Realidade da gestão da qualidade nos laticínios de micro e pequeno porte da região dos Campos Gerais – Paraná

Tiago Henrique de Paula Alvarenga, Juliana Vitória Messias Bittencourt, Carlos Manuel Taboada Rodriguez

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo descrever a realidade da gestão da qualidade nos laticínios de micro e pequeno porte da região dos Campos Gerais no Paraná. Foram pesquisadas dez das treze empresas da população de laticínios da região. A metodologia utilizada foi o levantamento, na qual se empregou a aplicação de um questionário semiestruturado. O presente estudo conseguiu caracterizar a realidade da gestão da qualidade nos laticínios pesquisados através das “Eras” da Qualidade elaboradas por Garvin (2002). Foi detectado que tais laticínios estão direcionados para uma gestão voltada para a garantia da qualidade dos produtos, sendo detectada ausência de ações estratégicas que torne os laticínios robustos, principalmente em relação ao Mercado Comum do Sul (MERCOSUL).


Palavras-chave


controle da qualidade, eras da qualidade, gestão da qualidade, laticínios, qualidade

Texto completo:

PDF

Referências


ALVARENGA, T. H. P. et al. Gestão da qualidade na produção de alimentos: um estudo de caso no sul de Minas Gerais. Revista de Ciência e Tecnologia (UNIG), v. 12, n. 2, p. 43-53, dez. 2012.

BAPTISTA, J. R. V.; SUGAMOSTO, M.; WAVRUK, P. Características e perspectivas da indústria de laticínios do Paraná. Caderno IPARDES: Estudos e Pesquisas, v. 1, n. 1, p. 32-46, jan./jun. 2011.

BARBOSA, A. V. Uso de indicadores de desempenho nas empresas construtoras brasileiras: diagnósticos e orientações para utilização. 2010. 273f. Tese (Doutorado em Engenharia da Produção) – Universidade de São Paulo. São Carlos, 2010.

BAYO-MORIONES, A.; CERIO, J. M. D. Quality management and high performance work practices: Do they coexist? International Journal of Production Economics, v. 73, n. 3, p. 251-259, oct. 2001.

BELIK, W. Agroindústria e reestruturação industrial no Brasil: elementos para uma avaliação. Cadernos de Ciência & Tecnologia, v. 11, n. 1, p. 58-75, 1994.

BENNER, M. et al. Quality function deployment (QFD): can it be used to develop food products? Food Quality and Preference, v. 14, n. 4, p. 327-339, jun. 2003.

BORRÁS, M. A. A.; TOLEDO, J. C. Coordenação da qualidade: proposta de estrutura e método para cadeias de produção agroalimentares. Revista Produção, São Paulo, v. 17, n. 3, p. 471-485, set./dez. 2007.

BRASIL. Mistério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Defesa Agropecuária. Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal. Resolução nº 10, de 22 de maio de 2003. Institui o Programa Genérico de Procedimentos - Padrão de Higiene Operacional - PPHO. Diário Oficial da União. Brasília, 28 de maio de 2003.

______. ______. Instrução Normativa n. 51, de 20 de setembro de 2002. Aprovar os Regulamentos Técnicos de Produção, Identidade e Qualidade do Leite tipo A, do Leite tipo B, do Leite tipo C, do Leite Pasteurizado e do Leite Cru Refrigerado e o Regulamento Técnico da Coleta de Leite Cru Refrigerado e seu Transporte a Granel,

em conformidade com os Anexos a esta Instrução Normativa. Diário Oficial da

União. Brasília, 21 de setembro. 2002.

______. ______. Instrução Normativa n. 62 de 29 de dezembro de 2011. Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade de Leite Cru Refrigerado, o Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade de Leite Pasteurizado e o Regulamento Técnico da Coleta de Leite Cru Refrigerado e seu Transporte a Granel.Diário Oficial da União. Brasília, 29 dezembro de 2011.

______. ______. Portaria n. 58/93 de 17 de maio de 1993. Estabelece diretrizes e princípios para a inspeção e fiscalização sanitária de alimentos, diretrizes e orientações para o estabelecimento de padrões de identidade e qualidade de bense serviços na área de alimentos: boas práticas de produção e prestação de serviços; regulamento técnico para estabelecimento de padrões de identidade e qualidade dos alimentos. Diário Oficial da União. Brasília, 31 maio 1993.

