Resultados de pesquisas sobre as políticas de avaliação em larga escala em educação e seus impactos na escola

Claudia de Oliveira Fernandes, Henrique Dias Gomes de Nazareth

Resumo


O presente artigo tem como pano de fundo teórico o debate acerca do papel social da educação escolar, pois, ao optar por pesquisar as políticas de avaliação em larga escala e seus impactos na escola, somos impulsionados por anseios de mudanças da realidade social e escolar, pela indignação frente aos quadros de fracasso escolar e pela latente vontade de visibilizar as experiências democráticas de educação existentes. O texto apresenta resultados de investigações realizadas no âmbito do grupo de pesquisas, discutindo as repercussões dos testes de larga escala para o cotidiano de escolas do município do Rio de Janeiro, com foco nas práticas das(os) professoras (es). Desvela também as astúcias e táticas (CERTEAU, 2008) que acontecem nas escolas quando os resultados dos testes de larga escala ficam associados às políticas bonificação, com ênfase na meritocracia. Tais táticas se revelam de muitas formas. Em especial, destacamos a prática observada nas escolas pesquisadas que, com o intuito de aumentar os índices de desempenho das mesmas, a equipe docente comunica aos responsáveis pelas crianças com necessidades educativas especiais que elas podem permanecer em casa nos dias dos exames externos. Essa medida revela o quanto a política de avaliação externa quando associada a políticas de bonificação afeta sobremaneira o papel social da escola. Os estudos não podem ser generalizados, pois são estudos de caso, mas revelam questões importantes para o campo da avaliação na sua relação com o papel social da educação escolar.


Palavras-chave


avaliação em larga escala; cotidiano escolar; políticas meritocráticas

Texto completo:

PDF

Referências


AFONSO, Almerindo J. Sociologia da Avaliação: problemas de delimitação de um campo teórico-conceptual. Políticas Educativas e Avaliação Educacional. Braga: Universidade do Minho, pp. 74-76, 1998.

_____________ Avaliação educacional: regulação e emancipação: para uma sociologia das políticas avaliativas contemporâneas. 4ª ed. São Paulo: Cortez, 2009.

APPLE, Michael W. Para além da lógica do mercado: Compreendendo e opondo-se ao neoliberalismo. Rio de Janeiro: DP&A Editora. 2005.

CERTEAU, Michael. A invenção do cotidiano. 1. Artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 2008.

ESTEBAN, Maria Teresa. A avaliação no cotidiano escolar. In: ESTEBAn, M. T. (org.) Avaliação: uma prática em busca de novos sentidos. Rio de Janeiro, ed. DP&A, 1999, 1ª edição.

____________________. Silenciar a polissemia e invisibilizar os sujeitos: indagações ao discurso sobre a qualidade da educação. Portugal, Universidade do Minho, Revista Portuguesa de Educação, 2008, 21(1), pp. 5-31.

FERNANDES, Claudia de O. A necessária superação da dicotomia no debate séries-ciclos na escola obrigatória. Cadernos de Pesquisa, v.40, n.141, p.881-894, set./dez. 2010a.

________________________. Avaliação: um diálogo com professores. In: SILVA, J., HOFFMAN, J. e ESTEBAN, M. T.(orgs.) Práticas Avaliativas em todas as áreas: rumo às aprendizagens significativas. Porto Alegre, Ed. Mediação, 2010, 7ª edição.

FERNANDES, Domingos. Avaliar para aprender. São Paulo, Editora UNESP, 2009.

FREITAS, Luiz Carlos. et al. Avaliação educacional: caminhando pela contramão. Petrópolis: Vozes, 2009.

LOCH, Jussara M. de Paula. O desafio da ética na avaliação. In: SILVA, J., HOFFMAN, J. e ESTEBAN, M. T.(orgs.) Práticas Avaliativas em todas as áreas: rumo às aprendizagens significativas. Porto Alegre, Ed. Mediação, 2010, 7ª edição.

NAZARETH, Henrique. D. G. Qualidade da educação e avaliação: uma análise na mídia impressa. Relatório de pesquisa de iniciação científica, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, UNIRIO, 2011.

RIO DE JANEIRO (RJ). Secretaria Municipal de Educação. Educação em Números. Rio de Janeiro. 2018a. Disponível em: http://www.rio.rj.gov.br/web/sme/educacao-em-numeros. Acesso em 15/05/2018.

________________________. Educação Especial. Rio de Janeiro. 2018b. Disponível em: http://www.rio.rj.gov.br/web/sme/educacao-especial. Acesso em 29/05/2018.

________________________. Resolução SME nº 1078, de 27 de maio de 2010. D. O. Rio, Rio de Janeiro, 27 maio, 2010.

SANTOMÉ, J. T. A Instituição Escolar e a Compreensão da Realidade: o Currículo Integrado. In: HERON, L. da. et al. (orgs.) Novos Mapas Culturais/ Novas Perspectivas Educacionais. Porto Alegre, Ed. Sulina, pp.58-74, 1996.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1984686X32906

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoespecial.ufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial

 

ISSN eletrônico: 1984-686X

DOI10.5902/1984686X

Qualis/Capes: Educação A2

 

 

Periodicidade – Trimestral

Primeiro trimestre, jan./mar., limite para publicar a edição 31 março.

Segundo trimestre, abr./jun., limite para publicar a edição 30 junho.

Terceiro trimestre, jul./set., limite para publicar a edição 30 setembro.

Quarto trimestre, out./dez., limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International (CC BY-NC 4.0)

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

____________________________________________________