Como se narra a "História do Brasil" de frei Vicente do Salvador

Marcelo Lachat

Resumo


Nas letras portuguesas e luso-brasileiras dos séculos XVI a XVIII, embora sejam consistentes a produção e a circulação de textos de história, as preceptivas específicas acerca do gênero histórico são escassas. Tendo em vista essa escassez normativa, este artigo propõe-se a discutir, brevemente, em que consiste a arte histórica entre o Quinhentos e o Setecentos. A partir dessa discussão de preceitos – em particular, dos retóricos referentes à ars narrandi –, analisa-se, então, como se narra a História do Brasil composta, na primeira metade do século XVII, por frei Vicente do Salvador.


Palavras-chave


Letras luso-brasileiras seiscentistas; Arte histórica; Frei Vicente do Salvador; Retórica; Narração

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Olavo Vinícius Barbosa de. O Brutus de Marco Túlio Cícero: estudo e tradução. 200f. Dissertação (Mestrado em Letras Clássicas). FFLCH-DLCV, Universidade de São Paulo. São Paulo-SP, 2014.

ANDRADE, Luiz Cristiano de. A narrativa da vontade de Deus: a História do Brasil de frei Vicente do Salvador. Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional, 2014.

ARISTÓTELES. Retórica. Tradução e notas de Manuel Alexandre Júnior, Paulo Farmhouse Alberto e Abel do Nascimento Pena. 2ª ed. revista. Lisboa: Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 2005.

ARISTÓTELES. Poética. Tradução, prefácio, introdução, comentário e apêndices de Eudoro de Sousa. 8ª edição. Lisboa: Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 2008.

ARTAZA, Elena: El ars narrandi en el siglo XVI español: teoría y práctica. Bilbao: Universidad de Deusto, 1989.

BLUTEAU, Raphael. Vocabulario Portuguez, & Latino. Vol. 1. Coimbra: No Collegio das Artes da Companhia de Jesu, 1712.

BLUTEAU, Raphael. Vocabulario Portuguez, & Latino. Vol. 5. Lisboa Occidental: Na Officina de Pascoal da Sylva, 1716.

BONILHA, Alexandre. Manuel de Faria e Sousa, historiador. 236f. Tese (Doutorado em Literatura Portuguesa). FFLCH-DLCV, Universidade de São Paulo. São Paulo-SP, 2011.

BRANDÃO, Jacyntho Lins. Como se devem verter os antigos: Luciano e o século XVIII português. In: EUGÊNIO, João Kennedy (org.). Ficção e história: encontros com Luciano. Teresina: EDUFPI, 2010, p. 91-120.

CERQUEIRA, André Sekkel. A retórica da história no século XVII. LaborHistórico, Rio de Janeiro/RJ, v. 2, n. 1, p. 137-150, jan.-jun. 2016.

CÍCERO. De oratore. 2 Vols. London: William Heinemann LTD.; Cambridge, Massachusetts: Harvard University Press, 1967.

COLOMÈS, Jean. Le Dialogue “Hospital das Letras” de D. Francisco Manuel de Melo. Texte établi d’après l’édition princeps et les manuscrits, variantes et notes. Paris: Fundação Calouste Gulbenkian / Centro Cultural Português, 1970.

COSTA, Alexandre Barboza da. Das coisas maravilhosas e bestiais do Brasil: um estudo sobre o gênero histórico em Pero de Magalhães de Gandavo. 319f. Tese (Doutorado em Literatura Brasileira). FFLCH-DLCV, Universidade de São Paulo. São Paulo-SP, 2017.

DOYLE, William. O Antigo Regime. Tradução de Lólio Lourenço de Oliveira. São Paulo: Ática, 1991.

FARIA, Manuel Severim de. Discursos varios politicos. Évora: Impressos por Manoel Carvalho, Impressor da Universidade, 1624.

FUMAROLI, Marc. L’âge de l’éloquence: rhétorique et « res literaria » de la Renaissance au seuil de l’Époque Classique. Genève: Droz, 2009.

GONÇALVES, Soraia Nascimento. Contributos para a definição do orador ideal – estudo e tradução do “Orator” de Cícero. 346f. Dissertação (Mestrado em Estudos Clássicos). Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa. Lisboa, 2017.

GUIMARÃES, Jerry. “De qualquer outro do povo escrevera seu feito, se o achava em merecimento”: memória e esquecimento da “gente miúda” nas crônicas de Gomes Eanes de Zurara. 535f. Tese (Doutorado em Memória: Linguagem e Sociedade). Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Vitória da Conquista-BA, 2019.

HANSEN, João Adolfo. Ut pictura poesis e verossimilhança na doutrina do conceito no século XVII colonial. Floema especial, Vitória da Conquista/BA, ano II, n. 2, p. 111-131, out. 2006.

HARTOG François. A história de Homero a Santo Agostinho. Prefácios de historiadores e textos sobre história reunidos e comentados por François Hartog (org.); traduzidos para o português por Jacyntho Lins Brandão. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2001.

KANTOROWICZ, Ernst H. The king’s two bodies: a study in medieval political theology. Princeton: Princeton University Press, 2016.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Tradução de Wilma Patrícia Maas e Carlos Almeida Pereira; revisão de César Benjamin. Rio de Janeiro: Contraponto; Ed. Puc-Rio, 2006.

