Hidrogel e frequências de irrigação na sobrevivência, crescimento e trocas gasosas em <i>Eucalyptus urograndis</i>

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5902/1980509836889

Palavras-chave:

Polímero hidrorretentor, Irrigação intermitente, Deficit hídrico

Resumo

O objetivo do trabalho foi avaliar o efeito do hidrogel no plantio de mudas clonais de Eucalyptus urograndis em vasos, relacionados com diferentes manejos hídricos, buscando fornecer informações sobre a eficiência do uso do hidrogel. O experimento foi conduzido em viveiro florestal, esquema fatorial, em que o fator “A” se referiu à ausência e à presença de hidrogel e o fator “B” ao manejo hídrico (irrigação somente no plantio, 8 dias, 4 dias e diariamente). Foram realizadas avaliações da sintomatologia do estresse hídrico, características morfológicas, teores de clorofila, teor de água no solo, trocas gasosas, incremento em diâmetro e altura e biomassa seca. O hidrogel proporcionou um aumento no teor de água no solo e um atraso nos sintomas de estresse hídrico, aumentando a taxa de sobrevivência. O estresse hídrico foi um fator limitante para a abertura estomática, contribuindo para a queda na assimilação de carbono pela fotossíntese.

Biografia do Autor

Dionéia Felippe, Universidade do Estado de Santa Catarina, Lages, SC

Engenheira Florestal, Mestre em Engenharia Florestal, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Av. Luiz de Camões, 2090, CEP 88520-000, Lages (SC), Brasil.

Marcio Carlos Navroski, Universidade do Estado de Santa Catarina, Lages, SC

Engenheiro Florestal, Professor Associado do Departamento de Engenharia Florestal, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Av. Luiz de Camões, 2090, CEP 88520-000, Lages (SC), Brasil.

Jean Alberto Sampietro, Universidade do Estado de Santa Catarina, Lages, SC

Engenheiro Florestal, Professor Adjunto do Departamento de Engenharia Florestal, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Av. Luiz de Camões, 2090, CEP 88520-000, Lages (SC), Brasil.

Clenilso Sehnen Mota, Instituto Federal Catarinense, Rio do Sul, SC

Engenheiro Agrônomo, Professor do Instituto Federal Catarinense, Rua Abraham Lincoln, 210, CEP: 89160-202, Rio do Sul – (SC), Brasil.

Mariane de Oliveira Pereira, Universidade do Estado de Santa Catarina, Lages, SC

Engenheira Florestal, Dra., Pós-Doutorado Jr (PDJ), Centro de Ciências Agroveterinárias, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Av. Luiz de Camões, 2090, CEP 88520-000, Lages (SC), Brasil.

Jackson Adriano Albuquerque, Universidade do Estado de Santa Catarina, Lages, SC

Engenheiro Agrônomo, Professor Titular do Departamento de Solos e Recursos Naturais, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Av. Luiz de Camões, 2090, CEP 88520-000, Lages (SC), Brasil.

Ramon Silveira de Andrade, Universidade do Estado de Santa Catarina, Lages, SC

Engenheiro Florestal, Mestrando em Engenharia Florestal, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Av. Luiz de Camões, 2090, CEP 88520-000, Lages (SC), Brasil.

Carolina Moraes, Universidade do Estado de Santa Catarina, Lages, SC

Engenheira Florestal, Mestranda em Engenharia Florestal, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Av. Luiz de Camões, 2090, CEP 88520-000, Lages (SC), Brasil.

Referências

AGABA, A. et al. Effects of hydrogel amendment to different soils on plant available water and survival of trees under drought conditions. Clean: Soil, Air, Water, Weinheim, v. 38, n. 4, p. 328-335, 2010.

ALVARES, C. A. et al. Köppen’s climate classification map for Brazil. Meteorologische Zeitschrift, Stuttgart, v. 22, n. 6, p. 711-728, 2013.

BUZETTO, F. A.; BIZON, J. M. C.; SEIXAS, F. Avaliação de polímero adsorvente à base de acrilamida no fornecimento de água para mudas de Eucalyptus urophylla em pós-plantio. Circular Técnica IPEF, n. 195, p. 1-5, 2002. Disponível em: http://www.ipef.br/publicacoes/ctecnica/nr195.pdf. Acesso em: 15 abr. 2018.

CASAROLI, D.; VAN LIER, Q. J. Critérios para determinação da capacidade de vaso. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, MG, v. 32, p. 59-66, 2008.

CASTRO, V. R. et al. Efeito da disponibilidade hídrica e da aplicação de potássio e sódio no crescimento em diâmetro do tronco de árvores de Eucalyptus grandis. Scientia Forestalis, Piracicaba, v. 45, n. 113, p. 89-99, 2017.

