Educação popular e agroecologia: contribuições para a construção da política de assistência técnica e extensão rural equitativa no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5902/2318179662653

Palavras-chave:

Desenvolvimento rural, Feminismo, Políticas públicas

Resumo

Este artigo apresenta reflexões sobre as contribuições da Educação Popular e da Agroecologia para a ressignificação das bases teóricas e metodológicas da política pública de Assistência Técnica e Extensão Rural. O texto destaca como as confluências entre educação popular e agroecologia e as imbricações desses aportes com a epistemologia feminista vêm contribuindo para o debate de equidade no contexto da ATER pública. O trabalho foi estruturado a partir de uma revisão sobre o tema e mais especificamente da seleção e revisão de 06 artigos do portal de periódicos da CAPES, publicados entre 2012 e 2017. Os documentos analisados discutem sobre as bases ideológicas e epistemológicas da PNATER e Política nacional de Agroecologia e Produção Orgânica - PNAPO. O artigo aponta alguns elementos centrais no processo de ressignificação da ATER difusionista para uma ATER equitativa, como a previsão da equidade social, valorização da cidadania, promoção do desenvolvimento rural sustentável com base nos princípios da agroecologia, enfoques pedagógicos democráticos, participativos, pautados no reconhecimento da pluralidade e diversidade das múltiplas categorias que compõem a agricultura familiar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Zelia Vanuza Marques, Instituto Federal do Pará, Castanhal, PA

Pedagoga - Extensionista Rural da EMATER - PA

Mestra em Desenvolvimento Rural e Gestão de Empreendimentos Agroalimentares - IFPA - Castanhal- PA

 

Romier da Paixão Sousa, Instituto Federal do Pará, Castanhal, PA

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal Rural da Amazônia (1999), mestrado em Agriculturas Amazônicas pela Universidade Federal do Pará (2002) e mestrado em Agroecología: un enfoque para el Desarrollo rural pela Universidade Internacional de Andalucia (2011), Doutorado em Estudios Medioambientales pela Universidad Pablo de Olavide (2015). Trabalhou como agente de ATER em assentamentos rurais (2001-2002); Atuou como Assessor Técnico em Organizações da Sociedade Civil do campo agroecológico, onde foi membro da Articulação Nacional de Agroecologia (ANA) (2003-2005); Desde 2005 é professor efetivo de ensino básico, técnico e tecnológico do IFPA – Campus Castanhal, onde foi coordenador do Projeto de Curso de Técnico em Agropecuária com ênfase em Agroecologia no IFPA Castanhal/PRONERA, Coordenou em nível estadual do Programa Saberes da Terra na Amazônia Paraense, Foi Diretor de Educação Agrícola do IFPA (2010) e Diretor de Ensino do Campus Castanhal do IFPA (2012-2014). Desenvolveu diversas atividades de formação, pesquisa e extensão tecnológica junto à comunidades rurais Amazônicas, possuindo publicações relacionadas aos temas da Agroecologia, Manejo Florestal Comunitário e Educação profissional do campo. Atualmente é membro do Grupo de Pesquisa – Núcleo de Estudos em Educação e Agroecologia na Amazônia vinculado ao CNPq; É membro do Grupo de Pesquisa Internacional "Cooperativismo, Desarrollo Rural y Emprendimientos Solidarios en la Unión Europea y Latinoamérica"; É Vice - Presidente Nacional da Associação Brasileira de Agroecologia (ABA-Agroecologia); Tutor do Programa de Educação Tutorial de Agronomia do IFPA. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Desenvolvimento Rural, atuando principalmente nos seguintes temas: agricultura familiar, Agroecologia, Extensão rural; Amazônia. Atua na área de educação, a partir dos temas da educação profissional e educação do campo.

Louise Ferreira Rosal, Instituto Federal do Pará, Castanhal, PA

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal Rural da Amazônia (2002), mestrado em Agronomia (Fitotecnia/Biotecnologia/Cultura de Tecidos Vegetais) pela Universidade Federal de Lavras (2004) e doutorado em Agronomia (Fitotecnia/Produção Vegetal) pela Universidade Federal de Lavras (2008). Desde 2010, é professora do quadro permanente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA) - Campus Castanhal atuando nos Cursos de Agronomia, Técnico em Agropecuária, Técnico em Agroindústria, Especialização em Educação do Campo e Desenvolvimento Rural Sustentável na Amazônia e Mestrado Profissional em Desenvolvimento Rural e Gestão de Empreendimentos Agroalimentares. Já coordenou o Curso de Agronomia, o Curso de Doutorado Interinstitucional/DINTER entre o IFPA-Campus Castanhal e a Universidade Federal Rural do Semi-Árido/UFERSA e o Programa de Educação Tutorial, PET Agronomia. Atualmente, está como coordenadora substituta do Curso de Agronomia. Tem experiência na área de Horticultura, com ênfase em Produção Vegetal, Cultivo e Manejo de Plantas Medicinais, Etnoconhecimento e Etnobotânica sobre Plantas Medicinais, Produção Orgânica de Hortaliças e Paisagismo. É membro do Núcleo de Estudos e Educação em Agroecologia na Amazônia (NEA - IFPA Castanhal) e do Grupo de Estudos em Etnociências na Amazônia.

