O conceito de autonomia sob a perspectiva de sujeitos acometidos por Acidente Vascular Cerebral

Mírian Bolson Serafin, Taísa Gomes Ferreira, Aline Sarturi Ponte, Miriam Cabrera Corvelo Delboni

Resumo


Este estudo tem como objetivo compreender o conceito de autonomia sobre a perspectiva de sujeitos acometido por Acidente Vascular Cerebral – AVC, familiares/cuidadores e dos terapeutas ocupacionais. Trata-se um estudo qualitativo. Participaram deste estudo pessoas acometidas por AVC que mantinham acompanhamento em um Ambulatório de Terapia Ocupacional de uma Universidade Federal da região central do Rio Grande do Sul, seus cuidadores e terapeutas ocupacionais. A coleta de dados ocorreu no período de março a julho de 2014, e para esta utilizou-se uma entrevista semiestruturada. Os dados foram analisados através da Análise de Conteúdo. A partir desta sugiram quatro categorias relevantes para a compreensão da temática: Autonomia nas escolhas; Interferência no cotidiano; Busca por objetivos a médio e longo prazo; Autonomia nas atividades. O estudo traz contribuições para a compreensão da concepção sobre a autonomia nas diferentes percepções. Através dos resultados se fez notar a necessidade de maior número de estudos com aprofundamento sobre os aspectos centrais do tema, devido à importância sobre a influência da autonomia nos papéis sociais e na qualidade de vida dos sujeitos acometidos por AVC.


Palavras-chave


Autonomia pessoal, Pessoas com deficiência, Acidente vascular cerebral.

Texto completo:

PDF

Referências


Michaelis. Dicionário da Língua Portuguesa. [online]. Disponível em. Acesso em: 28 ago. 2017.

Jacobs K, Jacobs L. Dicionário de Terapia Ocupacional. São Paulo: Roca, 2006.

Mcewen M, Wills EM. Bases teóricas para enfermagem. 2. ed. Tradução de Ana Maria Thorell. Porto Alegre: Artmed. 2009. p. 169-172.

Baptiste S. Enabling communication in a person-centred, occupation-focussed context. In: Curtin M, Molineux M, Supyk J. Occupational Therapy and Physical Dysfunction: Enabling Occupation. 6ª ed. New York : Churchill Livingstone/Elsevier, 2010. p. 151-160.

Fleury-Teixeira P, Vaz FAC, Campos FCC, Álvares J, Aguiar RAT Oliveira VA. Autonomia como categoria central no conceito de promoção de saúde. Ciência & Saúde Coletiva. Rio de Janeiro. 2008; 13(Sup 2):2115-22.

Lalande A. Vocabulário técnico e crítico da filosofia. 2°. Ed. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

Lolas F. Bioética: o que é, como se faz. São Paulo: Loyola; 2001.

Castanharo RCT, Wolff LDG. O autocuidado sob a perspectiva da Terapia Ocupacional: análise da produção científica. Cad. Ter. Ocup. UFSCar. São Carlos. 2014; 22(1):175-86.

Ponte AS, Fedosse E. Lesão Encefálica Adquirida: impacto na atividade laboral de sujeitos em idade produtiva e de seus familiares. Ciência & Saúde Coletiva. Rio de Janeiro. 2016; 21(10):3171-3182.

Delboni MCC; Malengo PCM; Schimidt E. Relação entre os aspectos das alterações funcionais e seu impacto na qualidade de vida das pessoas com sequelas de Acidente Vascular Encefálico (AVE). O Mundo da Saúde. São Paulo. 2010; 34(2):165-175.

Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70. 2011.

Burnagui JG, Rosa MP, Nascimento GCC. Autonomia e independência. Rev Ter Ocup Univ São Paulo. São Paulo. 2016;27(1):21-8.

Alves TC, Oliveira WF, Vasconcelos EM. A visão de usuários, familiares e profissionais acerca do empoderamento em saúde mental. Physis. Rio de Janeiro. 2013; 23(1):51-71.

Hossne WS, Zaher VL. Bioética e Reabilitação. O Mundo da Saúde. São Paulo. 2006; 30(1):11-19, 2006.

Baradó AF. Ética e bioética na práxis da fisioterapia: desvelando comportamentos [Tese]. Brasília: Faculdade de Ciências da Saúde, Universidade de Brasília; 2008.

Salles MM, Matsukura TS. Estudo de revisão sistemática sobre o uso do conceito de cotidiano no campo da terapia ocupacional no Brasil. Cadernos de Terapia Ocupacional da UFSCar. São Carlos. 2013; 21(2):265-273.

Farias HHQ, Vall J, Oliveira DC, Braga VAB. O ser cuidador da pessoa idosa com lesão cerebral: um estudo teórico. Rev. RENE. Fortaleza. 2005; 6(3):112-119.

Cruz DCM, Loureiro HAM, Fernandes MM, Silva MAN. As vivências do cuidador informal do idoso dependente. Revista Enfermagem Referência. Coimbra. 2010; 3(2):127-136.

Ponte AS, Fedosse E. O Cotidiano e a Condição Laboral de Sujeitos Acometidos por Lesão Encefálica Adquirida. [Dissertação]. Santa Maria: Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal de Santa Maria; 2015.

Woodson AM. Acidente Vascular Cerebral. In: Radomiski MV, Latham CAT. Terapia ocupacional para disfunções físicas.5a ed. São Paulo: Santos. 2008. p. 817-854.

. Glat R, Pletsch MD. O papel da Universidade frente às políticas públicas para educação inclusiva. Revista Benjamin Constant. Rio de Janeiro. 2004; 29(10): 3-8.




DOI: https://doi.org/10.5902/2236583438723

Direitos autorais Saúde (Santa Maria)

______________________________________________________________

Peridiocidade: Fluxo Contínuo.


Qualis:


Interdisciplinar e Educação Física - B3

Ciências Ambientais, Enfermagem, Odontologia e Saúde Coletiva - B4

Medicina Veterinária - B5

Biotecnologia e Ciências Biológias II - C

  

 Licença Creative Commons 

Saúde (Santa Maria) ∴ revistasaude.ufsm@gmail.com

eISSN 2236-5834 ∴ DOI 10592/22365834

 

Acessos desde 08/08/2013.