A CRISE ENTRE O MODO DE PRODUÇÃO CAPITALISTA E A FINITUDE DOS RECURSOS NATURAIS: A ASCENSÃO DE UM NOVO MODELO ÉTICO COMO ALICERCE DE UM ESTADO AMBIENTAL DE DIREITO

Fabiano Rodrigues Lima, Viviane Teixeira Dotto Coitinho

Resumo


A alta velocidade com que se desenvolve a sociedade no campo da tecnologia é contrária à garantia do mínimo existencial, desencadeando, assim, o processo de desequilíbrio ambiental, pois a contínua exploração desenfreada acarretará a falta de condições para a existência humana. Sendo necessário notar a enorme importância que a preservação da biodiversidade representa aos cidadãos. No que concerne à diversidade das espécies, a sua funcionalidade destaca-se no fornecimento de recursos para os seres humanos, além de representar o alcance das adaptações evolucionárias e ecológicas das espécies em determinados ambientes. Desta forma, o presente trabalho busca analisar a crise entre o modo de produção capitalista e a finitude dos recursos naturais trazendo a ascensão de um novo modelo ético como alicerce de um estado ambiental de direito.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5902/198136948405

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2013 Revista Eletrônica do Curso de Direito da UFSM

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

REVISTA ELETRÔNICA DO CURSO DE DIREITO DA UFSM - Qualis A1

RECDUFSM  /  ISSN 1981-3694   /  Digital Object Identifier (DOI): 10.5902/19813694  http://periodicos.ufsm.br/revistadireito

Revista Qualis A1 área de Direito /  Classificações de Periódicos Quadriênio 2013-2016 (CAPES)