ANÁLISE ESPACIAL DA PRODUTIVIDADE DE SERAPILHEIRA EM UMA MATA DE GALERIA

Priscila Sales Rodrigues Aquino, Mauro Eloi Nappo, Marcos Sales Rodrigues, Ismael Martins Pereira, Eraldo Aparecido Trondoli Matricardi, Gláucia de Mello Pelá

Resumo


Matas de galeria possuem grande diversidade genética e desempenham importantes funções ecológicas, como a proteção das nascentes, controle da erosão e funcionam como filtros retendo poluentes. A serapilheira, que pode ser usada como um indicativo de produtividade ecológica é amplamente coletada por meio de coletores que são distribuídos aleatoriamente em um ecossistema florestal. No entanto, a distribuição da vegetação pode apresentar dependência espacial, logo, a produtividade da serapilheira pode ser mapeada utilizando técnicas geoestatísticas o que permite a delimitação de zonas de manejo. Portanto, o objetivo deste estudo foi avaliar a eficiência de métodos geoestatísticos na delimitação de zonas de manejo da produtividade de serapilheira em uma área de mata de galeria. O estudo foi realizado na mata de galeria do córrego Lava-pés (3 ha) em Ipameri - GO, utilizando-se 60 coletores (cada um com 0,33 m² de área e suspensos a 0,65 m do solo) instalados em uma malha regular georreferenciada de 32 x 32 m. A serapilheira foi coletada mensalmente de dezembro de 2011 a novembro de 2012. Todas as amostras foram separadas manualmente nas frações: folhas (FF), ramos (FR - galhos e cascas), e estruturas reprodutivas (FER - flores, frutos e sementes) e foram expressas em kg ha-1. Realizou-se a análise estatística descritiva e geoestatística dos dados. A produtividade de serapilheira para a FF e o total apresentou forte dependência espacial. A FR e a FER apresentaram efeito pepita puro. O mapa dos valores de serapilheira total obtido pelo método de interpolação Krigagem indicaram áreas de produtividade variando de 900 a 10.900 Kg ha-1ano, evidenciando alta variabilidade na área. Foi possível por meio da técnica de interpolação krigagem delimitar zonas de manejo da produtividade de serapilheira na mata de galeria estudada, o que permitiu o manejo florestal específico da serapilheira.


Palavras-chave


ecossistemas florestais; krigagem; dependência espacial

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, J. R. S. P. Dinâmica da serapilheira em um trecho de floresta atlântica secundária em área urbana do Rio de Janeiro. 2006. 79 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Instituto de Florestas, Seropédica, 2006.

AMARASINGHE, M. D.; BALASUBRAMANIAM. Net primary productivity of two mangrove forest stands on the northwestern coast of Sri Lanka. Hydrobiologia, Baarn, v. 247, p. 37-47, 1992.

ARATO, H. D.; MARTINS, S. V.; FERRARI, S. H. S. Produção e decomposição de serapilheira em um sistema agroflorestal implantando para recuperação de área degradada em Viçosa-KG. Revista Árvore, Viçosa, v. 27, n. 5, p. 715-721, 2003.

ARAÚJO, R. S. et al. Aporte de serapilheira e nutrientes ao solo em três modelos de revegetação na Reserva Biológica de Poço das Antas, Silva Jardim, RJ. Revista Floresta e Ambiente, Seropédica, v. 12, n. 2, p. 16-24, 2005.

BARLING, R. D.; MOORE, I. D. Role of buffer strips in management of waterway pollution: a review. Environmental Management, v. 18, p. 543-558, 1994.

BRAY, J. R.; GORHAM, E. Litter production in the forests of the world. Advances in Ecological Research, New York, v. 2, p. 101-157, 1964.

CALLEGARI-JACQUES, Sintia M. Bioestatística: princípios e aplicações. Porto Alegre: Artmed, 2003.

CAMBARDELLA, C. A. et al. Field scale variability of soil properties incentral Iowa soils. Soil. Science Society of America Journal, v. 58, n. 5, p. 1501-1511, 1994.

CIANCIARUSO, M. V. et al. Produção de serapilheira e decomposição do material foliar em um cerradão da Estação Ecológica de Jataí, Luiz Antônio, SP. Acta Botânica Brasileira, v. 20, n. 1, p. 49-59, 2006.

CHAVE J. et al. Regional and seasonal patterns of litterfall in tropical South America. Biogeosciences, v. 7, p. 43-55, 2010. COSTA, C. C. A. et al. Análise comparativa da produção de serapilheira em fragmentos arbóreos e arbustivos em área de caatinga na Flona de Açu - RN. Revista Árvore, n. 34, v. 2, p. 259-265, 2010.

