Escala diagramática para quantificação da severidade de manchas em folhas de Eucalyptus globulus Labill. causadas por Teratosphaeria nubilosa (Cooke) Crous & U. Braun

Martha Maria Passador, Alex Sander Porcena, Marcus Vinícius Masson, Cristiane de Pieri, Elder Finkenauer, Edson Luiz Furtado

Resumo


http://dx.doi.org/10.5902/198050989296

A mancha foliar (mancha de micosferela) causada por Teratosphaeria nubilosa tem acarretado prejuízos em plantios de eucalipto na região Sul e Sudeste do Brasil. A necessidade de avaliar a doença no campo e os danos causados pela mesma, bem como a busca de formas eficientes de controle e a utilização de germoplasma, leva à necessidade em ter uma escala visual para quantificação da severidade da doença. O objetivo deste trabalho foi elaborar uma escala diagramática com folhas jovens e com folhas adultas de Eucalyptus globulus, para avaliação de mancha de micosferela. Para tal, as folhas coletadas em campo foram escaneadas para digitalização da imagem. Determinou-se a área lesionada, área foliar sadia e área total em escala RGB (Red, Green, Blue). Posteriormente, determinaram-se os níveis de severidade em função da distribuição da amostra, sendo sete níveis para folhas jovens e seis para folhas adultas. Para o teste de acuidade visual e validação da escala, as folhas foram submetidas à avaliação da severidade, com e sem escala. Com a adoção das escalas propostas, a totalidade dos avaliadores apresentou boa acurácia, tanto para folhas jovens como para adultas com R2=0,98 e R2=0,80, respectivamente. A importância da elaboração de escalas diagramáticas para quantificar a severidade de mancha em eucalipto deve-se ao fato de permitir a quantificação dos sintomas de forma acurada e precisa.


Palavras-chave


<i>Eucalyptus globulus</i>; mancha de micosferela; avaliação de doença

Texto completo:

PDF

Referências


AMORIM, L. et al. Clorose variegada dos citros: uma escala diagramática para avaliação da severidade da doença. Fitopatologia Brasileira, Brasília, v. 18, n. 2, p. 174-180, mar/abr. 1993.

AMORIM, L. et al. Metodologia de avaliação da ferrugem da cana-de-açúcar (Puccinia melanocephala). Boletim Técnico Copersucar , v. 39, p.13-16, 1987.

ANDRADE, G. C. G. et al. Escala diagramática para avaliação da severidade da mancha foliar do eucalipto causada por Quambalaria eucalypti. Fitopatologia Brasileira, Brasília, v.30, n.5, p. 504-509, set/out. 2005.

BERGAMIN FILHO, A.; AMORIM, L. Doenças de plantas tropicais: epidemiologia e controle econômico. São Paulo: Agronômica Ceres, 1996. 299 p.

CARNEGIE, A. J.; KEANE, P. J. Mycosphaerella vespa from diseased Eucalyptus leaves in Australia. Mycological Research, n. 102, p.1274–1276, Oct.1998.

CARNEGIE, A.J. Forest health condition in New South Wales, Australia, 1996–2005. I Fungal damage recorded in eucalypt plantations during forest health surveys and their management. Australasian Plant Pathology, v. 36, p. 225–239, May 2007.

CROUS, P. W. Mycosphaerella spp. and their anamorphs associated with leaf spot diseases of Eucalyptus. Mycologia Memoirs, v. 21, p. 170, 1998.

CROUS, P. W.; BRAUN, U.; GROENEWALD, J. Z. Mycosphaerella is polyphyletic. Studies in Mycology, v.58, p.1–32, Aug. 2007.

FISCHER, I. H. et al. Elaboração e validação de escala diagramática para quantificação da severidade da antracnose em frutos de maracujá amarelo. Summa phytopathologica, v. 35, n. 3, p. 226-228, jul/set. 2009.

GAUNT, R. E. Measurement of disease and pathogens. In: TENG, P. S. (Ed.) Crop Loss Assessment and Pest Management. St. Paul: APS Press, p.6-18, 1987.

