Resposta de sementes de Podocarpus lambertii e Podocarpus sellowii – (Podocarpaceae) à dessecação.

Lucinda Carneiro Garcia, Antonio Carlos Nogueira

Resumo


Estudos relacionados ao comportamento de sementes de espécies florestais permitem a obtenção de material de boa qualidade fisiológica, imprescindível nos trabalhos silviculturais com essas espécies. O presente trabalho teve por objetivo avaliar o comportamento de sementes de Podocarpus lambertii Klotzsch ex Endl. e Podocarpus sellowii Klotzsch ex Endl., em relação à dessecação. A secagem das sementes foi efetuada em câmara com ventilação forçada e ar aquecido, à temperatura de 35ºC, pelos períodos de 12; 24; 48 e 72 horas, para Podocarpus lambertii e 24; 48; 72 e 96 horas, para Podocarpus sellowii. As sementes com umidade inicial de 28,7 e 45,5% respectivamente, após a desidratação, ficaram com os seguintes teores de água: 21,7; 14,3; 7 e 5,7% para Podocarpus lambertii e 36,9; 36; 34 e 26,8% para Podocarpus sellowii. A qualidade fisiológica das sementes foi avaliada por meio do teste de germinação e Índice de Velocidade de Germinação. De acordo com os resultados, pôde-se concluir que as sementes de Podocarpus lambertii têm comportamento de semente ortodoxa, com grau crítico de umidade abaixo de 5,7% de água, e as sementes de Podocarpus sellowii apresentam comportamento típico de semente recalcitrante, com grau crítico de umidade de aproximadamente 26,8% de água.


Palavras-chave


sementes florestais; desidratação; longevidade.

Texto completo:

PDF

Referências


ALLEN, E.B. et al. Patterns and regulation of mycorrhizal plant and fungal diversity. Plant and Soil, The Hague, v. 170, p. 47-62, 1995.

ALVES, J. R. et al. Efeito de inoculante ectomicorrízico produzido por fermentação semi-sólida sobre o crescimento de Eucalyptus dunnii Maiden. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 36, n. 2, p. 307-313, 2001.

BEGON, M.; HARPER, J. L.;TOWNSEND, C. T. Ecology, individuals, population and communities. Oxford: Blackwell Scientific Publications, 1990. 145 p.

BELLEI, M.; CARVALHO, M. S. Ectomicorrizas. In: CARDOSO, E. J. B. N.; TSAI, S. M.; NEVES, M. C. P.(eds.). Microbiologia do Solo. Campinas: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, 1992. p. 297-318.

CALDEIRA, M. V. W. et al. Crescimento de leguminosas arbóreas em resposta à inoculação com fungos micorrízicos arbusculares. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 7, n. 1, p. 1-10, 1997.

CARNEIRO, M. A. C. et al. Efeitos da inoculação de fungos micorrízicos arbusculares e da aplicação de fósforo no estabelecimento de forrageiras em solo degradado. Revista Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 34, n. 9, p. 1699-1677, 1999.

CASSIOLATO, A. M. R.; VALPASSOS, M. A. R.; MALTONI, K. L. Avaliações da micorrização em áreas de empréstimo degradadas. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA DO SOLO, 28., 2001, Londrina. Anais... Londrina - PR: Midiograf, 2001, p. 62.

COLOZZI-FILHO, A.; BALOTA, E. L. Micorrizas arbusculares. In: HUNGRIA, M.; ARAÚJO, R. S. (eds.). Manual de métodos empregados em estudos de microbiologia agrícola. Brasília: Embrapa-SPI, 1994. p. 383-418.

CHU, E. Y.; MOLLER, M. R. F.; CARVALHO, J. G. Efeitos da inoculação micorrízica em mudas de gravioleira em solo fumigado e não fumigado. Pesquisa Agropecuária brasileira, Brasília, v. 36, n. 4, p. 671-680, 2001.

EMBRAPA. Centro Nacional de Pesquisa Tecnológica em Informática para Agricultura. Ambiente software NTIA, versão 4.2.2: Manual do Usuário - Ferramental Estatístico. Campinas, 1997.

FRANK, B. Über die auf Wurzelsymbiose beruhende Ernährung geiwsser baume durch unterirdische Pilse. Berichte der Deutschen Botanischen Gesellschaft, Berlin, v. 3, 1885. p. 128-145.

GERDEMANN, J. W, NICOLSON, T. H. Spores of mycorrhizal Endogone species extracted from soil by wet sing and decanting. Transactions of the British Mycological Society, London, v. 46, n. 2, p. 235-244, 1963.

HEWITT, E. Sand and water culture methods used in the study of plant nutrition. Commonwealth Agricultural Bureau of Horticulture and Plantation Crops Technical. Faruham Royal, 1966. 76 p. (Communications series, n.22)

INVAM-(International Culture Collection of Arbuscular and Vesicular Mycorrhizal Fungi). Disponível: Site: . Consultado em setembro, 2001.

