Redes sociais de apoio no cuidado à pessoa com transtorno mental: reflexões

Daiana Foggiato de Siqueira, Mariane da Silva Xavier, Andreivna Kharenine Serbim, Marlene Gomes Terra

Resumo


Objetivo: refletir acerca das redes sociais de apoio formais e informais no cuidado à pessoa com transtorno mental centrado no paradigma psicossocial. Método: estudo teórico-reflexivo tendo como base epistemológica a Reforma Psiquiátrica Brasileira, que redireciona o modelo assistencial em saúde mental. Resultados: a família é fonte primária de recurso na rede social de apoio informal e, por vezes, é a chave para a efetividade do cuidado fornecido pela rede social de apoio formal. É importante que os serviços desenvolvam estratégias de apoio para que a pessoa com transtorno mental e sua família possam esclarecer suas dúvidas e minimizar os desafios que envolvem o cuidado em saúde mental. Conclusões: a rede social de apoio é um aspecto que necessita ser valorizado pelo profissional de saúde, pois a partir dela é possível planejar o cuidado em saúde mental.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2179769226118

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.