CUNHA, G. C. et al. Dinâmica nutricional em floresta estacional decidual com ênfase aos minerais provenientes da deposição de serapilheira. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 3, n. 1, p. 35-64, 1993.

DIAS, H. C. T.; OLIVEIRA FILHO, A. T. Variação temporal e espacial da produção de serapilheira em uma área de Floresta Estacional Semidecídual Montana em Lavras- MG. Revista Árvore, v. 21, p. 11-26, 1997.

ESPIG, A. S. et al. Sazonalidade, composição e aporte de nutrientes da serapilheira em fragmento de mata atlântica. Revista Árvore, v. 33, n. 1, p. 949-956, 2009.

FIGUEIREDO-FILHO, A. et al. Avaliação estacional da deposição de serapilheira em uma floresta ombrófila mista localizada no Sul do Estado do Paraná. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 13, n. 1, p. 11-18, 2003.

GIÁCOMO, R. G.; PEREIRA, M. G.; MACHADO, D. L. Aporte e decomposição de serapilheira em áreas de cerradão e mata mesofítica na Estação Ecológica de Pirapitinga–KG. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 22, n. 4, p. 669-680, 2012.

GONÇALVES, M. A. M. Avaliação da serapilheira em fragmento de floresta atlântica no sul do estado do Espírito Santo. 2008. 85 f. Dissertação (Mestrado em Produção Vegetal) – Universidade Federal do Espírito Santo, Alegre, 2008.

GUIMARÃES, E. C. Variabilidade espacial da umidade e da densidade do solo em um Latossolo Roxo. 1993. 135 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Agrícola) - Faculdade de Engenharia Agrícola, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1993.

HAMLETT, J. M.; HORTON, R.; CRESSIE, N. A. C. Resistant and exploratory techniques for use in semivariogram analyses. Soil Scienc Society of América Journal, Madison, v. 50, p. 868-875, 1986.

HANSEN, K. et al. Litterfall and nutrient return in five tree species in a common garden experiment. Forest Ecology and Management, v. 257, n. 10, p. 2133-2144, 2009.

IBGE. Temáticos: solos. [2013]. Disponível em: Acesso em: 2 abr. 2013.

ISAAKS, E. H.; SRIVASTAVA, R. M. An introdution to applied geoestatistics. New York: Oxford University Press, 1989. 561p.

KLEINPAUL, I. S. et al. Suficiência amostral para coletas de serapilheira acumulada sobre o solo em Pinus elliotti Engelm, Eucalyptus sp. e Floresta Estacional Decidual. Revista Árvore, Viçosa, v. 29, n. 6, p. 965-972, nov./dez. 2005.

KÖNIG, F. G. et al. Avaliação da sazonalidade da produção de serapilheira numa floresta estacional decidual no município de Santa Maria, RS. Revista Árvore, v. 26, n. 4, p. 429-435, 2002.

LI, Y.; SHI, Z.; LI, F. et al. Delineation of site-specific management zones using fuzzy clustering analysis in a coastal saline land. Computers and Electronics in Agriculture, v. 56, n. 2, p. 174-186, 2007.

LONGHI, R. V. et al. Produção de serapilheira e retorno de macronutrientes em três grupos florísticos de uma floresta ombrófila mista, RS. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 21, n. 4, p. 699-710, out./dez. 2011.

LOPES, M. I. S.; DOMINGOS, M.; STRUFFALDI-DE-VUONO, Y. Ciclagem de nutrientes minerais. In: SYSLVESTRE, L. S.; ROSA M. M. T. Manual metodológico para estudos botânicos na mata atlântica. Seropédica: EDUR- UFRRJ, 2002. p. 72-102.

LOWRANCE, R. et al. Riparian forest as nutrient filters in agricultural watersheds. BioScience, v. 34, p. 374-377, 1984.

MARTINS, S. V.; RODRIGUES, R. R. Produção de serapilheira em clareiras de uma floresta estacional semidecidual no município de Campinas, SP. Revista Brasileira de Botânica, v. 22, p. 405-412, 1999.

MASON, C. F. Decomposição. São Paulo: EPU, 1980. 63 p.

MEGURO, M.; VINUEZA, G. N.; DELITTI, W. B. C. Ciclagem de nutrientes na Mata Mesófila Secundária, São Paulo, III - Decomposição do material foliar e liberação dos nutrientes minerais. Boletim de Botânica da Universidade de São Paulo, n. 8, p. 7-20, 1980.

MILLER, J.; FRANKLIN, J.; ASPINALL, R. Incorporating spatial dependence in predictive vegetation models. Ecological Modelling, v. 202, p. 225-242, 2007.