LAMBAIS, M. R.; CARDOSO, E. J. B. N. Avaliação da germinação de esporos de fungos micorrízicos vesiculo-arbusculares e da colonização micorrízica de Stylosantes guianensis em solo ácido e distrófico. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v. 12, p. 249-255, 1988.

LAMBAIS, M. R.; CARDOSO, E. J. B. N. Germinação de esporos e crescimento do tubo germinativo de fungos micorrízicos vesiculo-arbusculares em diferentes concentrações de alumínio. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v. 13, p. 151-154, 1989.

LE TACON, F.; GARBAYE, J.; CARR, G. The use of mycorrhizas in temperate and tropical forests. Symbiosis, London, v. 3, p. 179-206, 1987.

LENY, Y.; KRIBUN, J. Effect of vesicular-arbuscular mycorriza on Citrus jambhiri water relation recovery from water stress. New Phytologist, Cambridge, v. 85, p. 25-31, 1980.

MALUF, A. M.; SILVEIRA, A. P. D.; MELLO, I. S. Influência da calagem e da micorriza vesículo-arbuscular no desenvolvimento de cultivares de leucena tolerante e intolerante ao alumínio. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Campinas, v. 12, p. 17-23, 1988.

MATIAS, S. R.; SCOTTI, M. R.; SÁ, N. M. H. Efeito da colonização micorrízica no estabelecimento de Clitoria sp. e Tibouchina multiflora na revegetação de uma área de depósito de minério de ferro. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA DO SOLO, 28., 2001, Londrina. Anais....Londrina - PR: Midiograf, 2001. p. 94.

MELLONI, R. et al. Microbiologia de solos de mineração de bauxita reabilitados: 1. Potencial de inóculos e eficiência de fungos MAs. In: FERTBIO 2000: Biodinâmica do Solo, 2000, Santa Maria - RS. Anais... Santa Maria: UFSM, 2000. p. 746-748.

MOSSE, B. Advances in the study of vesicular - arbuscular micorriza. Phytopathology. Saint Paul, v. 11, p. 171-196, 1973.

MURPHY, J.; RILEY, J. P. A modified single solution method for the determination of phosphate in natural waters. Anal. Chem. Acta., Amsterdam, v. 27, p. 31-36, 1962.

NEWSHAM, K. K.; FITTER, A. H.; WATKINSON, A. R. Multi-functionality and biodiversity in arbuscular mycorrhizas. Trends in Ecology and Evolution, Oxford, v. 10, n. 10, p. 407-411, 1995.

NICOLSON, T. H. Mycorrhiza in the Gramineae. II. Development in different habitats, particularly sand dunes. Transaction British Mycological Society, London, v. 43, n. 1, p. 132-145, 1960.

ROJAS, E. P.; SIQUEIRA, J. O. Micorriza arbuscular e fertilização do solo no desenvolvimento pós-transplante de mudas de sete espécies florestais. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 35, n. 1, p. 103-114, 2000.

SANDERS, J. R.; FITTER, A. H. Evidence for diferential responses between host-fungus combinations of vesicular-arbuscular mycorrhizas from a grassland. Mycological Research, Amsterdam, v. 96, p. 415-419, 1992.

SANTOS, V. L.; et al. Vesicular-arbuscular and ectomycorrhiza succession in seedlings of Eucalyptus spp. Plant Physiology, Rockville,v. 86, n. 2, p. 23-30, 2001.

SCHENCK, N. C.; PEREZ, Y. Manual for the identification of VA mycorrhizal fungi. 2nd ed. Gainesville: INVAM., University of Florida, 1987. 241 p.

SILVEIRA, A. P. D. Ecologia de fungos micorrízicos arbusculares. In: MELO, I. S. e AZAVEDO, J. L. Ecologia Microbiana. Jaguariúna: Embrapa - CNPMA, 1992. 488 p., p. 61-86.

SIQUEIRA, J. O.; FRANCO, A. A., Biotecnologia do solo: fundamentos e perspectivas. Brasília: ABEAS, 1988. 330 p.

SIQUEIRA, J. O.; MAHMUD, A. W.; HUBBEL, D. H. Comportamento diferenciado de fungos formadores de micorrizas vesículo-arbusculares em relação à acidez do solo. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v.10, p.10-16, 1986.

SMITH, S.; READ, D. Mycorrhizal Symbiosis. London: Academic Press, 1997. 605 p.

STATISTICA - (Statistica For Windows Release 4.5 Statsoft - Inc). 1993. Cluster Analyses, Joining (Tree Clostering). 1-PEARSONr. Single Linkage.

TRUFEN, S. F. B.; BONONI, V. L. R. Micorrizas vesículo arbusculares de culturas introduzidas em áreas de cerrado. Rickia, Sao Paulo. v.12, p. 165-187. 1985.

WILKINS, D.A. The influence of sheathing (ecto-) mycorrhizas of trees on the uptake of metals. Agriculture, Ecosystems and Environment. New York, v. 35, n. 3, p. 245-260, 1991.




DOI: https://doi.org/10.5902/19805098446

Licença Creative Commons