A COMPOSIÇÃO ESPACIAL DAS RÁDIOS LIVRES: TRAJETÓRIAS, LUGARES E ESCALAS

André de Souza Fedel, Almir Nabozny

Resumo


 

Este artigo busca compreender o modo como o espaço geográfico constitui as rádios livres, apresentando resultados de uma pesquisa concluída. Sua metodologia compreendeu um levantamento bibliográfico por meio do qual se interpretou a história do movimento social de rádios livres, suas relações com o Estado e outros movimentos sociais de democratização da comunicação. Em seguida, realizaram-se estudos de caso com integrantes de três rádios livres localizadas no estado de São Paulo, com entrevistas e trabalhos de campo. Pode-se entender que a espacialidade das rádios livres, produzida pelas múltiplas trajetórias dos integrantes, proporciona a formação de lugares do acontecer solidário, em que os sujeitos dialogam sobre uma infinidade de temas marginalizados e realizam atividades de cunho formativo cotidianamente, oportunizando uma produção da escala geográfica diferenciada, bem como uma distribuição da técnica de maneira crítica. 

 

Palavras-chave:  espaço, rádio livre, lugares, escala

 

DOI: 10.5902/2236499420399


Texto completo:

PDF

Referências


ANDRIOTTI, Cristiane. D. O Movimento das Rádios Livres e Comunitárias e a Democratização dos Meios de Comunicação no Brasil. 2004, 232 fh. Dissertação (Mestrado em Sociologia). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas.

BAUER, Martin. W; AARTS, Bas. A construção do Corpus: Um Princípio Para a Coleta de Dados Qualitativos. In: BAUER, Martin. GASKELL, George.(orgs). Pesquisa Qualitativa com Texto, Imagem e Som: Um manual prático. 7 ed. Petrópolis: Vozes, 2008. p.39-63.

BRIGGS, Asa; BURKE, Peter. Uma História Social da Mídia: de Gutenberg à Internet. 2 ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2006.

CERTEAU, Michel de. A Invenção do Cotidiano: 1. artes de fazer. 3 ed. Petrópolis: Vozes, 1998.

COSTA, Mauro S. R. Rádio, arte e política. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2013.

DOWNING, John. D. H. Mídia Radical: Rebeldia nas comunicações e movimentos sociais. São Paulo: Editora Senac, 2002.

FALS BORDA, Orlando. Aspectos teóricos da pesquisa participante: considerações sobre o significado e o papel da ciência na participação popular. In: BRANDÃO, Carlos Rodrigues. (org.) Pesquisa participante. São Paulo: Brasiliense, 1981. p. 42-62.

FLICK, Uwe. Entrevista Episódica. In: BAUER, Martin. GASKELL, George.(orgs). Pesquisa Qualitativa com Texto, Imagem e Som: Um manual prático. 7 ed. Petrópolis: Vozes, 2008. p.114-136.

GONÇALVES, Flora. R. Rádios Livres: As controvérsias ainda pairam no ar? Uma análise antropológica das novas relações sociais de radiodifusão. 2010, 160 fh. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social). Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

GONÇALVES, Flora. R. Apropriações libertárias sobre o espectro radiofônico: as Rádios Livres. Revista Espaço Científico Livre. Brasil, n.7, p.08-19, abr-mai de 2012.

GUARESCHI, Pedrinho Arcides; BIZ, Osvaldo. Mídia e Democracia. Porto Alegre: Editora Evangraf, 2005.

HEIDRICH, Álvaro Luiz. Esquema para dialogar com descartógrafos. In: WASHINGTON, Cláudia; ARAÚJO, Lúcio de; GOTO, Newton. (orgs.). Recartógrafos. Curitiba: edição do autor, 2010, v. 1, p.33-41. Disponível: . Acessado em 01 de julho de 2013.

LIAKOPOULOS, Miltos. Análise Argumentativa. In: BAUER, Martin. GASKELL, George (orgs). Pesquisa Qualitativa com Texto, Imagem e Som: Um manual prático. 7 ed. Petrópolis: Vozes, 2008. p.218-243.

MACHADO, Arlindo; MAGRI, Caio; MASAGÃO, Marcelo. Rádios Livres. A reforma agrária no ar. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1987.

MASSEY, Doreen B. Pelo Espaço: Uma Nova Política da Espacialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008.

NUNES, Marisa. A. M. Rádios Livres: O Outro Lado da Voz do Brasil. 1995. Dissertação (Mestrado em Jornalismo). Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo.

ORTIZ, Renato. Um Outro Território: Ensaios sobre a Mundialização. 2 ed (Ampliada). São Paulo: Editora Olho D'água, 2000.

Portal Espectro Livre. Disponível em: http://espectrolivre.org/. Acessado em diversos momentos.

SANTOS, Milton. Técnica Espaço Tempo: Globalização e meio técnico-científico informacional. 5 ed. São Paulo: EDUSP, 2008.

SERPA, Angelo. Lugar e Mídia. São Paulo: Contexto, 2011.

SMITH, Graham. Teoria política e geografia humana. In: GREGORY, Derek; MARTIN, Ron; SMITH, Graham (orgs.). Geografia Humana: Sociedade, Espaço e ciência social. Rio de Janeiro: Zahar, 1996. p.65-89.

SMITH, Neil. Contornos de uma política espacializada: Veículos dos sem teto e produção de escala geográfica. In: ARANTES, Antonio (org.). O Espaço da diferença. Campinas: Papirus, 2000. p.132-175.

SOUZA, Marcelo José Lopes de. Território do outro, problemática do mesmo? O princípio da autonomia e a superação da dicotomia universalismo ético versus relativismo cultural. In: CORRÊA, Roberto Lobato; ROSENDAHL, Zeny (orgs.). Religião, identidade e território. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2001, p.145-176.

THIOLLENT, Michell. Metodologia da pesquisa-ação. 5 ed. São Paulo: Cortez/Autores Associados, 1992.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236499420399

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Indexações e Bases Bibliográficas