Rio-Paris: primórdios da publicação da Literatura Brasileira chez Garnier

Lúcia Granja

Resumo


Este artigo dá notícias de nossas últimas pesquisas sobre as atividades de Baptiste-Louis Garnier, livreiro e editor francês estabelecido no Rio de Janeiro, em suas relações como mundo editorial francês: métodos, procedimentos, livros, autores e editores. As trocasculturais entre esses dois sistemas ajudaram a consolidar o cânone dos autores e obrasda Literatura Brasileira no século XIX e o estudo dessas relações poderá detalhar algumasinformações que, até hoje, forneceu-nos a história da Literatura Brasileira, contribuindo paraum maior conhecimento do processo de produção e circulação de obras literárias no Brasil.

Palavras-chave


História do Livro; História literária; Literatura Brasileira; Globalização da cultura; Baptiste-Louis Garnier; Machado de Assis; José de Alencar

Texto completo:

PDF

Referências


ALENCAR, José de. Obra completa. Rio de Janeiro: Aguilar, 1958. v. 3. ALENCAR, José de. Como e porque sou romancista. Salvador: Progresso, 1955.

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas simbólicas. 5. ed. Tradução de Sérgio Miceli. São Paulo: Perspectiva, 2001.

CANDIDO, Antonio. Formação da Literatura Brasileira. Belo Horizonte: Itaiaia, 1986. 2v.

CHARTIER, Roger. A história cultural: entre práticas e representações. 2. ed. Tradução de Maria Manuela Galhardo. Lisboa: Difel, 1985.

COOPER-RICHET, Diana. Paris, capital editorial do mundo lusófono na primeira metade do século XIX. Revista Varia História, n. 42, p. 539-555, jul./dez. 2009.

DUTRA, Eliana de Freitas. Leitores de além-mar: a Editora Garnier e sua aventura editorial no Brasil. In: ABREU, Marcia; BRAGANÇA, Aníbal (Org.). Impresso no Brasil: dois séculos de livros brasileiros. São Paulo: Ed. da Unesp, 2010. p. 67-88.

HALLEWELL, Laurence. O livro no Brasil. 2. ed. revista e ampliada. São Paulo: Edusp, 2005.

HEINEBERG, Ilana. Peri com sotaque francês: um estudo preliminar de três traduções de O Guarani no século XIX. Texto inédito. Mimeografado.

LAJOLO, Marisa; ZILBERMAN, Regina. A construção do leitor. In: LAJOLO, Marisa; ZILBERMAN, Regina. A formação da leitura no Brasil. São Paulo: Ática, 1996. p. 13-64.

Machado de Assis, J. M. Ao acaso. Diário do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 17 out. 1864.

Machado de Assis, J. M. Notícia atual da Literatura Brasileira. Instinto de nacionalidade. In: Machado de Assis, J. M. Obra completa em quatro volumes. 2. ed. Organização de Aluízio Leite, Ana Lima Cecílio, Heloísa Jahan. Rio de Janeiro: Aguilar, 2008. v. 3, p. 1.203-1.211.

MOLLIER, Jean-Yves. Michel & Calmann Lévy, ou la naissance de l’édition moderne, 1836-1891. Paris: Calman & Lévy, 1994.

SCHAPOCHNIK, Nelson. Malditos tipógrafos. In: Seminário sobre livro e história editorial, 1., 2004, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: UFF/FCRB, 2004. Disponível em: Acesso em: 10 jul. 2010.

SCHWARZ, Roberto. Ao vencedor as batatas: forma literária e processo social nos inícios do romance brasileiro. São Paulo: Ed. 34, 2000. (Coleção Espírito Crítico).

SENNA, Ernesto. O velho comércio do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: G. Ermakoff Casa Editorial, 2006. (reedição da edição de 1910, publicada pela Garnier).

VAILLANT, Alain. Identités nationales et mondialisation médiatique. Étude de titrologie comparée (Mexique, France, Grand-Bretagne, Espagne – 1821-1861). In: Andries, Lise; La Torre, Laura Suaréz de (Org.). Impressions du Mexique et de France. Impresiones de México y de Francia. Éditions de la Fondation Maison Sciences de l’Homme, 2009. p.115-144.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2176148511756

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



 

                      

 

                

 

                

 

    

  

   

 

  

 

 

                                     QUALIS/CAPES: Letras A2

                              ISSN Versão Impressa: 1519-3985

                              ISSN Versão Digital: 2176-1485



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.