Estabelecimento a campo de mudas de Eucalyptus grandis micorrizadas com Pisolithus microcarpus (UFSC Pt 116) em solo arenoso.

Andréa Hentz de Mello, Zaida Inês Antoniolli, João Kaminski, Eduardo Lorensi de Souza, Guilherme Karsten Schirmer, Rafael Goulart Machado, Manoeli Lupatini, Carlos Moro Júnior

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar a sobrevivência e o crescimento inicial de mudas de eucalipto micorrizadas com o fungo ectomicorrízico Pisolithus microcarpus (UFSC Pt 116), após o transplante para uma área sujeita à arenização no município de São Francisco de Assis, RS. A área foi dividida em quatro blocos, cada qual com quatro tratamentos (turfa fértil com e sem fungo, Neossolo Quartzarênico com e sem fungo). Cada parcela foi composta por 16 mudas dispostas em quatro linhas no espaçamento de 1,5 m x 1,5 m, totalizando em cada bloco 64 mudas. Aos 90 dias após o plantio no campo, as mudas de eucalipto produzidas no substrato turfa fértil com fungo, apresentaram uma taxa de sobrevivência de 100%, enquanto que as produzidas em turfa fértil sem fungo, a taxa de sobrevivência foi de 92%. As mudas produzidas no Neossolo Quartzarênico com e sem fungo tiveram uma taxa de sobrevivência variando em torno de 98 e 89% respectivamente. As mudas produzidas com turfa e fungo apresentaram diferenças significativas no crescimento em altura, e diâmetro do caule. Conclui-se que mudas de Eucalyptus grandis produzidas em substrato turfa fértil e micorrizadas com o isolado Pisolithus microcarpus (UFSC Pt 116), conseguem manter bom estabelecimento e desenvolvimento no campo.


Palavras-chave


fósforo; fungos ectomicorrízicos; substrato.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, J. R. et al. Efeito de inoculante ectomicorrízico produzido por fermentação semi-sólida sobre o crescimento de Eucalyptus dunnii Maiden. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 36, n. 2, p. 307-313, fev. 2001.

ANDREAZZA, R. et al. Espécies de Pisolithus sp. na produção de mudas de E. grandis Hill ex Maiden em solo arenoso. Ciência Florestal. Santa Maria, v. 14, n. 2, p. 51-59, jul./dez. 2004.

AUGUSTO, D. C. C. et al. Utilização de esgotos domésticos tratados através de um sistema biológico na produção de mudas de Croton floribundus Spreng. (capixingui) e Copaifera langsdorffii Desf. (copaíba). Revista Árvore, Viçosa, v. 27, n. 3, p. 335-342, maio/jun. 2003.

BARROS, N. F.; BRANDI, R. M.; REIS, M. S. Micorriza em eucalipto . Uma revisão sobre a morfologia, a fisiologia e os efeitos mútuos da associação fungo-planta. Revista Árvore. Viçosa, v. 2, n. 2, p.130-140, jul./dez. 1978.

BELLEI, M.; CARVALHO, M. S. Ectomicorrízas. In: CARDOSO, E. J. B. N; TSAI, S. M.; NEVE, M. C. P . Microbiologia do Solo. Campinas: SBCS, 1992. p. 297-318.

CORDEIRO, M. A. S. et al. Colonização e densidade de esporos de fungos micorrízicos em dois solos do cerrado sob diferentes sistemas de manejo. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 35, n. 3, p. 147-153, set./dez. 2005.

EMBRAPA - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Centro Nacional de Pesquisa de Solos. Sistema brasileiro de classificação de solos. 2. ed. Brasília, Embrapa/Produção de Informação; Rio de Janeiro, Embrapa Solos, 2006. 306 p.

FERREIRA, D. F. Sistemas de análise estatística para dados balanceados. Lavras: UFLA/DEX/SISVAR, 2000. 145 p.

GERDEMANN, J. W.; NICOLSON, T. H. Spores of mycorrhizal Endogone species extracted from soil by wt-sieving and decanting. Transactions of British Mycological Society. London, v. 46, p. 235-244, 1963.