BUENO, M. P. Gestão da qualidade nos frigoríficos de abate e processamento de frangos no Estado do Mato do Grosso do Sul. 2006. 85f. Dissertação (Mestrado em agronegócios) Universidade Federal do Mato Grosso Sul. Campo Grande, 2006.

CAMPOS, V. F. Controle da qualidade total (no estilo japonês). Belo Horizonte: Fundação Christiano Ottoni, 2004.

CARNEVALLI, J. A.; SASSI, A.; MIGUEL, P. A. C. Comparação do uso do QFD no Brasil e no Reino Unido. Produto e Produção, v. 6, n. 2, p. 31-39, jun. 2002.

CARVALHO, M. M.; Qualidade. In: BATALHA, M. O. Introdução à engenharia da produção. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008. cap. 4, p. 53-77.

CONCHON, F. L.; LOPES, M. A. Rastreabilidade e segurança alimentar. Boletim Técnico da Universidade Federal de Lavras, n. 91, p. 1-25. 2012.

DAHMER, A. M. Avaliação da qualidade da gestão da qualidade na indústria de leite do Estado do Mato Grosso Sul. 2006. 218f. Dissertação (Mestrado em agronegócios) Universidade Federal do Mato Grosso Sul. Campo Grande, 2006.

DEMING, W. E. Qualidade: a revolução da administração. Rio de Janeiro: Saraiva, 1990.

DESANTIS, C.; ZANINELLI, M.; TANGORRA, F. M. Development of HW and SWsolutions for milk traceability. In: COMPUTERS IN AGRICULTURE AND NATURAL RESOURCES, 2006, Orlando. Proceedings... Orlando: American Society of Agricultural and Biological Engineers, 2006.

DINIZ, M. G. Desmistificando o controle estatístico de processo. São Paulo: Artliber, 2001.

ESTÁCIO, S. N. A importância do treinamento na implantação da norma ISO 9000 e como determinante da eficácia organizacional. 2003. 103 f. Dissertação. (Mestrado em Administração) - Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2003.

FIGUEIREDO, V. F.; COSTA NETO, P. L. O. Implantação do HACCP na indústria de alimentos. Revista Gestão & Produção, São Carlos. v. 8, n. 1, p. 100-111, abr. 2001.

FONSECA, P. J. P. Importância das MPE na geração de empregos em anos de crise. Boletim Estudos & Pesquisas, UEG, SEBRAE. n. 14, nov. 2012.

FURTINI, L. L. R.; ABREU, L. R. Utilização de APPCC na indústria de alimentos. Ciência e Agrotecnologia, v. 30, n. 2, p. 358-363, mar./abr. 2006.

GARVIN, D. A. Gerenciando a qualidade: a visão estratégica e competitiva. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2002.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.

GODOY, A. S. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de Administração de Empresas, v. 35, n. 2, p. 53-67, mar./abr. 1995.

GODOY, L. P. et al. Avaliação do grau de contribuição das normas de garantia da qualidade ISO-9000 no desempenho de empresas certificadas. Revista de Administração da UFSM, v. 2, n. 1, p. 41-58, jan./abr. 2009.

GONÇALVES, D. F.; PARRÉ, J. L. Produtividade total dos fatores para a agroindústria no estado do Paraná. Revista Economia & Tecnologia, v. 21, n. 2, p. 57-64, abr./jun. 2010.

GOUVEIA, F. Indústria de alimentos: no caminho da inovação e de novos produtos. Inovação Uniemp, v. 2, n. 5, p. 32-37, nov./dez. 2006.

HARRIGAN, W. F. The ISO 9000 series and its implications for HACCP. Food Control, v. 4, n. 2, p. 105-111. 1993.

IPARDES - Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social. Caracterização da indústria de processamento e transformação do leite no Paraná - 2010.

JURAN, J. M.; GRYNA, M. Controle da qualidade handbook: conceitos, políticas e filosofia da qualidade. São Paulo: Makron Books, 1991.

LINS, B. F. E. Ferramentas básicas da qualidade. Ciência da Informação, v. 22, n. 2, p. 153-161, mai./ago. 1993.

MACHADO, R. T. M. Sinais de qualidade e rastreabilidade de alimentos: uma visão sistêmica. Organizações Rurais e Agroindustriais, v. 7, n. 2, p. 227-237, 2005.

MARCOS, S. K.; JORGE, J. T. Desenvolvimento de tomate de mesa, com o uso do método QFD (Desdobramento da Função Qualidade), comercializado em um supermercado. Horticultura Brasileira, v. 20, n. 3, p. 490-496, set. 2002.

