GERMINAÇÃO E BIOMETRIA DE FRUTOS E SEMENTES DE Prosopis juliflora (Sw) D.C.

Marcio Dias Pereira, Taline Cristina Oliveira da Silva Romeiro, Andressa Vasconcelos Flores, Rogério Luciano Severiano

Resumo


A algaroba (Prosopis juliflora (Sw) D.C.) é uma espécie exótica cujas folhas têm grande potencial para utilização na alimentação humana e animal, sendo altamente nutritivas, além de ser considerada eficiente na recuperação de áreas degradadas e solos empobrecidos. Apesar da procura crescente por sementes e mudas desta espécie, pouco se conhece sobre a qualidade fisiológica de suas sementes. Diante disto, o objetivo deste trabalho foi caracterizar a biometria de frutos e sementes da espécie, além de determinar as temperaturas e substratos para a germinação e desenvolvimento inicial de plântulas. Foi determinada a quantidade de sementes por quilograma e o teor de água das sementes. Analisou-se o comprimento, o diâmetro, o peso, e o número de sementes em cada fruto e a espessura, a largura, o comprimento e o peso das sementes. No teste de germinação foram utilizadas três temperaturas (20, 30 e 20-30°C) sob o regime de 14 horas de luz branca e dois substratos (sobre papel e rolo de papel). Determinaram-se as curvas de embebição das sementes, a germinação, o índice de velocidade de germinação, o comprimento da parte aérea, o comprimento da raiz e a massa seca das plântulas. Os dados biométricos indicam ampla variabilidade para as características avaliadas para frutos, entretanto, as sementes apresentam menor variabilidade. As temperaturas de 30 e 20-30°C e ambos os substratos testados são eficientes para a condução do teste de germinação de sementes de algaroba em laboratório.


Palavras-chave


Fabaceae; morfologia; substratos; temperaturas.

Texto completo:

PDF

Referências


BASKIN, J. M.; BASKIN, C. C. A classification system for seed dormancy. Seed Science Research, Zurich, v. 14, n. 1, p. 1-16, 2004.

BASTOS, G. Q.; NUNES, R. S.; CRUZ, G. M. F. Reavaliação de quebra de dormência em sementes de algaroba (Prosopis juliflora (SW) DC). Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 14, p. 17-20, 1992.

BEWLEY, J. D.; BLACK, M. Seeds: physiology of development and germination. 2nd ed. New York: Plenum Press, 1994. 445 p.

BORGES, R. C. F. et al. Caracterização da curva de embebição de sementes de pinhão manso. Revista Científica Eletrônica de Engenharia Florestal, Graça, v. 8, n. 13, 2009. p. 25-29, 2009.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instruções para análise de sementes de espécies florestais. Brasília: Mapa; ACS, 2013. 98 p.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. Brasília: Mapa; ACS, 2009. 395 p.

CAMPELO, C. R. Algaroba: planta mágica. Recife: Edições Edificantes, 1997. 84 p.

CARVALHO, J. E. U.; NAZARÉ, R. F. R.; OLIVEIRA, W. M. Características físicas e físico-quimicas de um tipo de bacuri (Platonia insignis Mart.) com rendimento industrial superior. Revista Brasileira de Fruticultura, Cruz das Almas, v. 25, n. 1, p. 326-328, 2003.

CARVALHO, N. M.; NAKAGAWA, J. Sementes: ciência, tecnologia e produção. 4. ed. Jaboticabal: FUNEP, 2000. 588 p.

FLORIANO, E. P. Germinação e dormência de sementes. Santa Rosa: [s. n.], 2004. 32 p. (Caderno Didático).

GORDIN, C. R. B. et al. Germinação, biometria de sementes e morfologia de plântulas de Guizotia abyssinica Cass. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 34, n. 4, p. 619-627, 2012.

GRETHER, R. et al. Flora del Valle de Tehuacán-Cuicatlán: Mimosaceae Tribu Mimoseae. Morelia: Universidad Nacional Autónoma de México, Centro de Investigaciones en Ecosistema, 2006. 108 p.

GUSMÃO, E.; VIEIRA, F. A.; FONSECA JÚNIOR, E. M. Biometria de frutos e endocarpos de murici (Byrsonimaver bascifolia Rich. Ex. A. Juss.). Revista Cerne, Lavras, v. 12, n. 1, p. 84-91, 2006.

