A dinâmica geomorfológica das vertentes e suas implicações nas infraestruturas rodoviárias: alguns exemplos no Norte de Portugal.

António Sousa Pedrosa

Resumo


A presença do homem e a sua ação sobre o território é um fator de grande instabilidade, pois as suas intervenções cada vez mais agressivas, possuem fortes implicações, que alteram as condições naturais de ocorrência de diversos tipos de processos morfogenéticos.
Em termos naturais, no Norte de Portugal, é possível a ocorrência de diferentes tipos de movimentos em massa em vertentes com predomínio de fortes declives (18° a 35°) cuja susceptibilidade aumenta com a coexistência de formações superficiais. Este fato agrava-se, quando o homem na sua atuação sobre o território, altera as condições naturais, implicando uma maior probabilidade de ocorrência destes mesmos processos, em vertentes onde os declives se apresentam inferiores.
A construção de infraestruturas viárias ao longo das vertentes é sem margem para duvidas, uma das práticas que mais contribui para alterar a dinâmica das mesmas, contribuindo para o seu desiquilíbrio dinâmico.
Efetivamente, e com base em trabalhos que temos vindo a realizar, constatamos que mesmo em locais onde estes fatores naturais são favoráveis ao aparecimento de processos de instabilidade geomorfológica é, muitas vezes, a intervenção humana que vai permitir o desencadeamento do evento, contribuindo para o aumento do risco.
Assim, o objetivo deste trabalho é demonstrar que muitos dos movimentos em massa no Norte de Portugal, se encontram diretamente relacionados com a ação do homem sobre o território que altera profundamente o perfil das vertentes e introduz mudanças nas dinâmicas naturais.
Pretende-se, assim, discutir neste trabalho, quais as causas e fatores que mais contribuem para o desencadear dos movimentos em massa nas vertentes no Norte de Portugal e, da importância da atuação do homem na sua ocorrência, de modo que em futuras intervenções, se evite a ruptura do equilíbrio dinâmico das vertentes.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5902/223649947323

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Indexações e Bases Bibliográficas