Trajetórias e tempos das traduções de Alexandre Dumas em Portugal e no Brasil

Maria Lúcia Dias Mendes

Resumo


O artigo examina a trajetória de Alexandre Dumas na França comparando-a comsua recepção em Portugal e no Brasil. A partir daí, discute os tempos e os suportes daspublicações das traduções nos dois países em relação às edições francesas. Conclui-se que,apesar da proximidade entre a França e Portugal, as traduções brasileiras priorizavam ojornal como suporte e eram, na maioria, feitas em menos tempo do que as portuguesas.

Palavras-chave


Alexandre Dumas; Tradução; Recepção

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, Márcia (Org.). Trajetórias do romance: circulação, leitura e escrita nos séculos XVIII e XIX. São Paulo: Fapesp; Campinas: Mercado de Letras, 2008.

CANDIDO, Antonio. Formação da Literatura Brasileira: momentos decisivos. São Paulo: Fapesp; Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2009.

DUMAS, Alexandre. Mes mémoires. Paris: Robert Laffont, 1989. Tomo 2.

FRANÇA, José-Augusto. Duas notas sobre Alexandre Dumas em Portugal. In: Antes da Playstations: 200 anos de aventuras em Portugal. Lisboa: Biblioteca Nacional, 2003. p. 63-70.

HALLEWELL, Laurence. O livro no Brasil. São Paulo: T. A. Queiróz: Edusp, 1985.

LYONS, Martyn. Les best-sellers. In: CHARTIER, Roger; MARTIN, Henri-Jean. Histoire de l’édition française. Paris: Fayard/Promodis, 1990. p. 409-448.

MEYER, Marlyse M. Folhetim: uma história. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

MÜLLER, Andréa Correa Paraiso. Do romance imoral a obra-prima: trajetórias de Madame Bovary. 2012. Tese (Doutorado em Teoria e História Literária)−Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2012.

RÊGO, Manuela e Miguel Castelo-Branco (coord). Antes das Playstations: 200 anos do romance de aventuras em Portugal. Biblioteca Nacional: Lisboa, 2003.

RIBEIRO, Manuela Tavares. Livros e leituras no século XIX. Revista de História das Ideias, Universidade de Coimbra, Instituto de História e Teoria das Ideias, v. 20 (Livro e Leitura), p.187-227, 1999. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2011.

ROCHA, Débora Cristina Bondance. Bibliotheca Nacional e Pública do Rio de Janeiro: um ambiente para leitores e leituras de romance (1833-1856). 2011. 347 f. Dissertação (Mestrado em Teoria e História Literária)−Instituto de Estudos da Linguagem, da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2011.

RODRIGUES, Antonio. A tradução em Portugal. Lisboa: Ministério da Educação: Instituto de Cultura e Língua Portuguesa, 1992. v. 2 (1835-1850) e v. 3 (1851-1870).

RODRIGUES, Ernesto. Mágico folhetim: literatura e jornalismo em Portugal. Lisboa: Editorial Notícias, 1998.

RODRIGUES, Ernesto. Cultura Literária Oitocentista. Porto: Lello Editores, 1999.

SANTOS, Ana Clara. La pratique de la traduction théâtrale ou les voies de la création dramaturgique sur la scène portugaise XIXe

siècle. Artigos, Instituto Camões. Disponível em: . Acesso em: 9 mar. 2008.

SOBREIRA, Luis. Uma imagem do campo literário português no período romântico através dos best-sellers produzidos entre 1840 e 1860. In: Congresso Internacional da Associação Portuguesa de Literatura Comparada, 4., 2001, Évora. Anais... Évora, 2001. Disponível em:

UMA%20IMAGEM%20DO%20CAMPO%20LITERARIO%20PORTUGUES. pdf. p.2>. Acesso em: 15 fev. 2011.

THÉRENTY, Marie-Éve. La littérature au quotidien: poétiques journalistiques au XIXe siècle. Paris: Seuil, 2007.




DOI: https://doi.org/10.5902/2176148511759

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



 

                      

 

                

 

                

 

    

  

   

 

  

 

 

                                     QUALIS/CAPES: Letras A2

                              ISSN Versão Impressa: 1519-3985

                              ISSN Versão Digital: 2176-1485



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.