Educação critica: uma aliança entre Educação Ambiental e M-learning

Amanda Pereira Santos, Eder Batista da Silva, Ana Lúcia Bezerra Candeias, Maria Aparecida Tenório da Costa

Resumo


O Bairro do Recife, um patrimônio do estado de Pernambuco, possui uma dinâmica única, e faz parte do imaginário cultural e afetivo dos recifenses, por ser parte da história da formação tanto da cidade, como também do estado. Dessa forma, é importante que o mesmo seja trabalhado na sala de aula, de forma interdisciplinar, aproximando os conteúdos formais com o cotidiano dos estudantes. Para superar esse desafio, um trabalho de educação ambiental atrelado às tecnologias móveis é essencial, pois assim o processo de aprendizado acompanhará o ritmo frenético do mundo globalizado. Diante de dessa realidade a educação ambiental, em conjunto com o M-learning, respeita o tempo de aprendizagem de cada aluno, e possibilita a construção de conhecimento a qualquer hora e lugar. O objetivo da pesquisa é analisar a maneira como os alunos do ensino médio se apropriam de conhecimentos acerca do Bairro do Recife utilizando as tecnologias móveis. Para isso fez-se uso da metodologia qualitativa durante a realização de oficinas participativas com estudantes dos três anos do ensino médio de uma escola de referência da cidade do Recife. Durante as atividades desenvolvidas os participantes puderam utilizar os smartphones para pesquisar e compartilhar notícias. A observação pelo olhar da sociologia reflexiva e a análise dos discursos dos educandos permitiu afirmar que as tecnologias móveis são ferramentas importantes no processo de ensino e aprendizagem, e com o adequado emprego destas é possível refletir criticamente na construção de novos conhecimentos acerca do Bairro do Recife.


Palavras-chave


Educação crítica; M-learning; Bairro do Recife.

Texto completo:

PDF HTML

Referências


BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm. Acesso em: 16 nov. 2016.

COUTO, Hildo Honório; COUTO, Elza Kioko Nakayama Nenoki do; BORGES, Lorena Araújo de Oliveira. Análise do discurso ecológica – ADE. Campinas, SP: Pontes Editores, 2015. (Coleção Linguagem e Sociedade, v. 9).

DIJK, Teun A. van. Discurso e poder. São Paulo: Contexto, 2008a.

DIJK, Teun A. van. Racismo e discurso na América Latina. São Paulo: Contexto, 2008b.

GOHN, Maria da Glória. Educação não formal e o educador social: atuação no desenvolvimento de projetos sociais. São Paulo: Cortez, 2010.

GRAZIOLA JUNIOR, Paulo Gaspar. Aprendizagem com mobilidade na perspectiva dialógica: reflexões e possibilidades para práticas pedagógicas. 2009, 239f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2009.

LEFF, Enrique. Epistemologia Ambiental. 3. ed., São Paulo: Cortez, 2002.

LEFF, Enrique. Complexidade, racionalidade ambiental e diálogo de saberes. Educação & Realidade. v. 34, n. 3, p. 17-24, set- dez, 2009. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/9515. Acesso em: 08 jun. 2019.

LEFF, Enrique. As aventuras da epistemologia ambiental: da articulação das ao diálogo dos saberes. Cortez, são Paulo, 2012.

LEITE, Rogerio Proença. Patrimônio e enobrecimento no Bairro do Recife. Revista CPC, São Paulo, v. 1, n. 2, p.17-30, maio 2006. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/cpc/article/view/15587. Acesso em: 15 maio 2017.

LOUREIRO, Carlos Frederico B; FRANCO, Jussara Botelho. Aspectos teóricos e metodológicos do círculo de cultura: uma possibilidade pedagógica e dialógica em educação ambiental. In.: LOUREIRO, Carlos Frederico B; TORRES, Juliana Rezende (Orgs.). Educação Ambiental: dialogando com Paulo Freire. São Paulo: Cortez, 2014, p. 155 – 180.

LUCA, Andréa Quirino de; ANDRADE, Daniel Fonseca de. O ‘diálogo’ como objeto de educação ambiental. In.: SORRENTINO, Marcos (Org.). Educação ambiental e políticas públicas: conceitos, fundamentos e vivências. Curitiba: Appris, 2013, p. 119 – 129.

LUZZI, Daniel. Educação e meio ambiente: uma relação intrínseca. Barueri, SP: Manole, 2012.

MAGALHÃES, Solange Martins Oliveira. Professores e educação ambiental: tecendo os fios de uma formação transdisciplinar. In.:

NETO, Alexandre Shigunov; FORTUNATO, Ivan (Orgs.). Educação ambiental e formação de professores. Rio de Janeiro: Editora Ciência Moderna, 2016, p. 109 – 127.

