Maturação fisiológica de sementes de Erythrina crista-galli L.

Marília Lazarotto, Rafael Beltrame, Marlove Fátima Brião Muniz, Elena Blume

Resumo


Este trabalho objetivou investigar o processo de maturação fisiológica das sementes de Erythrina crista-galli L. a fim de que se determine o momento ideal de coleta. Para tanto, foram utilizadas seis árvores matrizes na cidade de Santa Maria (RS), de onde foram feitas coletas semanais, começando com o surgimento dos frutos até sua deiscência e posterior maturação das sementes. Os parâmetros indicadores da maturação das sementes observados foram: dimensão de frutos e sementes; massa fresca e massa seca das sementes; teor de água, teste de germinação (expresso em plântulas normais) e vigor (primeira contagem de germinação). A dimensão máxima das sementes ocorreu no período máximo de germinação, com valores de 167,0, 8,72 e 8,60 mm para comprimento, espessura e largura, respectivamente. O teor de água pode ser utilizado como indicativo de maturidade das sementes, assim como massa fresca e massa seca com valores máximos na oitava semana, 31,6 %, 0,693 e 0,474 g/semente, respectivamente. As sementes de Erythrina crista-galli apresentam dormência após a maturação fisiológica, com baixa percentagem de germinação na décima semana após a antese. O ponto de maturidade fisiológica, nas condições de Santa Maria - RS ocorre na oitava semana após a antese, com germinação de 50%, devido a todos os parâmetros observados terem assim indicado.

Palavras-chave


corticeira-do-banhado; época de coleta; sementes florestais

Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, I. B.; PERECIN, D.; KAGEYAMA, P. Y. Maturação fisiológica de sementes de Eucalyptus grandis Hill ex Maiden. IPEF, Piracicaba, v.38, p.41-49, 1988.

ALVES, E. U. et al. Maturação fisiológica de sementes de sabiá. Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v. 27, n. 1, p.01-08, 2005.

ÁVILA, A. L. et al. Maturação fisiológica e coleta de sementes de Eugenia uniflora L. (pitanga), Santa Maria, RS. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 19, n. 1, p. 61-68, 2009.

BARICHELLO, L. R. et al. Quantificação de nutrientes no solo e serrapilheira de um povoamento de Eucalyptus sp. na região de Santa Maria – RS. In: CONGRESSO FLORESTAL ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL, 8., 2000, Nova Prata. Anais... Nova Prata: Prefeitura Municipal, 2000.

BORGES, E. E. L.; BORGES, R. C. G.; TELES, F. F. F. Avaliação da maturação e dormência de sementes de orelha-de-negro. Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v. 2, n. 2, p. 29-32, 1980.

BRASIL. Ministério da Agricultura e Reforma Agrária. Regras para análise de sementes. Brasília: 1992. 365 p.

CARPANEZZI, A. A.; TAVARES, F. R.; SOUSA, V. A. Estaquia de Corticeira-do-Banhado (Erythrina crista-galli L.). Colombo: EMBRAPA, 2001 – (Comunicado técnico, 64)

CARVALHO, N. M.; NAKAGAWA, J. Sementes: ciência, tecnologia e produção. 2. ed. Campinas: Fundação Cargill, 1983.

CORVELLO, W. B. V. et al. Maturação fisiológica de sementes de cedro (Cedrela fissilis Vell.). Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v. 21, n. 2, p. 23-27, 1999.

FIGLIOLIA, M. B.; KAGEYAMA, P. Y. Maturação de sementes de Inga uruguensis Hook et Arn em floresta ripária do rio Moji Guaçu, Município de Moji Guaçu, SP. Revista do Instituto Florestal, São Paulo, v. 6, n. único, p. 13-52, 1994.

FONSECA, F. L. et al. Maturidade fisiológica das sementes do ipê amarelo, Tabebuia chrysotricha (Mart. Ex. DC.) Standl. Scientia Florestalis, Piracicaba, n. 69, p. 136-141, dez. 2005.

GRATIERI-SOSSELLA, A.; PETRY, C.; NIENOWI, A. A. Propagação da corticeira do banhado (Erythrina crista-galli L.) (Fabaceae) pelo processo de estaquia. Revista Árvore, Viçosa, v. 32 n. 1, p. 163-171, 2008.

IOSSI, E. et al. Maturação fisiológica de sementes de Phoenix roebelenii O’ Brien. Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v. 29, n. 1, p. 147-154, 2007.

LEONHARDT, C. et al. Maturação fisiológica de sementes de tarumã-de-espinho (Citharexylum montevidense (Spreng.) Moldenke – Verbenaceae) no Jardim Botânico de Porto Alegre, RS. Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v. 23, n. 1, p. 100-107, 2001.

LOPES, J. C.; DIAS, P. C.; PEREIRA, M. D. Maturação fisiológica de sementes de quaresmeira. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 40, n. 8, p. 811-816, 2005.

LOPES, J. C.; SOARES, A. S. Estudo da maturação de sementes de carvalho-vermelho (Miconia cinnamomifolia (Dc.) Naud.). Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 30, n. 4, p. 623-628, 2006.

LORENZI, H. Árvores brasileiras: Manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas no Brasil. 4. ed. Nova Odessa: Instituto Plantarum, 2002. v.1.

MARTINS, S. V.; SILVA, D. D. Maturação e época de colheita de sementes de Dalbergia nigra (Vell.) Fr. All. Ex Benth. Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v. 19, n. 1, p. 96-99, 1997.

MORENO, J. A. Clima do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Secretaria da Agricultura, 1961. 83 p.

MUNIZ, M. F. B. et al. Estudo da germinação em sementes de Erythrina crista-galli L. (corticeira-do-banhado). In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SEMENTES, 13., 2003, Gramado. Anais... Brasília, Revista Brasileira de Sementes, 2003.

NOGUEIRA, A. C.; MEDEIROS, A. C. S. Coleta de sementes florestais nativas. Colombo: EMBRAPA. Ministério da Agricultura e do Abastecimento, 2007 – (Circular técnica, 144).

POPINIGIS, F. Fisiologia da semente. 2. ed. Brasília: ABRATES, 1985. p. 19-95.

RAGAGNIN, L. I. M.; COSTA,E. C.; HOPPE, J. M. Maturidade fisiológica de sementes de Podocarpus lambertii Klotzsch. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 4, n. 1, p. 23-41, 1994.

SOUZA, S. M.; LIMA, P. C. F. Maturação de sementes de angico (Anadenanthera macrocarpa (Benth.) Brenan). Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v. 7, n. 2, p. 93-99, 1985.

TOKUHISA, D. et al. Época de colheita dos frutos e ocorrência de dormência em sementes de mamão (Carica papaya L.). Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v. 30, n. 2, p.075-080, 2008.

ZONTA, E. P.; MACHADO , A . A. Sistema de análise estatística para microcomputadores - SANEST. Pelotas: UFPel, Instituto de Física e Matemática, 1986. 150 p.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/198050982742

Licença Creative Commons