Referências

AFONSO, M. H. F.; SOUZA, J. V. de; ENSSLIN, S. R.; ENSSLIN, L. Como construir conhecimento sobre o tema de pesquisa? Aplicação do processo proknow-c na busca de literatura sobre avaliação do desenvolvimento sustentável. Revista de Gestão Social e Ambiental, São Paulo (SP), v. 5, n. 2, p. 47–62, 2012. DOI: 10.24857/rgsa.v5i2.424. Disponível em: https://rgsa.emnuvens.com.br/rgsa/article/view/424. Acesso em: 20 out. 2021.

AGUIAR, M. V. de A. et al. Ensino da agroecologia. Revista Agriculturas: experiências em Agroecologia. Vol. 7, nº 4. Rio de janeiro: Disponível em: ASPTA, 2010. http://aspta.org.br/files/2013/04/Agriculturas_V7N4_DEZ2010.pdf. Acesso em: 20 out. 2021.

APPLE, M. W. Ideologia e currículo. Artmed Editora, 2016.

ARROYO, M. G. Pedagogias em movimento: o que temos a aprender dos movimentos sociais. Currículo sem fronteiras, v. 3, n. 1, p. 28-49, 2003. Disponível em: www.curriculosemfronteiras.org. Acesso em: 20 out. 2021.

BERTH, J. Empoderamento. Pólen Produção Editorial LTDA, São Paulo 2019.

BORSATTO, R. S.; CARMO, M. S. do. Agroecologia e sua epistemologia. Interciencia, p. 711-716, 2012. Disponível em: https://www.interciencia.net/wp-content/uploads/2018/01/711-1%C2%BA-e-BORSATTO-6.pdf. Acesso em: 20 out. 2021.

BOTELHO, L. L. R.; CUNHA, C. C. de A.; MACEDO, M. O MÉTODO DA REVISÃO INTEGRATIVA NOS ESTUDOS ORGANIZACIONAIS. Gestão e Sociedade, [S. l.], v. 5, n. 11, p. 121–136, 2011. DOI: 10.21171/ges.v5i11.1220. Disponível em: https://www.gestaoesociedade.org/gestaoesociedade/article/view/1220. Acesso em: 20 out. 2021.

BRASIL, Câmara Interministerial de Agroecologia. Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica-PLANAPO. Brasília, DF: MDS, 2013. Disponível em: https://ctazm.org.br/bibliotecas/plano-nacional-de-agroecologia-e-producao-organica-66.pdf. Acesso em: 20 out. 2021.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Agrário. Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural Brasília. MDA, 2004. Disponível em: https://www.ipea.gov.br/participacao/images/pdfs/conferencias/2CNDRSS/2cndrss%20poltica_nacional.pdf. Acesso em: 20 out. 2021.

CALHEIROS, F. P.; STADTLER, H. H. C. Identidade étnica e poder: os quilombos nas políticas públicas brasileiras. Revista Katálysis, v. 13, n. 1, p. 133-139, 2010. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rk/a/GhqFYFrwN6TyWHNPxTLGgcs/?lang=pt&format=pdf. Acesso em:: 20 out. 2021.

CAPORAL, F. R. La Extensión agraria del sector público ante los desafíos del desarrollo sostenible: el caso de Rio Grande do Sul, Brasil. Tese de Doutorado inédita. Córdoba: ES, UC/ISEC- CAPORAL, Francisco Roberto. 11858-Lei de Ater: Exclusão da Agroecologia e outras armadilhas, 1998. Disponível em: http://www.cpatsa.embrapa.br:8080/public_eletronica/downloads/OPB2444.pdf. Acesso em:: 20 out. 2021.

CAPORAL, F. R.; DAMBRÓS, O. Extensão Rural Agroecológica: experiências e limites. REDES: Revista do Desenvolvimento Regional, v. 22, n. 2, p. 275-297, 2017. DOI: 10.17058/redes.v22i2.9352. Disponível em: https://online.unisc.br/seer/index.php/redes/article/view/9352. Acesso em: 20 out. 2021.

