O Atendimento Pedagógico Domiciliar de alunos que não podem frequentar fisicamente a escola por motivos de saúde: Revisão Sistemática das investigações realizadas entre 2002 e 2015

Geraldo Eustáquio Moreira, Helma Salla

Resumo


Esta investigação se relaciona ao atendimento pedagógico domiciliar (APD) no Brasil. Analisou-se as publicações existentes nas bases de dados nacionais sobre o APD, de 2002 a 2015. Especificamente, foram analisados os dados referentes às pesquisas, como o ano de publicação, a modalidade de texto científico, a unidade da federação, o foco das pesquisas e as metodologias utilizadas, observando as categorias e as subcategorias relacionadas ao contexto do APD. Utilizou-se as palavras-chaves dos resumos para a construção de uma lista de descritores presentes nos textos relacionados ao APD, mediante a busca de dados sobre as citações e o fator h. A pesquisa bibliográfica com abordagem quantiqualitativa de investigação foi utilizada para a análise dos trabalhos publicados no portal CAPES e no site Google Acadêmico. O uso da frase “atendimento pedagógico domiciliar” foi utilizado como parâmetro e foram selecionadas 277 pesquisas, quando encontraram-se 10 trabalhos relacionados ao APD. Foram utilizados o software Harzing’s Publish, o Mendeley, o OringinPro8 e o Word clud art para as análises e, para os resultados mais significativos, foram feitas as nuvens de tags. Os resultados demostraram que existe, no Brasil, poucos pesquisadores preocupados com os contextos e a efetivação do APD; que existe formação inicial e continuada na área do APD, mesmo que de forma pontual, sendo a maioria na região Sul; que o índice h de muitos trabalhos era inexistente ou zero, sendo 2 o maior, o que demonstra uma pesquisa científica ainda pouco significativa na área do APD. Neste sentido, existe uma área de investigação crescente relacionada ao APD, que possibilita o crescimento da formação e informação de uma sociedade preocupada com o esse tipo de atendimento pedagógico.

Palavras-chave


Pedagogia Hospitalar; Atendimento Pedagógico Domiciliar; aluno acamado.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Classe hospitalar e atendimento pedagógico domiciliar: estratégias e orientações. Secretaria de Educação Especial. Brasília: MEC/SEESP, 2002.

BITTENCOURT, L. A. F.; PAULA, A. de. Análise Cienciométrica de Produção Científica em Unidades de Conservação Federais do Brasil. Enciclopédia Biosfera, v. 8, n. 14, pp. 2044–2054, 2012.

CORREIA, L. M. Alunos com Necessidades Educativas Especiais nas Classes Regulares de Ensino. Porto: Porto Editora, 1997.

________. Educação Especial e Inclusão: Quem disser que uma vive sem a outra não está no seu perfeito juízo. Porto: Porto Editora, 2003.

________. Inclusão e Necessidades Educativas Especiais: Um guia para educadores e professores. Porto: Porto Editora, 2008a.

________. Dificuldades de aprendizagem específicas: Contributos para uma definição portuguesa. Porto: Porto Editora, 2008b.

DE PAULA, M. E. A. T.; ZAIAS, E.; SILVA, M. C. R. Políticas públicas em defesa do direito à educação: análise dos projetos de lei para expansão das classes hospitalares e atendimentos pedagógicos domiciliares no Brasil. Revista Educação e Políticas em Debate, v. 4, n. 2, pp. 54-68, 2015.

ESTEVES, C. R. Pedagogia hospitalar: um breve histórico. Disponível em: http://www.smec.salvador.ba.gov.br/site/documentos/espacovirtual/espaco-educacao-saude/classes-hospitalares. Acesso em 4 dez. 2015.

GISBERT, J. P.; PANÉS, J. Índice H de Hirsch: una nueva herramienta para medir la producción científica. Cirugía Española, Vol. 86, número 4, pp. 193-1955 2009.

LAPLANE, A. L. F.; JAJBHAY, S. F.; FREDERICO, J. C. C. Crianças com doença renal crônica não estudam? Revista Crítica Educativa, v. 1, n. 2447-4223, p. 218-229, 2015.

MARQUES, F. Os limites do Índice H. Pesquisa Fapesp, v. 207, p. 35-39, 2013.

