DA PAISAGEM COMO OLHAR DO GEÓGRAFO À PAISAGEM COMO OLHAR OS OLHARES DOS OUTROS

Almir Nabozny

Resumo


Esse ensaio não segue exatamente uma linearidade discursiva. Caracterizase por uma exposição rizomática, partindo de uma pergunta inicial: A paisagem pode se constitui em um “outro” no processo de instituição das identidades? Partindo dessa interrogação, passamos da paisagem centrada no olhar dos geógrafos para o sentir os olhares dos outros. Assim, destacamos as mudanças nas concepções de cultura como elementos que propiciam esse movimento. Disto, chamamos a atenção para três elementos a serem abordados nas construções metodológicas que visem valorizar os olhares dos agentes com as paisagens, são eles: os jogos de escalas, temporalidades, memórias, experiências e plurilocalizações.
Por fim, retornamos à questão inicial no âmbito de uma proposição temática. Em que as paisagens, tomadas como conjunto imagético e discursivo, podem configurarse
nos olhares, identidades.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/223649947375

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Indexações e Bases Bibliográficas