CAPORAL, F. R.; PETERSEN, P. Agroecologia e políticas públicas na América Latina: o caso do Brasil. Agroecologia, v. 6, p. 63-74, 2012. Disponível em: https://revistas.um.es/agroecologia/article/view/160681/140551. Acesso em: 20 out. 2021.

CAPORAL, F. R.; RAMOS, L. de F. Da extensão rural convencional à extensão rural para o desenvolvimento sustentável: enfrentar desafios para romper a inércia. Brasília, setembro de, 2006. Disponível em: http://agroecologia.pbworks.com/f/Artigo-Caporal-Ladjane-Vers%C3%A3oFinal-ParaCircular-27-09-06.pdf. Acesso em: 20 out. 2021.

CASTRO, C. N. de. Desafios da agricultura familiar: o caso da assistência técnica e extensão rural. 2015. Disponível em: http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/6492/1/BRU_n12_Desafios.pdf. Acesso em: 20 out. 2021.

COTRIM, D. S. As arenas de Construção do Conhecimento Agroecológico como espaços para emergência de um “novo profissionalismo” da ação extensionista. REDES: Revista do Desenvolvimento Regional, v. 22, n. 2, p. 298-319, 2017. Disponível em: https://owl.tupa.unesp.br/recodaf/index.php/recodaf/article/view/92. Acesso em: 20 out. 2021.

CRENSHAW, K. Documento para o encontro de especialistas em aspectos da discriminação racial relativos ao gênero. Revista Estudos Feministas, v. 10, n. 1, p. 171-188, 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ref/a/mbTpP4SFXPnJZ397j8fSBQQ/?lang=pt&format=pdf. Acesso em: 20 out. 2021.

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. Editora Paz e Terra, 2014.

FREIRE, P. Extensão ou comunicação? 17. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2015.

GADOTTI, M. Educação popular, educação social, educação comunitária: conceitos e práticas diversas, cimentadas por uma causa comum. Revista Diálogos, v. 18, n. 2, 2012. Disponível em: https://portalrevistas.ucb.br/index.php/RDL/article/viewFile/3909/2386. Acesso em: 20 out. 2021.

GLIESSMAN, S. R. Agroecologia: processos ecológicos em agricultura sustentável. Ed. da Univ. Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, 2001. Disponível em: http://www.ufrgs.br/cursopgdr/downloadsSerie/derad105.pdf. Acesso em: 20 out. 2021.

HOOKS, B. O feminismo é para todo mundo: políticas arrebatadoras. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 2019.

MOREIRA, S. L. S.; FERREIRA, A. P.; SILIPRANDI, E. Memórias das mulheres na agroecologia do Brasil. Agroecologia en Femenino, 2018. DOI: 10.33240/rba.v15i5.23043. Disponível em: http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/rbagroecologia/article/view/23043/14316. Acesso em: 20 out. 2021.

MOTA NETO, J. C. Por uma pedagogia decolonial na América Latina: reflexões em torno do pensamento de Paulo Freire e Orlando Fals Borda. Editora CRV, 2016. DOI: 10.24824/978854440783.7.

OLIVEIRA, R. E. de; VASCONCELOS, V. O. de. Diálogos entre agroecologia e educação popular: práxis e extensão. Revista ELO – Diálogos em Extensão, [S. l.], v. 5, n. 1, 2016. DOI: 10.21284/elo.v5i1.175. Disponível em: https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/1129. Acesso em: 20 out. 2021.

PEIXOTO, M. Extensão rural no Brasil: uma abordagem histórica da legislação. Senado Federal, Consultoria Legislativa, 2008. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/publicacoes/estudos-legislativos/tipos-de-estudos/textos-para discussao/td-48-extensao-rural-no-brasil-uma-abordagem-historica-da-legislacao. Acesso em: 20 out. 2021.

RAMOS, F. S. Do campo à academia, da academia ao campo: as mulheres na agroecologia. Século XXI: Revista de Ciências Sociais, v. 7, n. 1, p. 43-65, 2017. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/seculoxxi/article/view/28129/15917. Acesso em: 20 out. 2021.

RAMOS, F. S.; NODARI, S. E. Diálogos entre sociologia e extensão rural. Revista Americana de Empreendedorismo e Inovação, v. 2, n. 1, p. 243-253, 2020. http://periodicos.unespar.edu.br/index.php/raei/article/view/3320/2185. Acesso em: 20 out. 2021.

RODRIGUES, C. M. Conceito de seletividade de políticas públicas e sua aplicação no contexto da política de extensão rural no Brasil. Cadernos de Ciência & Tecnologia, v. 14, n. 1, p. 113-154, 1997. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/81227/1/Conceito-de-seletividade.pdf. Acesso em: 20 out. 2021.

