Caráter e liberdade da vontade em Arthur Schopenhauer

Rodrigo Mota

Resumo


Este artigo pretende expor a visão da filosofia de Arthur Schopenhauer sobre a possibilidade do livre-arbítrio humano, destacando o papel do caráter individual como fundamento último das escolhas pessoais. A onipresença da causalidade no nosso mundo representado nos impede de pensar algo sem razão suficiente. De onde vem nosso sentimento de liberdade e, principalmente, de responsabilidade? Veremos quais respostas Schopenhauer deu a estas e a outras questões relacionadas à liberdade da vontade.

Palavras-chave


Caráter; Livre-arbítrio; Vontade

Texto completo:

PDF

Referências


RISTOTLE. On the Heavens. In: The complete Works of Aristotle: The revised

Oxford translation, Vol. I. Princeton: Princeton University Press, 1995.

KANT, Immanuel. Crítica da Razão Pura. 7ª ed. Lisboa: Fundação Calouste

Gulbenkian, 2010.

SAFRANSKI, Rüdiger. Schopenhauer e os anos mais selvagens da filosofia. 1ª. Edição. São Paulo: Geração Editorial, 2011.

SCHOPENHAUER, Arthur. Über die Freiheit des menschlichen Willens; Über die Grundlage der Moral. Zürich: Diogenes Verlag AG., 1977. E/E.

SIMMEL, Georg. Soziologie: Untersuchungen über die Formen der Vergesellschaftung. Frankfurt am Main: Suhrkamp, 1992




DOI: https://doi.org/10.5902/2179378633866

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Voluntas: Revista Internacional de Filosofia

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial-Compartilha Igual 4.0 Internacional.