LIMA, P. C. F. Comportamento silvicultural de espécies de Prosopis, em Petrolina-PE, região semi-árida brasileira. 1994. 110 f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 1994.

MAGUIRE, J. B. Speed of germination-aid in selection and evaluation for seedling emergence vigor. Crop Science, Madison, v. 2, n. 2, p. 176-177, 1962.

MARCOS FILHO, J. Fisiologia de sementes de plantas cultivadas. Piracicaba: FEALQ, 2005. 320 p.

MATHEUS, M. T.; LOPES, J. C. Morfologia de frutos, sementes e plântulas e germinação de sementes de Etryhrina variegata L. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 29, n. 3, p. 8-15, 2007.

MWANGI, E.; SWALLOW, B. Invasion of Prosopis juliflora and local livelihoods: case study from the lake Baringo area of Kenya. Nairobi: ICRAF; World Agroforestry Centre, 2005. 65 p. (WorkingPaper, 3).

OLIVEIRA, O. F.; MORAIS, P. L. D. Influência da posição da semente (no fruto) na germinação e no desenvolvimento vegetativo de leucena (Leucena leucocephala (LAN.) DE WIT) e algarroba (Prosopis juliflora (SW.) DC). Revista Caatinga, Mossoró, v. 10, n. 1/2, p. 55-62, 1997.

PACHECO, M. V. et al. Efeito de temperaturas e substratos na germinação de sementes de Myracrodruo nurundeuva Fr. All. (Anacardiaceae). Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 30, n. 3, p. 359-367, 2006.

PAIVA, R.; OLIVEIRA, L. M. Fisiologia e produção vegetal. Lavras: Editora UFLA, 2006. 104 p.

PASIECZNIK, N. M. Prosopis juliflora (vilayati babul) in the drylands of Índia: develop this valuable resource – don’t eradicate it. Coventry: HDRA, 2002. 2 p.

PASIECZNIK, N. M. et al. The Prosopis juliflora – Prosopis pallidacomplex: a monograph. Coventry: HDRA, 2001. 177 p.

PEREZ, S. C. J. G. A.; MORAES, J. A. P. V. Influências da temperatura, da interação temperatura-giberelina e do estresse térmico na germinação de Prosopis juliflora (Sw) DC. Revista Brasileira de Fisiologia Vegetal, Campinas, v. 2, n. 1, p. 41-53, 1990.

RODRIGUES, A. P. D. C. et al. Temperatura de germinação em sementes de estilosantes. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 32, n. 4, 2010.

SANTOS, F. S. et al. Biometria e qualidade fisiológica de sementes de diferentes matrizes de Tabebuia chrysotricha (Mart. Ex A. DC.) StandI. Scientia Forestalis, Piracicaba, v. 37, n. 82, p. 163-173, jun. 2009

SILVA, E. L.; SILVA, J. H. V.; JORDÃO FILHO, J. Valores energéticos e efeitos da inclusão da Farinha Integral de Vagem de Algaroba (Prosopis juliflora (Sw.) DC.) em rações de poedeiras comerciais. Revista Brasileira de Zootecnia, Viçosa, MG, v. 31, n. 6, p. 2255-2264, 2002.

SILVA, S. Algarobeira. Natal: SEBRAE-RN, 1997. 26 p.

SMIDERLE, O. S.; MINAMI, K. Emergência e vigor de plântulas de goiabeira em diferentes substratos. Revista Científica Rural, Bagé, v. 6, n. 1, p. 38-45, 2001.

STEFANELLO, R. et al. Efeito da luz, temperatura e estresse hídrico no potencial fisiológico de sementes de funcho. Revista Brasileira de sementes, Londrina, v. 28, n. 2, p. 67-71, 2006.

STEIN, R. B. S. et al. Uso do farelo de vagem de algaroba (Prosopis juliflora (Swartz) D.C.) em dietas para eqüinos. Revista Brasileira de Zootecnia, Viçosa, MG, v. 34, n. 4, p. 1240-1247, 2005.

ZINN, K. E. et al. Temperature stress and plant sexual reproduction: uncovering the weakest links. Journal of Experimental Botany, London, v. 61, n. 7, p. 1959-1968, 2010.




DOI: https://doi.org/10.5902/1980509833379

Licença Creative Commons