Abordagens teórico-práticas e metodológicas na formação em enfermagem para a saúde mental

Fabiana Porto da Silva, Daiana Foggiato de Siqueira, Mara Regina Caino Teixeira Marchiori, Juliana Silveira Colomé

Resumo


Objetivo: identificar as atividades curriculares teórico-práticas e metodológicas na formação do enfermeiro relacionadas à educação em saúde mental. Método: estudo documental, descritivo e exploratório, de abordagem qualitativa. Foi desenvolvido em dois Cursos de Graduação em Enfermagem de um município do interior do Estado do Rio Grande do Sul, sendo um deles de caráter público e outro, privado. Foram analisados os planos de ensino de disciplinas, segundo análise documental. Os dados foram coletados no segundo semestre de 2018. Resultados: as atividades curriculares teórico-práticas e metodológicas relacionadas à educação em saúde mental estão inseridas de modo articulado a outros saberes, mostrando que a dimensão teórica vem acompanhando as transformações nesse campo de saberes e práticas. Conclusão: as disciplinas contemplam abordagens coerentes com as situações sociais, econômicas e culturais, porém observam-se poucas informações sobre a dimensão metodológica, relacionada aos cenários de práticas para a educação em saúde mental.


Palavras-chave


Enfermagem; Educação; Saúde Mental; Sistema Único de Saúde

Referências


BRASIL. Ministério da Saúde. Presidência da República. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei nº 10.216, de 06 de abril de 2001. Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental. Brasília (DF): Ministério da Saúde, 2001. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10216. Acesso em: 25 jun. 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 366, de 19 de fevereiro de 2002. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2002. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2002/prt0336_19_02_2002. Acesso em 10 mar/ 2017.

Cohn A. “Caminhos da reforma sanitária”, revisitado. Estudos Avançados. 2018;32(93):225-41. doi: https://doi.org/10.5935/0103-4014.20180040

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 573, de 31 de janeiro de 2018. Diário Oficial da União: Seção 1, Brasília, DF, p. 38., 06 nov. 2018. Disponível em: https://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2018/Reso573.pdf. Acesso em: 12 nov. 2018.

Soares AN, Souza V, Santos FBO, Carneiro ACLL, Gazzinelli MF. Dispositivo Educação em Saúde: reflexões sobre práticas educativas na atenção primária e formação em enfermagem. Texto Contexto Enferm. 2017;26(03):e0260016. doi: https://doi.org/10.1590/0104-07072017000260016

Cellard A. A análise documental. In: Poupart J. A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. 3ª ed. Vozes: Rio de Janeiro; 2012. p. 295-316.

Vasconcelos CM, Pasche D. O SUS em perspectiva. In: Campos GWS (Org). Tratado de saúde coletiva. 2ª ed. Hucitec: São Paulo; 2012. p. 559-90.

Morosini MVGC, Fonseca AF, Lima LD. Política nacional de atenção básica 2017: retrocessos e riscos para o sistema único de saúde. Saúde Debate. 2018;42(116):11-24. doi: https://doi.org/10.1590/0103-1104201811601

Andrade APM, Maluf SW. Experiências de desinstitucionalização na reforma psiquiátrica brasileira: uma abordagem de gênero. Interface Comun Saúde Educ (Online). 2017;21(63):811-21. doi: https://doi.org/10.1590/1807-57622015.0760

Amarante P, Torre EHG. Loucura e diversidade cultural: inovação e ruptura nas experiências de arte e cultura da reforma psiquiátrica e do campo da saúde mental no Brasil. Interface Comun Saúde Educ. 2017;21(63):763-4. doi: https://doi.org/10.1590/1807-57622016.0881

Rocha EM, Lucena AF. Projeto terapêutico singular de enfermagem em uma perspectiva de cuidado interdisciplinar. Rev Gaúcha Enferm. 2018;24(39):e2017-0057. doi: https://doi.org/10.1590/1983-1447.2018.2017-0057

Magnago C, Pierantoni CR, Carvalho CL, Girardi SN. A formação do enfermeiro em diferentes regiões de saúde do Brasil. Rev Bras Saude Mater Infant (Online). 2017;17(1):S219-228. doi: https://doi.org/10.1590/1806-9304201700s100010

Peres CRFB, Marin MJS, Soriano ECI, Ferreira MLSM. Um olhar dialético para as mudanças curriculares na formação do enfermeiro. Rev Esc Enferm USP. 2018;24(52):e03397. doi: https://doi.org/10.1590/s1980-220x2017038003397

Macedo KDS, Acosta BS, Silva EB, Souza NS, Beck CLC, Silva KKD. Metodologias ativas de aprendizagem: caminhos possíveis para inovação no ensino em saúde. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2018;22(3):e20170435. doi: https://doi.org/10.1590/2177-9465-ean-2017-0435

Vieira MNCM, Panúncio-Pinto MP. A metodologia da problematização (MP) como estratégia de integração ensino-serviço em cursos de graduação na área da saúde. Medicina (Ribeirão Preto). 2018;48(3):241-8. doi: https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v48i3p241-248

Nicola RMS, Behrens MA. Contribuições da teoria da complexidade para inovação no planejamento pedagógico do ensino superior. Rev Diálogo Educ (Online). 2017;17(52):357-86. doi: https://doi.org/10.7213/1981-416X.17.052.DS03




DOI: https://doi.org/10.5902/2179769240141

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Este site está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.