MEIRA, A.; CERON, G. Guia digital ISO 9000. Curitiba: Domo, 2004.

MÉLO, M. A. N. Qualidade e inteligência competitiva no setor de saúde suplementar: proposição de um modelo para a análise da estratégia competitiva. 2007. 230f. Tese (Doutorado em Engenharia da Produção) – Universidade Federal de Pernambuco. Recife, 2007.

MENDONÇA, M. M. A. R. Gestão da qualidade e gestão da informação: o caso do processo de concepção e desenvolvimento de uma PME de base tecnológica. 2008. 65f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Major Automação) - Universidade do Porto. Porto, 2008.

MIGUEL, A. C. A. et al. Aplicação do método QFD na avaliação do perfil do consumidor de abacaxi “pérola”. Ciência Agrotecnologia, v. 31, n. 2, p. 563-569, mar./abr. 2007.

MONTEIRO, S. B. S. Coordenação da qualidade em cadeias de produção de alimentos: práticas adotadas por grandes empresas. 2005. 217f. Tese (Doutorado em Engenharia da Produção) – Universidade Federal de São Carlos. São Carlos, 2005.

MONTGOMERY, D. C. Introdução ao controle estatístico de qualidade. Rio de Janeiro: LTC, 2009.

OLIVEIRA, C. A. F. et al. Avaliação dos custos envolvidos na implementação de BPF

e APPCC em uma indústria de laticínios de pequeno porte. Veterinária e Zootecnia,

v. 20, n. 1, p. 38-39, mar. 2013.

OTOBONI, J.; FERNANDES, T. Rastreabilidade pode ser a saída para o leite. Veja On-line, 27 mai. 2013. Disponível em:http://veja.abril.com.br/economia/rastreabilidade-pode-ser-a-saida-para-o-leite. Acesso em: 14 out. 2013.

PALADINI, E. P. Gestão estratégica da qualidade: princípios, métodos e processos. São Paulo: Atlas, 2008.

PASCHE, I. M.; FERREIRA, G. M. V. Gestão da qualidade nas agroindústrias: um estudo exploratório no município de Marau-RS. Extensão Rural, Santa Maria, n. 20, p. 49-79, jul./dez. 2010. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/extensaorural/article/view/5550/3275. Acesso em 15 set. 2017.

PINTO, A. L. D.; PAIVA, C. L. Desenvolvimento de uma massa funcional pronta para

tortas utilizando o método de Desdobramento da Função Qualidade (QFD). Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 30, n. 1, p. 36-43, mai. 2010.

PINTO, S. H. B.; CARVALHO, M. M.; HO, L. L. Implementação de programas de qualidade: um survey em empresas de grande porte no Brasil. Gestão & Produção,v. 13, n. 2, p.191-203, maio/ago. 2006.

QUEIROZ, S. H. Motivação dos quadros operacionais para a qualidade sob o enfoque da Liderança Situacional. 1996. 157f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1996.

REZENDE, C. F.; ANDRADE, D. M, J.; REZENDE, D. C. O processo de sucessão em empresas familiares: um estudo de caso no ramo de laticínios no sul de Minas Gerais. Organizações Rurais e Agroindustriais, v. 6, n. 1, p. 107-118, jan./jun. 2004.

ROBIM, M. S. Pesquisa de fraude no leite UAT integral comercializado no estado do Rio de Janeiro e comparação entre os métodos de analises fisicoquímicas oficiais e o método de ultrassom. Revista Instituto de Laticínios Cândido Tostes, v. 389, n. 67, p. 43-50, 2012.

RUIZ, J. A. Metodologia científica: guia para eficiência nos estudos. São Paulo: Atlas, 1996.

SANTOS, A. B.; ANTONELLI, S. C. Aplicação da abordagem estatística no contexto da gestão da qualidade: uma survey com indústrias de alimentos de São Paulo. Gestão & Produção, v. 18, n. 3, p. 509-524. 2011.

SANTOS, I. M.; MEDEIROS, D. D. Adição de uma nova perspectiva ao BSC para avaliar o SGQ em empresas de serviços certificadas com a norma ISO 9001:2000. Revista Gestão Industrial, v. 4, n. 2, p. 17-33. 2008.

SCALCO, A. R. Estratégias e tendências da agroindústria de laticínios brasileira. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DA PRODUÇÃO, 17, 1998, Niterói. Anais eletrônicos... Rio de Janeiro: ABEPRO, 1998. Disponível em: http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP1998_ART178.pdf. Acesso em: 15 mar. 2012.

