (LP). Os resultados obtidos com o grupo feminino mostraram, através da Análise de Variância, que os aparelhos que mensuram membros superiores e que utilizam polias e cabos (RT e PF) não apresentaram diferenças significativas (p<0,05) entre as diferentes marcas. Quanto aos outros módulos, a marca Sportin sempre diferiu significativa­mente de pelo menos uma das outras duas marcas. Para o grupo masculino os resultados foram bastante similares sendo que, na estação SU não houve diferenças significativas entre as marcas Inbaf, Reno e Sportin mas, a probabilidade de F foi bastante pequena (p=0,0824) com médias 82,73kg; 85,14kg e 62,83kg, respectivamente. Nas máquinas que mensuravam FMD de membros inferiores, para o sexo feminino, EJ e LP apresentaram dife­renças significativas entre todas as marcas. Nos módulos AB e AD a marca Sportin apresentou diferenças signi­ficativas com as demais (F=211,74; p=0,0000 e F=97,95; p=0,0000 respectivafrWnte). Quanto ao sexo masculino os resultados foram bastante similares, diferindo apenas no módulo ^B onde houve diferenças significativas entre todas as marcas e no módulo LP, na qual a marca Sportin apresentou diferenças significativas com as demais. Conclui-se com este trabalho que deve-se possuir extremo cuidado ao transferir-se cargas de treinamento de uma marca de máquina para outra pois, máquinas de marcas diferentes no mesmo módulo de exercício apre­sentam diferenças em função dos seus respectivos designs, braços de alavancas, polias e angulações de trabalho diferenciados.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5902/2316546410372



Avaliação Qualis Capes (2014):

B4- Educação Física / B3- Interdisciplinar e Psicologia / B5- Educação 

Periodicidade: contínua

ISSN: 2316-5464 online

DOI: 10.5902/23165464

email: kinesisrevista@ufsm.br


 

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.