GIOVANETTI, M.; MOSSE, B. An evaluation of techniques for measuring vesicular arbuscular mycorrhizal infection in roots. New Phytologist. Cambridge, v. 84, p. 489-500, 1980.

GONÇALVES, J. L, M. Relatório de pesquisas sobre nutrição mineral de espécies nativas. Piracicaba: CESP-ESALQ-IPEF. 1994. 25 p.

GRACE, C.; STRIBLEY, D. P. A safer procedure for routine staining of vesicular-arbuscular mycorrhizal fungi. Mycological Research, Cambridge, v. 95, n. 10, p. 1160-1162, 1991.

HAAG, H. P. et al. Análise foliar em cinco espécies de Eucalyptus. IPEF, Piracicaba, n. 13, p. 99-115, 1976.

HARIDASAN, M.; CALDAS, L. S.; ENCINAS, J. I. Níveis de nutrientes foliares de algumas espécies de eucaliptos em um latossolo do Distrito Federal. Savanas: alimento e energia In: VI SIMPÓSIO SOBRE O CERRADO, 6., 1988, Brasília Anais... Brasília: EMBRAPA/CPAC, 1988. p. 399-407.

JENKINS, W. R. A rapid centrifugal-floration technique for separating nematodes from soil. Plant Disease Reporter, Washington, v. 48, n. 9, p. 692, 1964.

KOSKE, R. E.; GEMMA, J. N. A modified procedure for roots to detect VA mycorrhizas. Mycological Research, Cambridge, v. 92, n. 4, p.458-488, 1989.

MALAVOLTA, E. Elementos de nutrição mineral de plantas. São Paulo: Ceres, 1980. 251 p.

MARX, D. H.; CORDELL, C. E. The use of specific ectomycorrhizas to improve artificial forestation practices. In: WHIPPS, J. M.; LUMSDEN, R. D. (Eds.). Biotechnology of fungi for improving plant growth. New York: Academic Press, 1989. p. 1-25.

MOLLER, D.O.et al. Diagnóstico sobre a presença de areais na região sudoeste do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: SUDESUL, 1975.

NEWMAN, E. E. J. A method of estimating the total length of root sample. Journal of Applied Ecology, London, v. 3, p.139-45, 1966.

PEREIRA, O. L. et al. Compatibilidade e formação de ectomicorrizas entre isolados de Pisolithus e Eucalyptus spp. Revista Brasileira de Ciência do Solo. Viçosa, v. 29, n. 3, p. 337-344, maio/jun. 2005.

SANTOS, I. S. Fungos micorrízicos arbusculares em ambiente de mata atlântica e de Eucaliptos na região de Entre Rios, Bahia. 2001. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal da Bahia, Salvador.

SILVA, R. F. et al. Fungos ectomicorrízicos no desenvolvimento de mudas de E. grandis Hill ex Maiden. Bioscience Journal, Uberlândia, v. 19, n. 3, p. 9-17, set./dez. 2003.

SMITH, S.; READ, D. Mycorrhizal symbiosis. London: Academic Press. 1997. 605 p.

SOUZA, L. A. B.; SILVA FILHO, G. N.; OLIVEIRA, V. L. Eficiência de fungos ectomicorrízicos na absorção de fósforo e na promoção do crescimento de eucalipto. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 39, n. 4, p. 349-355, abr. 2004.

TEDESCO, K. J. Análise do solo, plantas e outros materiais. 2. ed. Porto Alegre: UFRGS, Departamento de Solos, 1995.174 p.

TRAPPE, J. M.; FOGEL, R. D. Ecosystematic functions of mycorrhizae. In: The bellow ground ecosystem: A synthesis of plant-associated process. Rang Science, Fort Collins, v. 26, n. 3, p.205-244, 1977.

ZAMBOLIM, L.; BARROS, N. F. Constatação de micorriza vesículo-arbuscular em Eucalyptus spp na região de Viçosa, MG. Revista Árvore, Viçosa, v. 6, n. 1, p. 95-97, jan./jun. 1982.




DOI: https://doi.org/10.5902/19805098406

Licença Creative Commons