SCALCO, A. R. Proposição de um modelo de referência para gestão da qualidade na cadeia de leite e derivados. 2004. 225f. Tese (Doutorado em Engenharia da Produção) – Universidade Federal de São Carlos. São Carlos, 2004.

SCALCO, A. R.; TOLEDO, J. C. Gestão da qualidade em laticínios do estado de São Paulo: situação atual e recomendações. RAUSP, v. 37, n. 2, p. 17-25, abr./jun. 2002.

SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas). Fatores condicionantes e taxa de mortalidade de empresas no Brasil. Relatório de pesquisa. Brasília. 2004.

SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas). Sobrevivência e mortalidade das MPE. Fatores condicionantes. 2007.

SILVA, C. E. S.; GONÇALVES, T. C. C. Proposta de utilização do Quality Function Deployment (QFD) no sistema de análise de pontos críticos de controle (APPCC) na produção de refeições. Revista GEPROS, v. 1, n. 3, p. 113-123, ago. 2006.

SLACK, N. et al. Administração da produção. São Paulo: Atlas, 2009.

SOUZA, C. C. et al. A percepção de compradores sobre a qualidade da carne suína in natura no mercado varejista de Campo Grande (MS). Extensão Rural, Santa Maria, v. 23, n. 3, p. 151-168, jul./set. 2016. Disponível em: . Acesso em: 15 set. 2017.

SPEXOTO, A. A.; OLIVEIRA, C. A. F.; OLIVAL, A. A. Aplicação do sistema de análise de perigos e pontos críticos de controle em propriedade leiteira tipo A. Ciência Rural, v. 35, n. 6, p.1424-1430, nov./dez., 2005.

TOLEDO, J. C.; BATALHA, M. O.; AMARAL, D. C. Qualidade na indústria agroalimentar: situação atual e perspectivas. Revista de Administração de Empresas – RAE, v. 40, n. 2, p. 90-101, abr./jun. 2000.

UEPG – Universidade Estadual de Ponta Grossa. Dicionário Histórico e Geográfico dos Campos Gerais. Disponível em: http://www.uepg.br/dicion/campos_gerais.htm. Acesso em: 15 jan. 2014.

VILELA, N. J.; MACEDO, M. M. C. Fluxo de poder no agronegócio: o caso das hortaliças. Horticultura Brasileira, v. 18, n. 2, p. 88-94, jul. 2000.

VINHOLIS, M. M. B.; AZEVEDO, P. F. Segurança do alimento e rastreabilidade: o caso BSE. Revista de Administração de Empresas - RAE, v.1, n. 2, jul./dez. 2002.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2318179624657

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

Licença Creative Commons
Revista Extensão Rural está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

...................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

*** DESDE 2014 O PERIÓDICO É PUBLICADO TRIMESTRALMENTE***

.....................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

Geral: 10.5902/23181796 (os especificos estão nos RESUMOS - clique sobre o titulo do trabalho, no sumário) 


Revista Extensão Rural

ISSN impresso: 1415-7802

ISSN on-line: 2318-1796

.........................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

INDEXADORES -  INDEXERS

INTERNACIONAL: 1- AGRIS 2- Latindex-Directorio 3- Diretório Luso-Brasileiro 4- REDIB 5- Journals for Free 6- EZB Nutzeranfragen 7- OAJI 8 - ROAD

NACIONAL: 9- AGROBASE 10- Portal livRe! 11- Sumários.org 12- Diadorim 13- Portal SEER 14- Portal de Periódicos CAPES 15- Rede Cariniana 16- Google Scholar 17 - Sabiia

 ...................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

CONTATO:
E-mail: atendimento.extensao.rural@gmail.com- Campus Universitário - Departamento de Educação Agrícola e Extensão Rural/Centro de Ciências Rurais/Universidade Federal de Santa Maria - Prédio 44 (CCR II) - 1º Piso - CEP: 97105-900 - Santa Maria - RS - BRASIL. 

 

"Os trabalho publicados na revista Extensão Rural são de responsabilidade dos seus autores e não representam necessariamente a opinião dos editores. Reprodução dos trabalhos é permitida, desde que a fonte seja citada."

.........................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

Visite nosso perfil no Facebook

Visite nossa página no Facebook


Baseado no trabalho disponível em https://periodicos.ufsm.br/extensaorural.