Contribuições literárias para os estudos narrativos a partir de um Corpus português: a narrativa em António Lobo Antunes

Maristela Kirst de Lima Girola

Resumo


Este artigo tem como objetivo demonstrar de que forma os romances, mesmo como obras literárias, podem discutir a própria construção narrativa e, dessa forma, contribuir para uma nova teorização do fenômeno narratológico. Para exemplificar, tomaremos como exemplo o romance Não entres tão depressa nessa noite escura, de António Lobo Antunes, publicado em 2000, pois acreditamos que o escritor português, por meio desse romance e também de outros, apresenta um texto de caráter inovativo e pouco convencional que traz importante contribuição para o estudo da narrativa sob uma nova perspectiva.


Palavras-chave


Narrativa; Literatura Portuguesa; Romance; António Lobo Antunes

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, António Lobo. Não entres tão depressa nessa noite escura. Lisboa: Dom Quixote, 2000.

ARNAUT, Ana Paula. António Lobo Antunes. Lisboa: Edições 70, 2009.

ARNAUT, Ana Paula. António Lobo Antunes: a crítica na imprensa. 1980-2010. Cada um voa como quer. Coimbra: Almedina, 2011.

CORDEIRO, Cristina Robalo. “Procura-se leitor!”. In: Colóquio Internacional António Lobo Antunes, Évora, 2002. A escrita e o mundo em António Lobo Antunes: actas do Colóquio Internacional António Lobo Antunes de Évora/Eunice Cabral, Carlos J. F. Jorge e Christine Zurbach (Orgs.). Lisboa: Dom Quixote, 2004, p. 124-25.

CULLER, Jonathan D. Sobre a desconstrução: teoria e crítica do pós--estruturalismo. Tradução de Patrícia Burrowes. Rio de Janeiro: Record; Rosa dos Tempos, 1997.

DUMAS, Catherine. Diário íntimo e ficção: contribuição para o estudo do diário íntimo a partir de um corpus português. In: Revista Colóquio/Letras. Ensaio, n. 131, jan. 1994.

HURTADO, Felipe Cammaert. O leitor da memória: o papel do leitor em O manual dos inquisidores. In: CABRAL, Eunice; JORGE, Carlos J. F.; ZURBACH, Christine (Org.). A escrita e o mundo em António Lobo Antunes. Actas do Colóquio Internacional da Universidade de Évora. Lisboa: Dom Quixote, 2004.

LOTMAN, Iuri. A estrutura do texto artístico. Trad. Maria do Carmo Vieira Raposo e Alberto Raposo. Lisboa: Estampa, 1978.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Tradução de Yara Aun Khoury. Revista Projeto História. São Paulo: Departamento de História da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, n. 10, 1993, p. 7. Tradução autorizada pelo editor, realizada a partir do texto original, in: NORA, Pierre. Les lieux de mémoire. I La République, Paris, Gallimard, 1984, p. XVIII-XLII.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. Palavras para crer. Imaginários de sentido que falam do passado. Nuevo mundo Mundos nuevos, Debates, 2006, puesto em línea el 28 enero de 2006. Disponível em: http://nuevomundo.revues.org/1499. Acesso em 25 de fevereiro de 2011.

REIS, Carlos. António Lobo Antunes: uma casa de onde se vê o rio. In: Colóquio Internacional António Lobo Antunes, Évora, 2002. A escrita e o mundo em António Lobo Antunes: actas do Colóquio Internacional António Lobo Antunes de Évora/Eunice Cabral, Carlos J. F. Jorge e Christine Zurbach (Orgs.). Lisboa: Dom Quixote, 2004.

RICOEUR, Paul. O si-mesmo como um outro. Trad. Lucy Moreira César. Campinas: Papirus, 1991.

RICOEUR, Paul. A memória, a história e o esquecimento. Trad. Alain François [ET AL.] Campinas: Unicamp, 2007.

SANT’ANNA, Affonso Romano de. O enigma vazio: impasses da arte e da crítica. Rio de Janeiro: Rocco, 2008.

SARAIVA, Antônio José. LOPES, Óscar. História da literatura portuguesa. 4.ed. Porto: Porto, s/d.

SEIXO, Maria Alzira. Maria Velho da Costa- Casas Pardas. In: Colóquio/Letras. Balanço, n. 47, Jan. 1979. p. 90-91.

SEIXO, Maria Alzira. Dez anos de literatura portuguesa (1974-1984): ficção. In: Colóquio/Letras. Balanço, nº 78, Mar. 1984, p. 30-42.

SEIXO, Maria Alzira. Os romances de António Lobo Antunes: análise, interpretação, resumos e guiões de leitura. Lisboa: Dom Quixote, 2002.

SEIXO, Maria Alzira. (Org.). Dicionário da obra de António Lobo Antunes. v. I. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 2008.

SEIXO, Maria Alzira. (Org.). Dicionário da obra de António Lobo Antunes. v. II. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 2008.

SEIXO, Maria Alzira. O livro da criação. In: ARNAUT, Ana Paula. António Lobo Antunes: a crítica na imprensa. 1980-2010. Cada um voa como quer. Coimbra:

Almedina, 2011, p. 243.

SPÁNKOVÁ, Silvie. Reflexões sobre o estatuto da personagem feminina nos romances de António Lobo Antunes. In: CABRAL, Eunice; JORGE, Carlos J. F.; ZURBACH, Christine (Org.). A escrita e o mundo em António Lobo Antunes. Actas do Colóquio Internacional da Universidade de Évora. Lisboa: Dom Quixote, 2004.




DOI: https://doi.org/10.5902/2176148525085

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Letras



 

                      

 

                

 

                

 

    

  

   

 

  

 

 

                                     QUALIS/CAPES: Letras A2

                              ISSN Versão Impressa: 1519-3985

                              ISSN Versão Digital: 2176-1485



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.