MINAYO, M. C. S. Pesquisa social teoria método e criatividade. In: MINAYO, M. C. S. (Org.). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 29 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

MOREIRA, G. E. Resolvendo problemas com alunos com Transtornos Globais do Desenvolvimento: desafios e conquistas. Educação Matemática em Revista-RS, v. 01, n. 15, 2014. pp. 38-48.

________. A Educação Matemática Inclusiva no contexto da Pátria Educadora e do novo PNE: reflexões no âmbito do GD7. Educação Matemática em Pesquisa. São Paulo, v. 17, n. 3, 2016a. pp. 1-10.

________. O ensino de Matemática para alunos surdos: dentro e fora do texto em contexto. Educação Matemática em Pesquisa. Vol. 18, n. 2. São Paulo, 2016b. pp. 741-757.

MOREIRA, G. E.; MANRIQUE, A. L. O que pensam os professores que ensinam Matemática sobre a inclusão de alunos com NEE? Perspectivas sociológicas e educacionais em estudos da criança: as marcas das dialogicidades. Revista Luso-brasileira, 2012.

________. Educação inclusiva: representações sociais de professores que ensinam matemática. In: TARTUCI, D. Educação Especial e Inclusão: das políticas públicas às práticas educativas. Poíesis Pedagógica, UFG, vol. 12, pp. 127-149, 2014a.

________. Percepções dos professores acerca da inclusão de alunos com NEE em aulas de Matemática em Braga (Portugal) e no Distrito Federal (Brasil). Perspectivas da Educação Matemática, v.7, n. 14, pp. 136-201. 2014b.

________. Challenges in Inclusive Mathematics Education: Representations by Professionals Who Teach Mathematics to Students with Disabilities. Creative Education, 5, 470-483, 2014c.

PETERS, I. O direito à educação da criança em tratamento de saúde. Trabalho de Conclusão de Curso. Curitiba: Universidade Federal do Paraná-UFPR, 2015.

SALLA, H.; SANTOS, P. F.; RAZUCK, R. C. de S. R. Atendimento Domiciliar: ações e reflexões sobre a inclusão de um aluno com polineuropatia sensitivo motora. In: CAIXETA, J. E.; SOUSA, M. A.; SANTOS, P. F. (Ed.). Educação e Psicologia: mediações possíveis em tempos de inclusão. Curitiba, PR: Editora CVR, 2015. p. 173-192.

THOMAZ, P. G.; ASSAD, R. S.; MOREIRA, L. F. P. Uso do Fator de impacto e do índice H para avaliar pesquisadores e publicações. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, v. 96, n. 2, p. 90-93, 2011.

XAVIER, L. Pedagogia hospitalar: que espaço é esse? 2013. Trabalho de Conclusão do Curso. Universidade Federal do Rio Grande do Sul-UFRS, Porto Alegre, 2013.

YAMAKAWA, E. K.; KUBOTA, F. I.; BEUREN, F. H.; SCALVENZI, L.; CAUCHICK-MIGUEL, P. A. Comparing the bibliographic management softwares: Mendeley, EndNote and Zotero. Revista Comunicação, v. 26, n. 2, p. 167-176, 2014.

VYGOTSKI, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

________. Obras Escogidas V. Fundamentos de defectologia. Madrid: Visor, 1997.

________. Psicologia pedagógica. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

________. Teoria e método em Psicologia. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

________. La imaginación y el arte em la infancia. Madrid: Akal, 2007.

________. A defectologia e o estudo do desenvolvimento e da educação da criança anormal. Revista Educação e Pesquisa, v. 37, n. 4, p. 861-870, 2011.

ZAIAS, E.; DE PAULA, E. M. A produção acadêmica sobre práticas pedagógicas em espaços hospitalares: análise de teses e dissertações. Revista Educação, Unisinos, v. 14, n. 3, p. 222-232, 2010. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/educacao/article/view/701. Acesso em 20 out. 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1984686X26680

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoespecial.ufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial

 

ISSN eletrônico: 1984-686X

DOIhttp://dx.doi.org/10.5902/1984686X

Qualis/Capes: Educação A2

 

 

Periodicidade – Publicação contínua


O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International (CC BY-NC 4.0)

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

____________________________________________________