MATTOS, Elenir Maria Andreolla; CASTANHA, André Paulo. A IMPORTÂNCIA DA PESQUISA ESCOLAR PARA A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO DO ALUNO NO ENSINO FUNDAMENTAL. Projeto de Intervenção Pedagógica na Escola apresentado ao Programa de Desenvolvimento Educacional da Secretaria de Educação do Estado do Paraná, Paraná, p.1-11, 2008. Disponível em: http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/2525-6.pdf. Acesso em: 30 ago. 2019.

MELUCCI, Alberto. Por uma Sociologia Reflexiva: pesquisa qualitativa e cultura. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

MORAN, José Manuel; BEHRENS, Marilda Aparecida; MASETTO,

Marcos T. Ensino e Aprendizagem Inovadoras com Tecnologias Audiovisuais e Telemáticas. In: MORAN, José Manuel; BEHRENS, Marilda Aparecida; MASETTO, Marcos T. Novas Tecnologias e Mediação Pedagógica. 8. ed., Campinas (SP): Papirus, 2004, cap. 1, p. 11-66.

MORIN, Edgar. Ensinar a viver: manifesto para mudar a educação. Porto Alegre: Sulina, 2015. 183p.

MOTA, Maria José Alves. A educação ambiental e as tecnologias [manuscrito]. 2014, 27f. Monografia (Especialização em Fundamentos da Educação: práticas pedagógicas interdisciplinares) - Universidade Estadual da Paraíba, Monteiro, 2014.

RECIFE. Lei Municipal nº 17.837, de 09 de novembro de 2012. Proíbe o uso de aparelho celular e equipamentos eletrônicos nas salas de aulas das escolas municipais e particulares, localizadas na cidade do Recife, exceto aqueles para uso pedagógico e dá outras providências. Disponível em: http://www.portalcme.recife.pe.gov.br/content/lei-nº-17837-2012. Acesso em: 20 jun. 2018.

RICARDO, Elio Carlos. Implementação dos PCN em sala de aula: dificuldades e possibilidades. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, Florianópolis, v. 4, n. 1, p. 8-11, 2003. Disponível em: http://www.sbfisica.org.br/fne/Vol4/Num1/a04.pdf. Acesso em: 18 mai. 2018.

RICHARDSON, Roberto. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. 3 ed. São Paulo: Atlas, 1999.

RODRIGUES, Gelze Serrat Souza Campos; COLESANTI, Marlene Teresinha Muno. Educação Ambiental e as Novas Tecnologias de Informação e Comunicação. Revista Sociedade & Natureza, [S.l.], v. 20, n. 1, ago. 2008. ISSN 1982-4513. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/sociedadenatureza/article/view/9398. Acesso em: 18 jul. 2018.

SABOIA, Juliana; VIVA, Marco Aurélio de Andrade; VARGAS, Patrícia Leal de. O uso dos dispositivos móveis no processo de ensino e aprendizagem no meio virtual. Revista Cesuca Virtual: Conhecimento Sem Fronteiras [S.l.], v. 1, n. 1, jul. 2013. ISSN 2318-4221. Disponível em: http://ojs.cesuca.edu.br/index.php/cesucavirtual/article/view/424. Acesso em: 26 nov. 2018.

SANTOS, Andreia Inamorato dos. Educação Aberta: histórico, prática e o contexto dos recursos educacionais abertos. In:

SANTANA, Bianca. Recursos Educacionais Abertos: Práticas Colaborativas e Políticas Públicas. São Paulo: Casa da Cultura Digital, 2012. Cap. 3, p. 71-90.

SANTOS, Milton. Pensando o espaço do homem. 4. ed. São Paulo: Hucitec, 1997.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 3. ed. São Paulo: Hucitec, 1999.

SANTOS, Rosane Maria Rudnick; SOUZA, Sandra Mara Lopes. Metodologia do Ensino: História e Geografia. Curitiba - PR: IBPEX, 2010.

URPI, Montoya Uriarte. Por trás das fachadas coloridas. Ponto Urbe [Online], n. 7, dez. 2010. Disponível em: https://journals.openedition.org/pontourbe/1654. Acesso em: 10 nov. 2017.

ZIBAS, Dagmar M. L. A reforma do ensino médio nos anos de 1990: o parto da montanha e as novas perspectivas. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, n. 28, p. 24-36, abr. 2005. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-24782005000100003. Acesso em: 26 nov. 2018.




DOI: https://doi.org/10.5902/1984644437004

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc - Prédio 16
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao


ISSN Eletrônico: 1984-6444

DOI: http://dx.doi.org/10.5902/19846444

Qualis/Capes: Educação A1

Periodicidade: Publicação contínua

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

A Revista Educação (UFSM) agradece auxílio recebido por meio do Edital Pró-Revistas, da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, da Universidade Federal de Santa Maria. 

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International (CC BY 4.0).

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

____________________________________________________

    

SalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar