Museu da Língua Portuguesa: instrumento linguístico em tempos da ideologia do lazer

José Simão da Silva Sobrinho

Resumo


Neste trabalho analisamos a materialidade do conceito de “instrumento linguístico”.Formulado inicialmente no contexto dos estudos franceses sobre a gramatização (AUROUX,2009), esse conceito sofreu deslocamentos importantes nos estudos brasileiros relativosà história da produção de conhecimentos linguísticos, deslocamentos produzidos pelaarticulação consequente da História das Ideias Linguísticas com a Análise de Discurso. Nessaarticulação, passa-se da perspectiva da função para a do funcionamento (processo) discursivodo instrumento linguístico, o que possibilita considerarmos a existência material de outrosinstrumentos além da gramática e do dicionário.

Palavras-chave


Museu da Língua Portuguesa; Instrumento linguístico; Gramatização; Ideologia; Língua nacional

Texto completo:

PDF

Referências


AUROUX, S. A revolução tecnológica da gramatização. Tradução de Eni Puccinelli Orlandi. 2. ed. Campinas: Ed. da Unicamp, 2009.

GUIMARÃES, E.; ORLANDI, E. P. (Org.). Língua e cidadania: o português no Brasil. Campinas: Pontes, 1996.

HENRY, P. Os fundamentos teóricos da “Análise Automática do Discurso” de Michel Pêcheux (1969). Tradução de Bethania S. Mariani. In: GADET, F.; HAK, T. (Org.). Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. 3. ed. Campinas: Ed. da Unicamp, 1997. p. 13-38.

LECOURT, D. Para uma crítica da epistemologia. Trad. Manuela Menezes. 2. ed. Lisboa: Assírio e Alvim, 1980.

MAZIÈRE, F. A análise do discurso, o político e a língua. Tradução de Carolina Fernandes. In: INDURSKY, F.; MITTMANN, S.; FERREIRA, M. C. L. (Org.). Memória e história na/da Análise do Discurso. Campinas: Mercado de Letras, 2011. p. 15-35.

MORIN, E. Cultura de massas no século XX: neurose. Tradução de Maura Ribeiro Sardinha. 9. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2005.

NUNES, J. H. Uma articulação da análise de discurso com a história das ideias linguísticas. Letras, Santa Maria, v. 18, n. 2, p. 107-124, jul./dez. 2008.

ORLANDI, E. P. A linguagem e seu funcionamento: as formas do discurso. 4. ed. Campinas: Pontes, 1996.

ORLANDI, E. P. (Org.). História das ideias linguísticas: construção do saber metalinguístico e constituição da língua nacional. Campinas: Pontes; Cáceres: Ed. da Unemat, 2001.

ORLANDI, E. P. Colonização, globalização, tradução e autoria científica. In: GUIMARÃES, E. (Org.). Produção e circulação do conhecimento: política, ciência, divulgação. Campinas: Pontes, 2003. v. 2. p. 13-19.

PÊCHEUX, M. (Thomas Herbert). Reflexões sobre a situação teórica das ciências sociais e, especialmente, da psicologia social. Tradução de Mariza Vieira da Silva e Laura A. P. Parisi. In: PÊCHEUX, M. Análise de Discurso. Textos escolhidos por Eni Puccinelli Orlandi. Campinas: Pontes, 2011. p. 21-54.

PÊCHEUX, M. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Tradução de Eni Puccinelli Orlandi et al. 3. ed. Campinas: Ed. da Unicamp, 1997.

SILVA SOBRINHO, J. S. “A língua é o que nos une”: língua, sujeito e Estado no Museu da Língua Portuguesa. 2011. 133 f. Tese (Doutorado em Linguística)−Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2176148511736

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



 

                      

 

                

 

                

 

    

  

   

 

  

 

 

                                     QUALIS/CAPES: Letras A2

                              ISSN Versão Impressa: 1519-3985

                              ISSN Versão Digital: 2176-1485



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.