Periodização imperativa: retórica, teoria e história literária

Matheus Barbosa Morais de Brito

Resumo


O artigo trata das implicações teórico-críticas da renovação dos estudos de retórica, com atenção para os estudos de João Hansen, Alcir Pécora, Adma Muhana, Hélio Alves e Belmiro Pereira. Numa primeira parte, discutimos esquematicamente a limitação das categorias literárias para abordagem de textos anteriores ao conceito “teórico” de literatura; numa segunda, fazemos observações para um modelo de estudo que atenda ao imperativo cognitivo da discriminação de períodos e que não recaia naquelas limitações epistêmicas. Trata-se de pensar a possibilidade de periodizar a partir dos estudos de retórica, tomando por horizonte a elaboração de uma ideia de “espaço ético-retórico” como ferramenta periodológica. (Projeto Fapesp No. 2017/11260-4.)


Palavras-chave


Retórica; Teoria da literatura; História literária; Poesia do século XVI

Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR E SILVA, Vítor Manuel de. Para a revisão do conceito de Maneirismo. In: FERRO, M.; FRAGA, M. DO C.; MARTINS, J. C. DE O. (Org.). Camões e os Contemporâneos. Coimbra / Ponta Delgada / Braga: Centro Interuniversitário de Estudos Camonianos (CIEC) / Universidade dos Açores (DLLM) / UCP, 2012. .

AGUIAR E SILVA, Vítor Manuel de. Teoria e Metodologia Literárias. Lisboa: Universidade Aberta, 1990.

ALMEIDA, Manuel Pires de e MUHANA, Adma Fadul. Discurso sobre o poema heróico. Revista Eletrônica de Estudos Literários, v. 2, n. 2, p. 1–23, 2006.

ALVES, Hélio J. S. Camões, Corte-Real e o sistema da épica quinhentista. Coimbra: Centro Interuniversitário de Estudos Camonianos, 2001.

BURKE, Peter. A Revolução Francesa da Historiografia. São Paulo: Editora UNESP, 1992.

CASTRO, Aníbal Pinto de. Retórica e teorização literária em Portugal: do Humanismo ao Neoclassicismo. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 2008.

CHARTIER, Roger. A mão do autor e a mente do editor. São Paulo: UNESP, 2014.

DE BRITO, Matheus. Semiótica ou Estética: considerações sobre a epistemologia das Letras. Revista Estudos Linguísticos, v. 44, n. 3, p. 1409–1419, 2015. Disponível em: .

DE BRITO, Matheus. Materialidade e contingência: contribuições à reflexão estética nos estudos literários. 2017. Universidade de Coimbra / Universidade Estadual de Campians, 2017.

DE BRITO, Matheus. Camões e a Civilização do Comércio? Studia Universitatis Babes-Bolyay. Philologia, v. LXII, n. 4, p. 139–150, 2018a.

DE BRITO, Matheus. Para uma teoria da burrice. Literatura: teoría, historia, crítica, v. 20, n. 2, 2018b.

DE BRITO, Matheus. A Teoria e a História da Literatura, e o Maneirismo. [No prelo.]

FRAGA, Maria do Céu. Os Géneros Maiores na Poesia Lírica de Camões. Coimbra: Centro Interuniversitário de Estudos Camonianos, 2003.

KOSELLECK, Reinhart et alii. O conceito de História. Belo Horizonte: Autêntica, 2016.

LAUSBERG, Heinrich. Elementos de Retórica Literária. Tradução R. M. Rosado Fernandes. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 2011.

MUHANA, Adma Fadul. Poesia e Pintura ou Pintura e Poesia: Tratado Seiscentista de Manuel Pires de Almeida. São Paulo: EDUSP, 2002.

PÉCORA, Alcir. Máquina de Gêneros. São Paulo: EDUSP, 2001.

PÉCORA. Teatro do Sacramento. Campinas: Unicamp, 2008.

PEREIRA, Belmiro Fernandes. Retórica e eloquência em Portugal na época do Renascimento. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 2012.




DOI: https://doi.org/10.5902/2176148538028

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Letras

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

 

                      

 

                

 

                

 

    

  

   

 

  

 

 

                                     QUALIS/CAPES: Letras A2

                              ISSN Versão Impressa: 1519-3985

                              ISSN Versão Digital: 2176-1485



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.