Suficiência amostral para avaliação da fauna epiedáfica com o método Provid

Querina Ramos de Góes, Beatriz Wardzinski Barbosa, Alexandra Augusti Boligon, Leandro Homrich Lorentz, Frederico Costa Beber Vieira, Mirla Andrade Weber

Resumo


O solo é habitado por milhares de organismos responsáveis por diversas funções e processos no ecossistema. Por apresentar uma grande sensibilidade às modificações do meio, a fauna do solo é considerada um bom bioindicador de qualidade do solo, mas limitações analíticas podem restringir esta aptidão. Esse trabalho teve como objetivo calcular a suficiência amostral para o número de grupos de indivíduos que compõe a fauna epiedáfica em diferentes condições de uso do solo. Foram realizadas avaliações da fauna epiedáfica nas condições de mata nativa, campo nativo pastejado e lavoura azevém/soja, em duas épocas distintas (inverno e verão). Avaliou-se a suficiência amostral para o método de coleta (Provid) utilizado através do método analítico, com vários níveis de confiabilidade, e dos métodos não-paramétricos de Chao 1 e Chao 2. O uso do número mínimo de 14 amostras pelo método Provid (n=14) para estudo da fauna epiedáfica é suficiente para garantir, em qualquer época do ano e tipo de uso do solo, uma precisão de 10%, considerada adequada para estimativa da riqueza de grupos.


Palavras-chave


Amostragem; Biologia do solo; Biodiversidade do solo

Texto completo:

PDF

Referências


ANTONIOLLI, Z. I.; CONCEIÇÃO, P.C.; BOCK, V.; PORT, O.; SILVA, D.M.; SILVA, R.F. Método alternativo para estudar a fauna do solo. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 16, n. 4, p. 407-417, 2007.

ASSAD, M. L. L. Fauna do solo. In: VARGAS, M. A. T.; HUNGRIA, M., (Eds). Biologia dos solos dos cerrados. Planaltina: EMBRAPA-CPAC. p.363-443, 1997.

AYUKE, F.O.; BRUSSAARD, L.; VANLAUWE, B.; SIX, J.; LELEI, D.K.; KIBUNJA, C.N.; PULLEMAN, M.M. Soil fertility management: Impacts on soil macrofauna, soil aggregation and soil organic matter allocation. Applied Soil Ecology, Pretty, v. 48, p.53–62, 2011.

BRUCKNER, A.; BARTH, G.; SCHEIBENGRAF, M. Composite sampling enhances the confidence of soil microarthropod abundance and species richness estimates. Pedobiologia, Berlin, v.44, p. 63-74, 2000.

CORREIA, M. E. F.; DE OLIVEIRA, L. C. M. Fauna de solo: aspectos gerais e metodológicos. Soropédica: EMBRAPA AGROBIOLOGIA. Documentos, 112, 2000. 46 p.

COLWELL, R.K. EstimateS: Statistical estimation of species richness and shared species from samples. Version 9.1.0. User's Guide and application. Disponível em: http://purl.oclc.org/estimates. 2013. Acessado em 10 April 2017.

DORAN, J. W.; ZEISS, M. R. Soil health and sustainability: managing the biotic vompont of soil quality. Applied Soil Ecology, Pretty, v. 15, n. 1, p. 3-11, 2000.

GASPER, A.L.; EISENLOHR, P.V.; SALINO, A. Climate-related variables and geographic distance affect fern species composition across a vegetation gradient in a shrinking hotspot. Plant Ecology & Diversity, Edinburgh, v. 8, n. 1, p. 25-35, 2015.

GOTELLI, N.J.; COLWELL, R.K. Quantifying biodiversity: procedures and pitfalls in the measurement and comparison of species richness. Ecology Letters, Montpellier. v. 4, p 379-391, 2001.

JEREZ-VALLEA, C.; GARCÍA, P.A.; CAMPOS, M.; PASCUAL, F. A simple bioindication method to discriminate olive orchard management types using the soil arthropod fauna. Applied Soil ecology, Pretty, v.76, p. 42– 51, 2014.

LAVELLE, P.; DECAENS, T.; AUBERT, M.; BAROT, S.; BLOUIN, M.; BUREAU, F.; MARGARIE, P.; MORA, P.; ROSSI, J.P.. Soil invertebrates and ecosystem services. European Journal of Soil Biology, Jersey, v. 42, n. 1, p. 3-15, 2006.

LAVELLE, P. Diversity of soil fauna and ecosystem function. Biology International, Paris, v. 33, p. 3-15, 1996.

MAGURRAN, A. E. Medindo a diversidade biológica. Curitiba: UFPR, 2013. 261 p.

PAZ-FERREIRO, J.; FU, S. Biological indices for soil quality evaluation: perspectives and limitations. Land Degradation & Development, Brighton, v. 27, p. 14-25, 2016.

PILLAR, V.P. Suficiênciaamostral. In: BICUDO, C.E.M.; BICUDO D.C. (Ed.). Amostragem em limnologia. São Carlos: Rima, 2004. p. 25-43.

REICHERT, J. M.; REINERT, D. J.; BRAIDA, J. A. Qualidade do solo e sustentabilidade de sistemas agrícolas. Ciência & Ambiente, Santa Maria, v. 27, n. 1, p. 29-48, 2003.

REZENDE, V.L.; EISENLOHR, P.V.; GASPER, A.L.; VIBRANS, A.C.; OLIVEIRA-FILHO, A.T. Toward a better understanding of the Subtropical Atlantic Forest: tree sampling accuracy, rarity and species richness in the state of Santa Catarina, Brazil. Acta Botanica Brasilica, Belo Horizonte, v. 28, n. 3, p. 382-391. 2014.

SILVA, R. D.; AQUINO, A. D.; MERCANTE, F. M.; GUIMARÃES, M. D. F.Macrofauna invertebrada do solo sob diferentes sistemas de produção em Latossolo da Região do Cerrado. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 41, n. 4, p. 697-704, 2006.

VAZ DE MELO, F; BROWN, G.G.; CONSTANTINO, R.; LOUZADA, J.N.C.; LUIZÃO, F.J.; WELLINGTON DE MORAIS, J.; ZANETTI, R. A importância da meso e macrofauna do solo na fertilidade e como biondicadores. Boletim Informativo da SBCS, janeiro – abril, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1980509831106

Licença Creative Commons