SANTOS, B. de S. Para uma sociologia das ausências e uma sociologia das emergências. Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 63, p. 237-280, 2002. a. DOI 10.4000/rccs.1285. Disponível em: https://journals.openedition.org/rccs/1285. Acesso em: 20 out. 2021.

DE SOUSA SANTOS, B. A globalização e as ciências sociais. Cortez Editora, 2002.b . Disponível em: http://bds.unb.br/handle/123456789/778. Acesso em: 20 out. 2021.

SARDENBERG, C. Pedagogias feministas: uma introdução. In: VANIN, Iole; GONÇALVES, Terezinha. Caderno Gênero e Trabalho, REDOR, p. 44/57, 2006. Disponível em: http://www.neim.ufba.br/wp/wp-content/uploads/2013/11/ENSINOeGENERO_miolo_FINAL.pdf. Acesso em: 20 out. 2021.

SCHMITT, C. J. A transformação das “Ideias Agroecológicas” em instrumentos de políticas públicas: dinâmicas de contestação e institucionalização de novas ideias nas políticas para a agricultura familiar. Política & Sociedade, v. 15, p. 16-48, 2016. DOI:10.5007/2175-7984.2016v15nesp1p16. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/318486526_A_transformacao_das_Ideias_Agroecologicas_em_instrumentos_de_politicas_publicas_dinamicas_de_contestacao_e_institucionalizacao_de_novas_ideias_nas_politicas_para_a_agricultura_familiar. Acesso em: 20 out. 2021.

SCOTT, J. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & realidade, v. 20, n. 2, 1995. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/71721. Acesso em: 20 out. 2021.

SILIPRANDI, E. Desafios para a extensão rural: o "social" na transição agroecológica. Agroecologia e Desenvolvimento Rural Sustentável, v. 3, n. 3, p. 38-48, 2002. Disponível em: https://www.projetovidanocampo.com.br/agroecologia/desafios_para_a_extensao_rural.pdf. Acesso em: 20 out. 2021.

SILIPRANDI, E. Mulheres e agroecologia: a construção de novos sujeitos políticos na agricultura familiar. 2009. Disponível em: https://repositorio.unb.br/handle/10482/5591. Acesso em: 20 out. 2021.

SILIPRANDI, E. Um olhar ecofeminista sobre as lutas por sustentabilidade no mundo rural. Agricultura familiar camponesa na construção do futuro. Rio de Janeiro. Revista Agriculturas, 2009. Disponível em: https://issuu.com/aspta/docs/agriculturas_especial. Acesso em: 20 out. 2021.

SOUSA, R. da P.; MARTINS, Sérgio R. Construção do conhecimento agroecológico: desafios para a resistência científico-acadêmica no Brasil. In: COSTA GOMES, JC; ASSIS, WS de. Agroecologia: princípios e reflexões conceituais. Brasília: EMBRAPA, 2013. Disponível em: https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/1081090/agroecologia-principios-e-reflexoes-conceituais. Acesso em: 20 out. 2021.

SOUSA, R. da P. Agroecologia e educação do campo: desafios da institucionalização no Brasil. Educação & Sociedade, v. 38, n. 140, p. 631-648, 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/j/es/a/NVYdW7qx7dNfFNC9fS9FQKK/?lang=pt&format=pdf . Acesso em: 20 out. 2021.

STAMATO, B.; MOREIRA, R. M. Metodologias Participativas em Agroecologia: redes, processos e estratégias rumo a uma Pedagogia do Alimento. REDES: Revista do Desenvolvimento Regional, v. 22. 2017. DOI. 10.17058/redes.v22i2.9347. Disponível em: https://online.unisc.br/seer/index.php/redes/article/view/9347 . Acesso em: 20 out. 2021.

WEITZMAN, R. Mulheres na assistência técnica e extensão rural. In: BUTTO, A; DANTAS, Isolda. Autonomia e Cidadania: políticas de organização produtiva para as mulheres no meio rural. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Agrário, 2011. Disponível em: https://repositorio.iica.int/bitstream/handle/11324/6967/BVE18040146p.pdf;jsessionid=666C3C63F4E5BD5ED36271408AC1C666?sequence=1. Acesso em: 20 out. 2021.

Downloads

Publicado

2022-05-04

Como Citar

Marques, Z. V., Sousa, R. da P., & Rosal, L. F. (2022). Educação popular e agroecologia: contribuições para a construção da política de assistência técnica e extensão rural equitativa no Brasil. Extensão Rural, 28(1), e5. https://doi.org/10.5902/2318179662653

Edição

Seção

Extensão e Comunicação Rural