CHAVES, J. H. et al. Seleção precoce de clones de eucalipto para ambientes com disponibilidade diferenciada de água no solo: relações hídricas de plantas em tubetes. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 28, n. 3, p. 333- 341, 2004.

FELIPPE, D. et al. Efeito do hidrogel no crescimento de mudas de Eucalyptus benthamii submetidas a diferentes frequências de irrigação. Floresta, Curitiba, v. 46, n. 2, p. 215-225, 2016.

FERNÁNDEZ, M.; TAPIAS, R.; ALESSEO, P. Adaptación a la sequía y necesidades hídricas de Eucalyptus globulus Labill. en Huelva. Boletín del CIDEU, Huelva, v. 9, n. 8, p. 31-41, 2010.

FERREIRA, D. F. Sisvar: a computer analysis system to fixed effects split plot type designs. Revista Brasileira de Biometria, [s. l.], Lavras, v. 37, n. 4, p. 529-535, 2019.

GONÇALVES, M. R.; PASSOS, C. A. M. Crescimento de cinco espécies de eucalipto submetidas a déficit hídrico em dois níveis de fósforo. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 10, n. 2, p. 145-161, 2000.

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE ÁRVORES. Indústria Brasileira de árvores: ano base 2017. Brasília, DF, 2017. 100 p.

KERBAUY, G. B. Fisiologia vegetal. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2009. 452 p.

KLIPPEL, V. H. et al. Impacto da deficiência hídrica no crescimento inicial de eucalipto. Revista Científica Eletrônica de Engenharia Florestal, [s. l.], v. 23, n. 1, p. 48-59, 2014.

LARCHER, W. Ecofisiologia vegetal. São Carlos: Rima, 2006. 531 p.

LAWLOR, D. W. Limitation to photosynthesis in water-stressed leaves: stomata vs. metabolism and the role of ATP. Annals of Botany, Oxford, v. 89, n. 7, p. 871-885, 2002.

LOPES, J. L. W. et al. Uso de hidrogel na sobrevivência de mudas de Eucalyptus urograndis produzidas com diferentes substratos e manejos hídricos. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 20, n. 2, p. 217-224, 2010.

MENDONÇA, T. G. et al. Hidrogel como alternativa no aumento da capacidade de armazenamento de água no solo. Water Resources and Irrigation Management, Cruz das Almas, v. 2, p. 87-92, 2013.

NASCIMENTO, S. P. D. et al. Tolerance to water déficit of cowpea genotypes. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 15, n. 8, p. 853-860, 2011.

NAVROSKI, M. C. et al. Influência do polímero hidroretentor na sobrevivência de mudas de Eucalyptus dunnii sob diferentes manejos hídricos. Revista Nativa, Sinop, v. 2, n. 2, p. 108-113, 2014.

NAVROSKI, M. C. et al. Redução da adubação e melhoria das características do substrato com o uso do hidrogel na produção de mudas de Eucalyptus dunnii Maiden. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 26, n. 4, p. 1155-1165, 2016.

NAVROSKI, M. C. et al. Uso de hidrogel possibilita redução da irrigação e melhora o crescimento inicial de mudas de Eucalyptus. Scientia Forestalis, Piracicaba, v. 43, n. 106, p. 467-476, 2015.

NOGUEIRA, R. J. M. C.; ALBUQUERQUE, M. B.; SILVA, E. C. Aspectos ecofisiológicos da tolerância à seca em plantas da caatinga. In: NOGUEIRA, R. J. M. C. et al. Estresses ambientais: danos e benefícios em plantas. Recife: Universidade Federal de Pernambuco, 2005. p. 22-31.

OTTO, M. et al. Fotossíntese, condutância estomática e produtividade de clones de Eucalyptus sob diferentes condições edafoclimáticas. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 37, n. 3, p. 431-439, 2013.

PFAUTSCH, S. et al. Climate determines vascular traits in the ecologically diverse genus Eucalyptus. Ecology Letters, Oxford, v. 19, n. 3, p. 240-248, 2016.

ZONTA, J. H. et al. influência de diferentes turnos de rega e doses de hidroabsorvente no desenvolvimento inicial da cultura do café conillon (Coffea canephora Pierre). Idesia, Arica, v. 27, n. 3, p. 29-34, 2009.

Downloads

Publicado

17-11-2021

Como Citar

Felippe, D., Navroski, M. C., Sampietro, J. A., Mota, C. S., Pereira, M. de O., Albuquerque, J. A., Andrade, R. S. de, & Moraes, C. (2021). Hidrogel e frequências de irrigação na sobrevivência, crescimento e trocas gasosas em <i>Eucalyptus urograndis</i>. Ciência Florestal, 31(4), 1569–1590. https://doi.org/10.5902/1980509836889

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)