Fatores associados à cesariana eletiva em mulheres atendidas em um hospital referência do oeste catarinense

Maíra Rossetto, Joice Moreira Schmalfuss, Karine Bedin, Adelaine Marília Pinheiro, Joanna d’Arc Lyra Batista

Resumo


Objetivo: identificar os fatores associados à cesariana eletiva em mulheres atendidas em um hospital referência do oeste catarinense. Método: estudo transversal realizado com mulheres submetidas à cesariana. A coleta de dados ocorreu entre agosto e setembro de 2016, por meio de questionário padronizado e informações complementadas pelo prontuário e cartão pré-natal. Dados foram submetidos à regressão logística multivariada. Resultados: foram incluídas no estudo 206 mulheres. O resultado final do modelo multivariado mostrou associação de forma independente com a cesariana eletiva ter sido paga via particular ou por plano de saúde (Odds Ratio = 39,9 p<0,01) e a cor da pele autorreferida branca (Odds Ratio = 2,94 p=0,035). Conclusão: é necessário repensar a formação dos profissionais da área da saúde habilitados a atenderem gestantes, capacitando-os para o cuidado pré-natal e para o parto vaginal, visando, sobretudo, o respeito às indicações absolutas de cesarianas, especialmente nas gestantes atendidas no setor privado.


Palavras-chave


Saúde da Mulher; Assistência ao Parto; Cesárea; Fatores de Risco; Saúde Suplementar.

Referências


Entringer AP, Pinto M, Dias MAB, Gomes MASM. Análise de custo-efetividade do parto vaginal espontâneo e da cesariana eletiva para gestantes de risco habitual no Sistema Único de Saúde. Cad Saúde Pública. 2018;34(5):e00022517. doi: http://dx.doi.org/10.1590/0102-311X00022517

Domingues RMSM, Dias MAB, Nakamura-Pereira M, Torres JA, d’Orsi E, Pereira APE, et al. Processo de decisão pelo tipo de parto no Brasil: da preferência inicial das mulheres à via de parto final. Cad Saúde Pública. 2014;30 Supl 1:101-16. doi: http://dx.doi.org/10.1590/0102-311X00105113

Ministério da Saúde (BR). Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS). Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (SINASC). Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2020 [acesso em 2020 mar 29]. Disponível em: http://www2.datasus.gov.br/DATASUS/index.php?area=060702

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Diretrizes de Atenção à Gestante: a operação cesariana. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2016 [acesso em 2020 mar 25]. 115 p. Disponível em: http://conitec.gov.br/images/Consultas/Relatorios/2016/Relatorio_Diretrizes_Cesariana_N179.pdf

Organização Mundial da Saúde (OMS). Declaração da OMS sobre taxas de cesáreas [Internet]. Genebra: OMS; 2015 [acesso em 2020 mar 25]. Disponível em: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/161442/WHO_RHR_15.02_por.pdf

Saraiva JM, Gouveia HG, Gonçalves AC. Fatores associados a cesáreas em um hospital universitário de alta complexidade do sul do Brasil. Rev Gaúch Enferm. 2017;38(3):e69141. doi: https://doi.org/10.1590/1983-1447.2017.03.69141

Esteves-Pereira AP, Deneux-Tharaux C, Nakamura-Pereira M, Saucedo M, Bouvier-Colle MH, Leal MC. Caesarean delivery and postpartum maternal mortality: a population-based case control study in Brazil. PLoS One. 2016;11(4):e0153396. doi: 10.1371/journal.pone.0153396

Mascarello KC, Horta BL, Silveira MF. Maternal complications and cesarean section without indication: systematic review and meta-analysis. Rev Saúde Pública. 2017;51:105. doi: https://doi.org/10.11606/S1518-8787.2017051000389

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (BR), Gerência de Vigilância e Monitoramento em Serviços de Saúde (GVIMS), Gerência Geral de Tecnologia em Serviços de Saúde (GGTES). Medidas de prevenção e critérios diagnósticos de infecções puerperais em parto vaginal e cirurgia cesariana. Brasília (DF): Anvisa; 2017 [acesso em 2020 mar 25]. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/documents/33852/3507912/Caderno+8+-+Medidas+de+Preven%C3%A7%C3%A3o+e+Crit%C3%A9rios+Diagn%C3%B3sticos+de+Infec%C3%A7%C3%B5es+Puerperais+em+Parto+Vaginal+e+Cirurgia+Cesariana/08dee73e-ffef-433f-8fb8-c5f7fc8053a0

Nakamura-Pereira M, Leal MC, Esteves-Pereira AP, Domingues RMSM, Torres JA, Dias MAB, et al. Use of Robson classification to asses cesarean section rate in Brazil: the role of source of payment for childbirth. Reprod Health. 2016;13(Suppl 3):128. doi: https://doi.org/10.1186/s12978-016-0228-7

Riscado LC, Jannotti CB, Barbosa RHS. A decisão pela via de parto no Brasil: temas e tendências na produção da saúde coletiva. Texto & Contexto Enferm. 2016;25(1):e3570014. doi: http://dx.doi.org/10.1590/0104-0707201600003570014

Oliveira RR, Melo EC, Novaes ES, Ferracioli PLRV, Mathias TAF. Fatores associados ao parto cesárea nos sistemas público e privado de atenção à saúde. Rev Esc Enferm USP. 2016;50(5):734-41. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-623420160000600004

Leal MC, Esteves-Pereira AP, Nakamura-Pereira M, Torres JA, Domingues RMSM, Dias MAB, et al. Provider-initiated late preterm births in Brazil: differences between public and private health services. PLoS One. 2016;11(5):1-14. doi: https://doi.org/10.1371/journal.pone.015551

Copelli FHS, Rocha L, Zampieri MFM, Gregório VRP, Custódio ZAO. Fatores determinantes para a preferência da mulher pela cesariana. Texto & Contexto Enferm. 2015;24(2):336-43. doi: http://dx.doi.org/10.1590/0104-07072015000430014

Ferrari AP, Carvalhaes MABL, Parada CMGL. Associação entre pré‑natal e parto na rede de saúde suplementar e cesárea eletiva. Rev Bras Epidemiol. 2016;19(1):75-88. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1980-5497201600010007

Zaiden L, Nakamura-Pereira M, Gomes MAM, Esteves-Pereira AP, Leal MC. Influência das características hospitalares na realização de cesárea eletiva na Região Sudeste do Brasil. Cad Saúde Pública. 2020;36(1):e00218218. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0102-311X00218218

Madeiro A, Rufino AC, Santos AO. Partos cesáreos no Piauí: tendência e fatores associados no período 2000-2011. Epidemiol Serv Saúde. 2017;26(1):81-90. doi: http://dx.doi.org/10.5123/s1679-49742017000100009

Huesch M, Doctor JN. Factors associated with increased cesarean risk among African American women: evidence from California, 2010. Am J Public Health. 2015;105(5):956-62. doi: https://doi.org/10.2105/AJPH.2014.302381

Freitas PF, Fernandes TMB. Associação entre fatores institucionais, perfil da assistência ao parto e as taxas de cesariana em Santa Catarina. Rev Bras Epidemiol. 2016;19(3):525-38. doi: https://doi.org/10.1590/1980-5497201600030005

Leal MC, Gama SGN, Pereira APE, Pacheco VE, Carmo CN, Santos RV. A cor da dor: iniquidades raciais na atenção pré-natal e ao parto no Brasil. Cad Saúde Pública. 2017;33 Supl 1:e00078816. doi: https://doi.org/10.1590/0102-311X00078816




DOI: https://doi.org/10.5902/2179769239398

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Este site está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.