GAUNT, R. E. The relationship between plant disease and severity and yield. Annual Review of Phytopathology v. 33, p. 119-144, Sept. 1995.

GODOY, C. V. et al. Diagrammatic scales for bean diseases: Development and validation. Journal of Plant Disease and Protection, v. 104, n.4, p.336-345, Nov. 1997.

HALFELD-VIEIRA, B. A.; NECHET, K. L. Elaboração e validação de escala diagramática para avaliação da mancha-de-cercospora em melancia. Fitopatologia Brasileira, v. 31, n. 1, p. 46-50, jan/fev. 2006.

HORSFALL, J. C.; BARRATT, R. W. An improved grading system for measuring plant diseases. Phytopathology, v. 35, p. 665, Nov. 1945.

HUNTER G. C. et al. Teratosphaeria nubilosa, a serious leaf disease pathogen of Eucalyptus spp. in native and introduced areas. Molecular Plant Pathology, v. 10, n. 1, p. 1-14, Jan. 2008.

HUNTER, G. C. et al. Mycosphaerella species causing leaf disease in South African Eucalyptus plantations. Mycological Research, n.108, p. 672–681, June, 2004.

JUNGHANS , D. T. et al. Escala de Notas para Quantificação da Ferrugem em Eucalyptus. Fitopatologia Brasileira, v. 28, n.2, mar/abril. 2003.

KOWATA, L. S. et al. Escala diagramática para avaliar severidade de míldio na soja. Scientia Agraria (UFPR), v. 9, p. 105-110, 2008.

MASSOM, M. V. et al. Escala diagramática para determinação de mancha foliar do Eucaliptus, causada por Mycosphaerella nubilosa. In: CONGRESSO PAULISTA DE FITOPATOLOGIA, 31., 2008, Campinas, SP. Summa Phytopathologica, v. 34. p. S66-S66, 2008.

MAXWELL, A. et al. Mycosphaerella species associated with Eucalyptus in south-western Australia: new species, new records and a key. Mycological research, v. 107, p. 53-63, Mar. 2003.

MAZARO, S. M. et al. Escala diagramática para avaliação da severidade da mancha-de-micosferela em morangueiro. Ciencia Rural, v. 36, n. 2, p. 648-652, mar/abr. 2006.

MICHEREFF, S. J. et al. Elaboração e validação de escala diagramática para a cercosporiose do pimentão. Summa phytopathologica, v. 32, n. 3, jul/set. 2006.

NUTTER Jr., F. W. et al. Disease assessment terms and concepts. Plant Disease, n.75, p.1187-1188, June 1991.

NUTTER Jr., F. W; SCHULTZ, P. M. Improving the accuracy and precision of disease assessments: selection methods and use of computer-aided training programs. Canadian Journal of Plant pathology, v. 17, n. 1, p. 174-184, Aug. 1995.

PÉREZ, G. et al. Teratosphaeria (Mycosphaerella) nubilosa, the causal agent of Mycosphaerella Leaf Disease (MLD), recently introduced into Uruguay. European Journal of Plant Pathology, v. 125, n. 1, p. 109–118, Sept. 2009.

RENAUD, M. S. A. et al. Escala diagramática para avaliação da mancha marrom de alternaria de citros. Summa phytopathologica, v. 34, n. 3, p. 270-271, jul/set. 2008.

ROCHA, M. E. N.; SANTOS, C. L. O uso comercial e popular do eucalipto Eucalyptus globulus Labill- Myrtaceae. Saúde & Ambiente em Revista, v. 2, n. 2, p. 23-34, jul/dez., 2007.

RODRIGUES, J. C. V. et al. Elaboração e validação de uma escala diagramática para leprose dos citros. Summa Phytopathologica, v. 28, 192-196, nov. 2002.

ZAMPROGNO, K. C. et al.Utilização de análise de segregantes agrupados na identificação de marcadores ligados a genes que controlam resistência à ferrugem (Puccinia psidii) em Eucalyptus spp. Summa Phytopathologica, v.34, p. 253-255, abr/mai. 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/198050989296

Licença Creative Commons