Significados de morte e morrer no curso de enfermagem: um relato de experiência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5902/217976923493

Palavras-chave:

Morte, Atitude frente a morte, Ensino, Educação, Enfermagem

Resumo

Objetivo: este artigo busca relatar a experiência docente das discussões acerca dos significados da morte expressados pelos acadêmicos de enfermagem. Método: essa discussão sobre os conceitos de morte ocorreu na disciplina de Psicologia da Saúde do curso de enfermagem da Universidade Federal de Santa Maria. Participaram da atividade 12 acadêmicos. A metodologia utilizada nos encontros foi a de ação-reflexão. Resultados: a partir dos registros sobre morte para os acadêmicos, foram organizadas sete categorias por aproximação de conteúdo, para melhor apresentar os significados emergidos. São elas: “Alívio para a alma”; “Inexorabilidade da morte”; “Medo do desconhecido”; “Degradação do corpo”; “Experiência da morte do outro: lembranças”; “Naturalidade da morte”; “Designação da morte como nefasta”. Considerações Finais: nessa multiplicidade de significados da morte que abarcam as diversas dimensões como biológica, social, psicológica, cultural, os acadêmicos e educador tiveram a oportunidade de construir e transformar seu conhecimento acerca da morte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Stefanie Griebeler Oliveira, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS

Enfermeira. Mestre em Enfermagem. Doutoranda em Enfermagem (UFRGS). Membro dos Grupos de Pesquisa: Cuidado, Saúde e Enfermagem (UFSM); Grupo de Estudos Culturais na Educação em Saúde e Enfermagem (UFRGS). Bolsista Capes.

Alberto Manuel Quintana, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS

Psicólogo. Doutor em Ciências Sociais. Professor Associado do Departamento de Psicologia e dos Programas de Pós-graduação (mestrado) de Enfermagem e de Psicologia/UFSM. Coordenador do Grupo de Pesquisa Núcleo de Estudos Interdisciplinares em Saúde (NEIS).

Maria de Lourdes Denardin Budó, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Professor Associado do DENFE e do Programa de Pós-graduação em Enfermagem/UFSM. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa Cuidado, Saúde e Enfermagem/UFSM.

Manoela Fonseca Lüdtke, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS

Acadêmica Psicologia. Membro do Grupo de Pesquisa Psicologia das Relações e Saúde (UFSM). Bolsista FIPE UFSM.

Paula Argemi Cassel, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS

Acadêmica de Psicologia. Membro do Grupo de Pesquisa Psicologia das Relações e Saúde (UFSM). Bolsista FIEX/2011.

Shana Hastenpflug Wottrich, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS

Psicóloga. Especialista em Cardiologia. Mestre em Psicologia. Professora Substituta do Departamento de Psicologia da UFSM. Membro do NEIS.

Catia Bairro Ferreira, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS

Pedagoga. Especialista em Gestão Educacional. Psicóloga Especializanda em Psico-oncologia pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais. Pedagoga do CEDEDICA (Centro de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente). Psicóloga da AAPECAN (Associação de Apoio as Pessoas com Câncer). Membro do NEIS.

Downloads

Publicado

2012-08-14

Como Citar

Oliveira, S. G., Quintana, A. M., Budó, M. de L. D., Lüdtke, M. F., Cassel, P. A., Wottrich, S. H., & Ferreira, C. B. (2012). Significados de morte e morrer no curso de enfermagem: um relato de experiência. Revista De Enfermagem Da UFSM, 2(2), 472–479. https://doi.org/10.5902/217976923493

Edição

Seção

Relato de experiência

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>