ASTRONOMY IN INDIGENOUS TEACHER TRAINING: A CHANCE FROM THE APPROACH CTS

Luciana Flôr Correa, Bruno dos Santos Simões

Abstract


This work aims to discuss the development of a scientific culture of indigenous peoples, as well as the importance of culture for the promotion of critical thinking by students and teachers in training. Therefore, we argue in favor of ethnoastronomy, knowledge developed by indigenous peoples of the Americas and presenting a wealth of information, culture and tacit knowledge. Our discussion will do so by understanding the pedagogical potential that ethnoastronomy provides, for it is an astronomy based on sensory elements, not geometric and abstract elements, and also to allude to elements of our nature (mainly fauna and flora) and history, promoting self-esteem and appreciation of ancient knowledge, stressing that different interpretations of the same region of the sky, made by diverse cultures, help in understanding cultural diversity. Thus, in addition to seeking the inclusion of Astronomy contents in elementary school, we must also pursue recovery and the teaching of ethnoastronomy; which can be realized and optimized if articulated approach to Science, Technology and Society (STS).

Keywords


Etnociência, Astronomia Indígena, Ciência, Tecnologia e Sociedade, Formação de Professores.

References


AFONSO, G. B. Astronomia indígena. Anais da 61ª Reunião Anual da SBPC - Manaus, 2009.

AFONSO, G. B. As constelações indígenas brasileiras. Disponível em: . Acesso em: 05 fev. 2015.

ARAÚJO, D. C. C. de. Uma proposta para a inserção de tópicos de astronomia indígena brasileira no ensino médio: desafios e possibilidades. 2014. 185 fl. Dissertação (Mestrado profissional em Ensino de Ciências) - UNB. Brasília, 2014.

BAPTISTA, G. C. S. Importância da demarcação de saberes no ensino de Ciências para sociedades tradicionais. Ciênc. educ. (Bauru), Bauru, v. 16, n. 3, 2010. Disponível em: . Acesso em: 9 fev. 2015.

BAZZO, W.A. et al. Educação tecnológica: enfoques para o ensino de engenharia. Florianópolis: Ed. da UFSC, 2008.

CHASSOT, A. I. Alfabetização Científica: questões e desafios para a educação. Ijuí: Unijuí, p. 191-230, 2001.

CHASSOT, A. I. Haciendo educación em ciências em los studios de Pedagogia com la inclusion de saberes populares em el curriculum. Memórias do Ciaem XII. [2007]. Disponível em: < http://ciaem-iacme.org/memorias/xii_ciaem/123_estudios_pedagogia.pdf>. Acesso em: 05 de fev. 2015.

COBERN, W. W.; LOVING, C. C. Defining “Science” in a multicultural world: Implications for science education. Science Education, v. 85, p. 50-67, 2001.

CORREA, L.F.; BAZZO, W.A. A interdisciplinaridade efetiva requer o rompimento das fronteiras na Educação em Engenharia. Anais: XLI Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia. Gramado-RS, 2013.

FARES, E. et al. O Universo das sociedades numa perspectiva relativa: exercícios da Etnoastronomia. Revista Latino-Americana de Educação em Astronomia – RELEA. n. 1, p. 77-85, 2004.

FONSECA, O.; PINTO, S. P.; JURBERG, C. Mitos e constelações indígenas, confeccionando um planetário de mão. In X Reunón de la Red de Popularización de la Ciencia y la Tecnologia en América Latina y el Caribe y IV Taller “Ciencia, Comunicación y Sociedad”. San José-Costa Rica, 2007.

FRANCISCO, Z. L. A educação informal e a educação formal: interfaces e significados de saberes no ensino de Química em Moçambique. Olhar de professor, v.8, n. 1, p. 141-150, 2005.

GEORGE, J. Science Teachers as Innovators using Indigenous Resources. International Journal of Science Education, v. 14, n. 1, p. 95-109, 1992.

HOFSTEIN, A., AIKENHEAD, G., RIQUARTS, K. Discussions over STS at the fourth IOSTE symposium. International Journal of Science Education, v. 10, n. 4, p.357-366, 1988.

LANGHI, R. Astronomia nos anos iniciais do ensino fundamental: repensando a formação de professores. 2009. 372 fl. Tese (Doutorado em Educação para a Ciência) - UNESP. Bauru, 2009.

LIMA, F. P.; MOREIRA, I. de C. Tradições astronômicas tupinambás na visão de Claude D’Abbeville. REVISTA DA SBHC. v. 3, n. 1, p. 4-19, 2005.

LIMA, A.C.S. Um olhar sobre a presença das populações nativas na invenção do Brasil. In: Silva, A. L. e Grupioni, L. D. B. (Org.). A Temática Indígena na Escola – Novos desafios para professores de 1º e 2º graus. 3 ed., São Paulo: Global, Brasília: MEC: MARI: UNESCO, 2000.

PINHEIRO, P. C.; GIORDAN, M. O preparo do sabão de cinzas em Minas Gerais, Brasil: do status de etnociência à sua mediação para a sala de aula utilizando um sistema hipermídia etnográfico. Investigações em Ensino de Ciências, v. 15, n. 2, p. 355-383, 2010.

SANTOS, W. L. P.; MORTIMER, E. F. Uma análise de pressupostos teóricos da abordagem C-T-S (Ciência-Tecnologia-Sociedade) no contexto da educação brasileira. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, v.2, n.2, 2002.

SILVA, S. F. da. Sistema de numeração dos Guarani: caminhos para a prática pedagógica. 2011. Dissertação (Mestrado em Educação Científica e Tecnológica) – Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2011.

TRÉZ, T. de A. e. Feyerabend, interculturalismo e etnobiologia: algumas possíveis articulações no ensino de Biologia. Biotemas, v. 24, n. 3, p. 129-140, 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2179460X19113

Refbacks



Copyright (c)



Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.