Atividade motivacional, envolvendo aspectos intrínsecos e extrínsecos, e desempenho escolar em cursos de engenharia

Viviane Leite Dias de Mattos, Andréa Cristina Konrath, Elisa Henning

Abstract


O insucesso escolar e consequente evasão podem estar relacionados à falta de motivação dos estudantes de graduação. Atividades que motivem os acadêmicos têm, portanto, permeado as discussões dos profissionais e pesquisadores da Educação, com objetivo de melhorar o processo de ensino-aprendizagem. Sob esta ótica, este artigo se propõe investigar o efeito de um estímulo motivacional, envolvendo aspectos intrínsecos e extrínsecos, utilizado em uma disciplina de Probabilidade e Estatística oferecida a um curso de graduação em Engenharia Civil. O estímulo motivacional proposto consistiu da realização de uma atividade optativa sobre qualquer tema de interesse, preferencialmente relacionado Engenharia Civil. A única restrição imposta foi que houvessem dados a serem tratados estatisticamente com alguma das técnicas estudadas na disciplina. As notas obtidas na disciplina foram analisadas na forma de um projeto fatorial com dois fatores: atividade optativa e bimestre, ensaiados em dois e quatro níveis, respectivamente. Os resultados apontam evidências de que a variável bimestre tem efeito sobre a nota obtida pelo estudante. Esse estímulo motivacional pode ser considerado como um fator responsável pela real melhoria no processo de ensino-aprendizagem, propiciando o aperfeiçoamento dos conhecimentos em relação à técnica estatística utilizada, bem como em relação ao contexto de aplicação.

 


Keywords


Motivação, processo ensino-aprendizagem, ensino em engenharia.

References


Amaral, D. P.; Oliveira, F.B. (2011). O ProUni e a conclusão do ensino superior: questões introdutórias sobre os egressos do programa na zona oeste do Rio de Janeiro. Ensaio: aval. pol.públ. Educ., Rio de Janeiro, 19 (70), 21-42.

Aurélio (2008). Dicionário de Língua Portuguesa. 7ª Ed. Curitiba: Grupo Positivo.

Boruchovitch, E. (2008). Motivação para aprender de estudantes em curso de formação de professores. Revista Educação-PUC-RS, 31(1), 30-38.

Cabrito, B. G. (2009). Avaliar a qualidade em educação: avaliar o quê? Avaliar como? Avaliar para quê? Cad. CEDES [online]. vol.29, n.78, 178-200.

Deci, E. L.; Ryan, R M. (2008a). Facilitating optimal motivation and psychological well-being across life’s domains. Canadian Psychology, v. 49, n. 1, 4-23.

Deci, E. L.; Ryan, R. M. (2008b). Self-Determination Theory: a macrotheory of human motivation, development, and health. Canadian Psychology, v. 49, n. 3, 182-185.

Gottfried, A. E. & Gottfried, A. W. (2004).Toward the development of a conceptualization of gifted motivation. Gifted Child Quarterly, 48, 121–132.

Gottfried, A. E. (1985). Academic intrinsic motivation in elementary and junior high school students. Journal of Educational Psychology, 77(6), 631-645.

Gottfried, A. E. (1990). Academic intrinsic motivation in young elementary school children. Journal of Educational Psychology, 82(3), 525-538.

Gottfried, A. E., Fleming, J. S. & Gottfried, A.W. (2001). Continuity of academic intrinsic motivation from childhood through late adolescence, A longitudinal study. Journal of Educational Psychology, 93(1), 3-13.

Gottfried, A. E., Marcoulides, G. A., Gottfried, A. W., Oliver, P. H. & Guerin, D. W. (2007). Multivariate latent change modeling of developmental decline in academic intrinsic math motivation and achievement, Childhood through adolescence. International Journal of Behavioral Development, 31(4), 317 - 327.

Gottfried, A. W., Gottfried, A.E., Cook, C. & Morris, P. (2005). Educational characteristics of adolescents with gifted academic intrinsic motivation, A longitudinal study from school entry through early adulthood. Gifted Child Quarterly, 49, 172-186.

Guimarães, S. E. R., Bzuneck, A. J., Sanches, S. F. (2002). Psicologia educacional nos cursos de licenciatura: a motivação dos estudantes. Psicologia Escolar e Educacional, Campinas, 6 (1), 11-19.

Guimarães, S. E. R. (2004). Motivação intrínseca, extrínseca e o uso de recompensas em sala de aula. Em E. Boruchovitch & J. A. Bzuneck (Eds.), Motivação do aluno: Contribuições da psicologia contemporânea, 3ª ed. Petrópolis, RJ, Vozes, 37-57.

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. (2014). Censo da Educação Superior. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/web/censo-da-educacao-superior/evolucao -1980-a-2007. Acessado em: jan. de 2015.

Lens, W., Matos, L., & Vansteenkiste, M. (2008, janeiro/abril). Professores como fontes de motivação dos alunos: o quê e o porquê da aprendizagem do aluno. Educação, Porto Alegre, 31 (1), 17-10.

Leite, C.; Fernandes, P. (2014). Avaliação, qualidade e equidade. Avaliação (Campinas) [online]. vol.19, n.2, 421-438.

Martineli, S.C. (2014). Um estudo sobre desempenho escolar e motivação de crianças. Educar em Revista, 53, 201-216.

Martins, C. B. N.(2007). Evasão de alunos nos cursos de graduação em uma instituição de ensino superior. Dissertação de mestrado da Fundação Dr. Pedro Leopoldo. Disponível em: http://www.fpl.edu.br/2013/media/pdfs/mestrado/dissertacoes_2007/dissertacao_cleidis_beatriz_nogueira_martins_2007.pdf. Acessado em: jan. de 2015.

Torres, M. F. S. (2009). Modos de trabalho pedagógico e de avaliação da aprendizagem no ensino superior – um estudo na Universidade do Porto. (Tese de doutorado). Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto para a obtenção do grau de Doutor em Ciências da Educação.

Reeve, J., Deci, E.L., Ryan, R.M. (2004). Self-determination theory: a dialetical framework for understanding sociocultural influences on student motivation. In Mcinerney, D. M. & Van Etten, S. (Orgs.). Big theories revisited. Greenwich, EUA: Information Age Publishing, 31-60.

Ryan, R. M. & Deci, E. L. (2000). Intrinsic and extrinsic motivations: Classic definitions and new directions. Contemporary Educational Psychology, 25, 54-67.




DOI: https://doi.org/10.5902/2179460X17177

Copyright (c)



Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.