Pessimismo como postura: o elemento afetivo da tese do "pior dos mundos possíveis"

Marcelo Vieira Lopes

Resumo


O objetivo geral deste trabalho é abordar a tese pessimista encontrada na filosofia de Arthur Schopenhauer a partir da noção de postura. Nesta abordagem exponho os traços característicos de sua metafísica da Vontade e a implicação para a avaliação deste mundo como o “pior dos mundos possíveis”. Em seguida pretendo abordar a ligação entre filosofia e temperamento, a partir de alguns vieses identificados em alterações afetivas, bem como avaliar como ocorre essa ligação na filosofia pessimista de Schopenhauer. Após essa análise será possível avaliar o pessimismo schopenhaueriano a partir da tese metafilosófica de que o temperamento é parte constitutiva de posturas filosóficas, as quais devem ser levadas em consideração na análise do alcance de teses filosóficas gerais.


Palavras-chave


Pessimismo; Sofrimento; Schopenhauer; Sentimento

Texto completo:

PDF HTML

Referências


BEISER, F. Weltschmerz: Pessimism in German Philosophy, 1860–1900. Oxford University Press, 2016.

DEBONA, V. Pessimismo e Eudemonologia: Schopenhauer entre Pessimismo Metafísico e Pessimismo Pragmático. Kriterion, Belo Horizonte, v. 57, n. 135, p. 781-802, Dec. 2016.

DÖRPINGHAUS, A. Schopenhauers rhetorische Argumentation für den Pessimismus. Schopenhauer Jahrbuch, Würzburg, Bd. 80, 1999, pp. 63-85.

FREUD, S. Luto e Melancolia. Trad. de Marilene Carone, Cosac Naify, 2014.

JAMES, W. William James Writings, 1902-1910. Literary Classics of the United States, 1987.

MALTER, R. Il pessimismo: un concetto critico. In: La scuola di Schopenhauer: testi e contesti. Lecce: Pensa Multimedia, 2009, pp. 624-635.

MORAES, D. O pessimismo moral schopenhaueriano: origem, significado e alcance. ethic@ - An international Journal for Moral Philosophy, Florianópolis, v. 16, n. 2, p. 347-374, dez. 2017.

NIETZSCHE, F. W. O nascimento da tragédia, ou Helenismo e Pessimismo. Trad. J. Guinsburg. São Paulo, Companhia das Letras, 1992.

NIETZSCHE, F. W. Além do Bem e do Mal: Prelúdio a uma filosofia do futuro. Trad. Paulo César de Souza. São Paulo, Companhia das Letras, 2010.

RATCLIFFE, M. Feelings of Being, Phenomenology, Psychiatry and the Sense of Reality. Oxford University Press, 2008.

RATCLIFFE, M. Experiences of Depression A Study in Phenomenology. Oxford University Press, 2009.

RATCLIFFE, M. What is it to lose hope? Phenomenology and the Cognitive Sciences Dec. 2013, Volume 12, Issue 4, pp 597–614.

SCHOPENHAUER, A. O Mundo como Vontade e como Representação. Trad. Jair Barboza. Editora Unesp, 2005.

SIMMEL, G. Schopenhauer & Nietzsche. Trad.César Benjamin. Contraponto Editora, 2005.

TOLSTOY. L. A Confession. Trans. Maude, A. Mineola, N.Y.: Dover Publications Inc, 2005.

VAN FRAASSEN, B. The Empirical Stance. Yale UNiversity Press, 2002.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2179378638203

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Voluntas: Revista Internacional de Filosofia

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial-Compartilha Igual 4.0 Internacional.