Efeito do tempo e da temperatura de modificação térmica na redução do inchamento máximo da madeira de Eucalyptus grandis Hill ex Maiden

Djeison Cesar Batista, Ivan Tomaselli, Ricardo Jorge Klitzke

Resumo


A modificação térmica de madeiras é uma técnica que foi desenvolvida na década de 40 do século XX e tem sido largamente estudada e aplicada industrialmente na Europa. No Brasil a pesquisa neste tema ainda é pequena e pulverizada, porém vem ganhando destaque atualmente. O objetivo deste trabalho foi avaliar a influência do tempo e da temperatura de modificação térmica na redução do inchamento máximo da madeira de Eucalyptus grandis. De acordo com os resultados obtidos podem-se obter reduções do inchamento volumétrico máximo da madeira de Eucalyptus grandis superiores a 50%. Melhores resultados foram obtidos com a modificação térmica a temperatura de 230°C do que a 200°C. O fator temperatura foi mais significativo do que o fator tempo, uma vez que não houve diferença significativa entre os diferentes tempos utilizados (1, 2 e 3 horas). Não houve interação significativa entre estes fatores na modificação térmica.


Palavras-chave


modificação térmica; madeira; Eucalyptus grandis

Texto completo:

PDF

Referências


BORGES, L. M.; QUIRINO, W. F. Higroscopicidade da madeira de Pinus caribaea var hondurensis tratado termicamente. Biomassa & Energia, Viçosa, v. 1, n. 2, p. 173-182, abr./jun. 2004.

BRITO, J. O. et al. Densidade Básica e Retratibilidade da Madeira de Eucalyptus grandis, submetida a diferentes temperaturas de termorretificação. Cerne, Lavras, v. 12, n. 2, p. 182-188, abr./jun. 2006.

CINIGLIO, G. Avaliação da secagem de madeira serrada de E. grandis e E. urophylla. Piracicaba, 1998. 69 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal)–Escola superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 1998.

COPANT (COMISSÃO PANAMERICANA DE NORMAS TÉCNICAS). Método de determinación de la contracción – Norma panamericana COPANT 462, 1972.

FENGEL, D.; WEGENER, G. Wood, chemistry, ultraestructure, reactions. Berlin: Walter de Gruiter & Co., 1984.

FINNISH THERMOWOOD ASSOCIATION. Thermowood Handbook. Helsink, 2003. 66 p.

KOLLMANN, F. F. P.; CÔTÉ JUNIOR, W. A. Principles of wood science and technology. Berlin: Springer-Verlag, 1968. 592 p.

PEREIRA, J. C. D. et al. Características da madeira de algumas espécies de eucalipto plantadas no Brasil. Colombo: Embrapa Florestas, 2000. 113 p. (Embrapa Florestas. Documentos, 38).

PINCELLI, A. L. P. S. M.; BRITO, J. O.; CORRENTE, J. E. Avaliação da termorretificação sobre a colagem na madeira de Eucalyptus saligna e Pinus caribaea var. hondurensis. Scientia Forestalis, Piracicaba, n. 61, p. 122-132, jun. 2002.

PINHEIRO, P. C. C., SAMPAIO, R. S., REZENDE, M. E. A. A produção de carvão vegetal: teoria e prática. 2. ed. rev. e ampl. Belo Horizonte, 2008. 120 p.

PONCSÁK, S. et al. A. Effect of high temperature treatment on the mechanical properties of birch (Betula papyrifera). Wood Science and Technology, Berlin, n. 40, p. 647-663. 2006.

QUIRINO, W. F. Utilização Energética dos Resíduos Vegetais. Brasília: LPF, 2002. 31 p.

ROCHA, M. P. Eucalyptus grandis Hill ex Maiden e Eucalyptus dunnii Maiden como fontes de matéria-prima para serrarias. Curitiba, 2000. 185 f. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2000.

SBS (SOCIEDADE BRASILEIRA DE SILVICULTURA). Disponível em: Acesso em 18 de março de 2008.

SHI, J. L.; KOCAEFE, D.; ZHANG, J. Mechanical behaviour of Québec wood species heat-treated using Thermo Wood process. Wood Science and Technology, Berlin, n. 65, p. 255-259, Mar. 2007.

SKAAR, C. Water in Wood. Syracuse: Syracuse University Press, 1972. 218 p.

STAMM, A. J. Wood and Cellulose Science. New York: The Ronald Press Company, 1964. 549 p.

VITAL, B. R., DELLA LUCIA, R. M. Efeito do aquecimento na estabilidade dimensional e na higroscopicidade da madeira. Revista Árvore, Viçosa, n. 6, v. 2, p. 150-161. 1982.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/198050983810

Licença Creative Commons