OLIVEIRA, E. C. L.; FELFILI, J. M. Estrutura e dinâmica da regeneração natural de uma mata de galeria no Distrito Federal, Brasil. Acta Botânica Brasílica, v. 19, n. 4, p. 801-811, 2005.

OLIVEIRA, R. E. Aspectos da dinâmica de um fragmento florestal em Piracicaba-SP: silvigênese e ciclagem de nutrientes. 1997. 79 f. Dissertação (Mestrado em Recursos Florestais) – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Piracicaba, 1997.

PEREIRA, M. G. et al. Aporte e decomposição de serapilheira em Floresta Periodicamente Inundável na Restinga da Marambaia, RJ. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 22, n. 1, p. 59-67, jan./mar. 2012.

PIMENTEL-GOMEZ, F.; GARCIA, C. H. Estatística aplicada a experimentos agronômicos e florestais: exposição com exemplos e orientações para uso de aplicativos. Piracicaba, FEALQ, 2002. 309 p.

PINTO, S. I. C. Florística, estrutura e ciclagem de nutrientes em dois trechos de floresta estacional semidecidual na reserva florestal mata do paraíso, Viçosa-MG. 2005. 110 f. Dissertação (Mestrado em Ciência Florestal) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2005.

PINTO, S. I. C. et al. Produção de serapilheira em dois estádios sucessionais de floresta estacional semidecidual na reserva Mata do Paraíso, em Viçosa, MG. Revista Árvore, v. 32, n. 3, p. 545-556, 2008.

REATTO, A. et al. Solos de ocorrência em duas áreas de mata de galeria no distrito federal: aspectos pedológicos, uma abordagem química e físico hídrica. In: RIBEIRO, J. F.; FONSECA, C. E. L.; SILVA, J. C. S. (Eds.). Cerrado: caracterização e recuperação de matas de galeria. [s. l.]: Embrapa cerrados, 2001. p.115-140.

RIBEIRO, J. P.; WALTER, M. T. Fitofisionomias do Bioma Cerrado. In: SANO, S. M.; ALMEIDA, S. P. (Eds.). Cerrado: ambiente e flora. Planaltina: Embrapa, 1998. p. 89-166.

ROBERTSON, G. P. Release 7. GS+: Geostatistics for the environmental sciences. Plainwell: Gamma Design Software, 2004.

RODRIGUES, M. S.; CORA, J. E.; FERNANDES, C. Soil sampling intensity and spatial distribution pattern of soils attributes and corn yield in no-tillage system. Engenharia Agrícola, v. 32, n. 5, p. 852-865, 2012.

SAYER, E. J. Using experimental manipulation to access the role of leaf litter in functioning of forest ecosystems. Biological Reviews, Cambridge, v. 81, n. 1, p. 1-31, 2005.

SHAPIRO, S. S.; WILK, M. B. An analysis of variance test for normality: complete samples. Biometrika, v. 52, p. 591-611, 1965.

SILVA JÚNIOR, M. C. Tree Communities of Gallery Forests of the IBGE Ecological Reserve, Distrito Federal, Brazil. 1995. Tese (Doutorado em Ecologia Florestal) - University of Edinburgh, Edinburgh, Scotland, 1995.

SINGH, J. S.; GUPTA, S. R. Plant decomposition and soil respiration in terrestrial ecosystems. The Botanical Review, n. 43, p. 449-528, 1977.

SNEDECOR, G. W.; COCHRAN, W. G. Statistical methods. 6. ed. Ames: Iowa State University Press, 1967. 593 p.

SOARES, I. et al. Produção de serapilheira e ciclagem de nutrientes na cultura do cajueiro anão precoce. Revista Árvore, v. 32, n. 1, p. 173-181, 2008.

SURFER. Release 8.0. Contouring and 3D surface mapping for scientist’s engineers. User’s Guide. New York: Golden software, 2002. 619p.

VOGEL, H. L. M. et al. Avaliação da devolução de serapilheira em uma floresta Estacional Decidual em Itaara, RS, Brasil. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 17, n. 3, p. 187-196, jul./set. 2007.

WERNECK, M. S.; PEDRALLI, G.; GIESEKE, L. F. Produção de serapilheira em três trechos de uma floresta semidecídua com diferentes graus de perturbação na Estação Ecológica do Tripuí, Ouro Preto, KG. Revista Brasileira de Botânica, v. 24, n. 2, p. 195-198, 2001.

WHITE, B. L. A. et al. Dynamics of the production and decomposition of litterfall in a Brazilian Northeastern Tropical Forest (Serra de Itabaiana National Park, Sergipe State). Acta Scientiarum Biological Science, Maringá, v. 35, n. 2, p. 195-201, 2013.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1980509822749

Licença Creative Commons