A VIOLÊNCIA E REPRESENTAÇÃO DO FEMININO NO CONTO A CALIGRAFIA DE DEUS, DE MÁRCIO SOUZA

Allison Leão, Mariana Vieira Cardoso

Resumo


As relações de opressão estão intimamente ligadas a diferenças que começam na fisionomia dos corpos e eclodem em violentas imposições de poder. Tradicionalmente, o pensamento sociocultural do patriarcalismo foi propagado na esfera política e estética, instituindo um ethos de violência e exclusão da mulher. Este silenciamento e opressão se soma, ainda, a preconceitos como o racismo e a xenofobia, condutas que marginalizam sobremaneira mulheres indígenas e negras, por exemplo. Assim, propomos uma leitura acerca da representação histórica e cultural das personagens femininas do conto A Caligrafia de Deus, a fim de compreendermos aspectos da violência simbólica presentes nesta narrativa.

Palavras-chave


Ficção brasileira. Literatura e História. Violência. Gênero. Márcio Souza.

Texto completo:

PDF

Referências


ARENDT, Hannah. Entre o passado e o futuro. Trad.: Mauro W. Barbosa. São Paulo: Perspectiva, 2014.

AVELAR, Idelber. Alegorias da derrota: a ficção pós-ditatorial e o trabalho do luto na

América Latina. Trad. Saulo Gouveia. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003.

BAKHTIN, Mikhail. Reformulação do livro sobre Dostoiévski. In: ______. Estética da criação verbal. Trad. Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2003b, p. 337-358.

BENJAMIN, Walter. A obra de arte na época de sua reprodutibilidade Técnica. In: ______. Estética e sociologia da arte. Trad. João Barrento. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.

. Experiência e pobreza. In: ______. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. Trad. Sérgio Paulo Rouanet. 7 ed. São Paulo: Brasiliense, 1994.

______. Sobre o conceito de história. Considerações sobre a obra de Nikolai Leskov. In: ______. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. Trad. Sérgio Paulo Rouanet. 7. ed. São Paulo: Brasiliense, 1994b.

BHABHA, Homi K., O local da cultura. Trad. Myriam Ávila, Eliana Reis e Glaucia Gonçalves. 2 ed. Belo Horizonte: UFMG, 2013.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Trad. Fernando Tomaz. Coleção Memória e Sociedade. Rio de Janeiro. Bertrand, 1989.

CONSELHO ULTRAMARINO, Códice 1275: Tratados e cartas de 1761, doc. 03, p. 379, Arquivo Histórico Ultramarino, Lisboa.

.

DARNTON, Robert. O grande massacre de gatos e outros episódios da história cultural francesa. Trad.: Sônia Coutinho. São Paulo, Graal, 2011.

FREUD, Sigmund. Luto e melancolia (1917 [1915]). In: ______. Edição Standard Brasileira das obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud. Volume XIV (1914-1916). Rio de Janeiro: Imago Editora LTDA, 1974.

______. O mal-estar da civilização (1974 [1930]. In: In: ______. Edição Standard Brasileira das obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud. Volume XIII (1927-1931). Rio de Janeiro: Imago Editora LTDA, 1974a.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir. Trad. Raquel Ramalhete. 27 ed. Petrópolis: Vozes, 1987.

GINZBURG, Jaime. A unidade brasileira e a forma sem síntese. In: ContraCorrente: revista de estudos literários. v. 2, n. 2, Manaus: UEA Edições, 2011. Disponível em: http://periodicos.uea.edu.br/index.php/contracorrente/article/view/468 em: Manaus, 15 de janeiro de 2020.

KRISTEVA, Julia. La révolution du langage poétique. Paris: Editions du Seuil, 1974. Disponível em: https://www.persee.fr/doc/ahess_0395-2649_1976_num_31_3_293738_t1_0599_0000_001 Acesso em: Manaus, 21 de setembro de 2019.

LE GOFF, Jacques. História e memória. Trad.: Bernardo Leitão [et. al.]. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 1990. Disponível em: https://www.ufrb.edu.br/ppgcom/images/Hist%C3%B3ria-e-Mem%C3%B3ria.pdf. Acesso em: 10 de setembro de 2019.

RICCEUR, Paul. A memória, a história e o esquecimento. Trad.: Alain François [et. al.]. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 2007.

SARLO, Beatriz. Tiempo pasado: cultura de la memoria y giro subjetivo una discusión. Buenos Aires: Siglo Veintiuno Editores, 2012.

SANTELLI, Adriana Delgado. As estações da Caligrafia de Deus. [S.l.: s.n.]. 2008. Disponível em: <> Acesso em: Manaus, 18 de junho de 2019.

SOUZA, Márcio. A caligrafia de Deus. São Paulo: Lazuli; Companhia Editora Nacional, 2007.

______. A expressão amazonense: do colonialismo ao neocolonialismo. São Paulo: Alfa-Omega, 1977.

SPIVAK, Gayatri Chakravorty. Pode o subalterno falar? Trad.: Sandra Regina Goulart Almeida, Marcos Pereira Feitosa e André Pereira Feitosa. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

TELLES, Tenório. A caligrafia de Deus: ilusão e tragédia nos trópicos. In: LEÃO, Allison; KRÜGER, Marcos Frederico (orgs.). O mostrador da derrota: estudos sobre o teatro e a ficção de Márcio Souza. Manaus: UEA Edições, 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Letras

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

 

                      

 

                

 

                

 

    

  

   

 

  

 

 

                                     QUALIS/CAPES: Letras B2

                              ISSN Versão Impressa: 1519-3985

                              ISSN Versão Digital: 2176-1485



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.