LACHAT, Marcelo. Ficção para deleite e desengano do mundo: os Apólogos Dialogais de D. Francisco Manuel de Melo. In: LACHAT, Marcelo (org.); COSTA E SILVA, Natali Fabiana (org.). Ficção e memória: estudos de poética, retórica e literatura. Macapá: Ed. Unifap, 2017, p. 61-80.

LAUSBERG, Heinrich. Manual de retórica literaria: fundamentos de una ciencia de la literatura. Vol. I. Versión española de José Pérez Riesco. Madrid: Gredos, 1999.

LUCIANO. Como se deve escrever a história. Tradução, notas, apêndices e ensaio por Jacyntho Lins Brandão. Belo Horizonte: Tessitura, 2009.

LUZ, Guilherme Amaral. Flores do desengano: poética do poder na América portuguesa (séculos XVI-XVIII). São Paulo: Editora Fap-Unifesp, 2013.

MASCARDI, Agostino. Dell’Arte Historica – Tratati Cinque. Roma: Apresso Giacomo Facciotti, 1636.

MELO, Francisco Manuel de. Apólogos Dialogais. Vol. 2. Introdução, fixação de texto e notas de Pedro Serra. Braga – Coimbra: Angelus Novus, 1999.

MUHANA, Adma. Nota acerca da “Arte de escrever história” e a História do Futuro de Antônio Vieira. In: EUGÊNIO, João Kennedy (org.). Ficção e história: encontros com Luciano. Teresina: EDUFPI, 2010, p. 179-200.

OLIVEIRA, Maria Lêda. A Historia do Brazil de Frei Vicente do Salvador: história e política no Império Português do século XVII. 2 vols. Rio de Janeiro: Versal; São Paulo: Odebrecht, 2008.

PÉCORA, Alcir. Vieira, o índio e o corpo místico. In: NOVAES, Adauto (org.). Tempo e história. São Paulo: Companhia das Letras, 1992, p. 423-461.

PÉCORA, Alcir. Políticas do corpo místico. In: MERONI, Fabrizio (org.). Vida e cultura em nossas terras: o CCFC na Amazônia. Belém: Centro de Cultura e Formação Cristã, 2010, p. 208-211.

QUINTILIANO. Instituição oratória. Tomo II. Edição em latim e português. Tradução, apresentação e notas de Bruno Fregni Bassetto. Campinas: Editora da Unicamp, 2015.

Retórica a Herênio. Tradução e introdução de Ana Paula Celestino Faria e Adriana Seabra. São Paulo: Hedra, 2005.

SALVADOR, frei Vicente do. Historia do Brazil [século XVIII]. S.d. 215f. Lisboa, Arquivo Nacional da Torre do Tombo, Manuscritos da Livraria – Manuscritos do Brasil, nº 49.

SALVADOR, frei Vicente do. História do Brasil: 1500-1627. Revisão de Capistrano de Abreu, Rodolfo Garcia e frei Venâncio Wílleke, OFM; apresentação de Aureliano Leite. 7ª ed. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: EDUSP, 1982.

SCATOLIN, Adriano. A invenção no Do orador de Cícero: um estudo à luz de Ad Familiares I, 9, 23. 308f. Tese (Doutorado em Letras Clássicas). FFLCH-DLCV, Universidade de São Paulo. São Paulo-SP, 2009.

SINKEVISQUE, Eduardo. Retórica e política: a prosa histórica dos séculos XVII e XVIII. Introdução a um debate sobre gênero. 352f. Dissertação (Mestrado em Literatura Brasileira). FFLCH-DLCV, Universidade de São Paulo. São Paulo-SP, 2000.

SINKEVISQUE, Eduardo. Com furores de Marte e com astúcias de Mercúrio: o Dell’arte historica (1636) de Agostino Mascardi. TOPOI, Rio de Janeiro/RJ, v. 7, n. 13, p. 331-378, jul.-dez. 2006.

SINKEVISQUE, Eduardo. Três traduções portuguesas do século XVIII do quo modo historia de Luciano de Samósata: contribuição para os estudos de recepção. In: EUGÊNIO, João Kennedy (org.). Ficção e história: encontros com Luciano. Teresina: EDUFPI, 2010, p. 75-90.

SINKEVISQUE, Eduardo. Notas sobre a polêmica dos estilos no gênero histórico: o debate ático x asiático no “Dell' Arte Historica” (1636), de Agostino Mascardi. Letras, Santa Maria/RS, v. 21, n. 43, p. 197-222, jul./dez. 2011.

SINKEVISQUE, Eduardo. Três imagens de Luciano de Samósata no século XVIII português. Letras Clássicas, São Paulo/SP, v. 19, n. 1, p. 132-151, 2015.




DOI: https://doi.org/10.5902/2176148538049

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Letras

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

 

                      

 

                

 

                

 

    

  

   

 

  

 

 

                                     QUALIS/CAPES: Letras A2

                              ISSN Versão Impressa: 1519-3985

                              ISSN Versão Digital: 2176-1485



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.