Qualidade do solo e produtividade de Pinus taeda no planalto catarinense

Cedinara Arruda Santana Morales, Jackson Adriano Albuquerque, Jaime Antonio de Almeida, Jacson Marcelo Marangoni, James Stahl, Djalma Miler Chaves

Resumo


Em áreas florestais, o uso contínuo do solo altera seus atributos físicos e geralmente deteriora sua qualidade, em decorrência do tráfego de máquinas nas operações florestais, com redução da produtividade das culturas. Diante disso, avaliou-se a relação entre a qualidade do solo em diferentes sítios com a produção de Pinus taeda, em solos do Planalto Catarinense. Foram utilizadas quatro fazendas, com dois sítios em cada uma delas, escolhidos pelo tipo de solo e produtividade da floresta (alta e baixa produtividade). Foi descrita a morfologia e amostras de solo foram coletadas em cada horizonte pedogenético para análises físicas e químicas. Existe grande variação nas características físicas dos perfis, especialmente na sequência e espessura dos horizontes. Foi constatada compactação na camada superficial dos perfis mais rasos, evidenciada pela maior densidade e/ou, resistência à penetração do solo, nos quais, a produtividade foi reduzida entre 14 a 36 %, comparados aos perfis mais profundos e com menor grau de compactação.


Palavras-chave


sítio florestal; atributos físicos e químicos do solo; manejo florestal

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAF. Anuário estatístico da ABRAF: ano base 2007/ABRAF. Brasília, 2008. 87 p.

BLAKE, G. R.; HARTGE, K.H. Bulk density. In: KLUTE, A., ed. Methods of soil analysis. Madison, American Society of Agronomy, 1986. p. 363-375.

CAMARGO, O. A. Compactação do solo e o desenvolvimento das plantas. Piracicaba: Abril, 1997. 132 p.

CARPENEDO, V. et al. Estado de agregação e qualidade de agregados de Latossolo Roxo submetidos a diferentes sistemas de manejo. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 14, p. 99-105, 1990.

COSTA, E. A. et al. Qualidade de solo submetido a sistemas de cultivo com preparo convencional e plantio direto. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 41, n. 7, p. 1185-1191, jul. 2006.

DEDECEK, R. A. et al. Influência da compactação do solo na produtividade da rebrota de eucalipto. Revista Árvore, Viçosa, v. 29, n. 3, p. 383-390, maio/jun. 2005.

EMBRAPA - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária.. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. 2. ed. Rio de Janeiro: Embrapa Solos, 2006.

FILHO, E. P. et al. Interação de genótipos de Pinus taeda L. com locais no Sul-Sudeste do Brasil. Cerne, v. 7, n. 1, p. 090-100, 2001.

GEE, G. W.; BAUDER, J. Particle-size analysis. In: KLUTE, A. Methods of soil analysis. 2nd ed. Madison, American Society of Agronomy, 1986. p.383-412.

GENT Jr., J.A. et al. Impact of site preparation on physical properties of Piedmont forest soils. Soil Science Society American Journal, Madison, v. 48, p. 173-177, 1984.

GONÇALVES, J. L. M. Conservação do solo. In: GONÇALVES, J. L. M.; STAPE, J. L. Conservação e cultivo de solos para plantações florestais. Piracicaba: IPEF, 2002. 498 p.

GUBIANI, P. I. et al. Método alternativo para a determinação da densidade de partículas do solo: exatidão, precisão e tempo de processamento. Ciência Rural, Santa Maria, v. 36, n. 2, p. 664-668. mar./abr. 2006.

HILLEL, D. Environmental soil physics. San Diego. Harcourt Brace & Company, 1998.771 p.

KEMPER, W. D.; CHEPIL, W. S. Size distribution of aggregates. In: BLACK C. A.; EVANS, D. D.; WHITE, J. L. (eds.) Methods of soil analysis. Madison: American Society of Agronomy 1965. p. 499-510.

KLUTE, A. Water retention: laboratory methods. In: KLUTE, A. Methods of soil analysis. 2nd ed. Madison, American Society of Agronomy, 1986. p. 635-662.

MELLO, F. A. F.et al. Fertilidade do solo. 3. ed. São Paulo, Nobel, 1983. 400 p.

MORO, L. Exportação de nutrientes em povoamentos de Pinus taeda baseada em volume estimado pelo sistema SISPINUS. 2005. 113 f. Dissertação (Doutorado em Ciências Florestais)–Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2005.

PREVEDELLO, C. L. Física do solo com problemas resolvidos. Curitiba: Universidade Federal do Paraná, 1996. 446 p.

REICHERT, J. M. et al. Qualidade dos solos e sustentabilidade de sistemas agrícolas. Ciência & Ambiente, v. 27, p. 29-48. jul./dez. 2003.

REINERT, D. J. et al. Coluna de areia para medir a retenção de água no solo – protótipo-teste. Ciência Rural, Santa Maria, v. 36, n. 6, p. 1931-1935. nov./dez. 2006.

REISSMANN, C. B.; WISNIEWSKI, C. Aspectos nutricionais de plantios de Pinus. In: GONÇALVES, J.L.M.; BENEDETTI, V. 4. ed. Nutrição e fertilização florestal. Piracicaba: IPEF, 2005. p. 135-166.

RIGATTO, P. A. et al. Influência dos atributos do solo sobre a produtividade de Pinus taeda. Revista Árvore, Viçosa, v. 29, n. 5, p. 701- 709, set./out. 2005.

SCHNEIDER, P. R.; SCHNEIDER, P. S. P. Introdução ao manejo florestal. 2. ed. Santa Maria: FACOS-UFSM, 2008. 566 p.

SEIXAS, F. Efeito físico da colheita mecanizada de madeira sobre o solo. In: GONÇALVES, J. L. M.; STAPE, J. L. Conservação e cultivo de solos para plantações florestais. Piracicaba: IPEF, 2002. 498 p.

SILVA, A. P. da. et al. Avaliação da compactação de solos florestais In: GONÇALVES, J. L. M.; STAPE, J. L. Conservação e cultivo de solos para plantações florestais. Piracicaba: IPEF, 2002. 498 p.

SILVA, R. R. et al. Atributos físicos indicadores da qualidade do solo sob sistemas de manejo na bacia do alto do Rio Grande MG. Ciência Agrotécnica., Lavras, v. 29, n. 4, p. 719-730, jul./ago., 2005

TAYLOR, S.A.; ASHCROFT, G.L. Physical edaphology - The physics of irrigated and non irrigated soils. San Francisco, W.H. Freeman and Company, 1972. 532 p.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/198050982421

Licença Creative Commons