Evasão no curso de licenciatura em geografia da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE): indagações e complexidades

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5902/2236499437672

Palavras-chave:

Ensino superior, Evasão escolar, Licenciatura em Geografia

Resumo

A evasão escolar no ensino superior é um tema que apresenta indagações e complexidades. A necessidade de ampliar e aprofundar o estudo sobre a evasão universitária remeteu este trabalho, de modo a compreender a questão da evasão no Curso de Licenciatura em Geografia da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), Campus Marechal Cândido Rondon. O enfoque temporal ficou limitado aos anos de 2012 a 2015, desenvolveram-se levantamentos de dados e possíveis hipóteses da evasão, a fim de caracterizar as dificuldades encontradas pelos discentes na conclusão do curso. Para o desenvolvimento do estudo, optou-se pela pesquisa qualitativa, através da técnica de estudo de caso, com a participação de discentes evadidos do Curso de Licenciatura em Geografia, por meio de entrevista/questionário semiestruturado. Nesse contexto, o número de ingressantes no curso supracitado totalizou em 146 discentes. Destes, 53% se evadiram do curso. Dos 73 discentes evadidos relativos ao enfoque temporal, 53 discentes concordaram em contribuir com a pesquisa. Uma das razões mais fortes para o abandono do curso, segundo os retornos, é a dificuldade de conciliar trabalho e universidade, pois 85% dos evadidos desenvolviam atividades remuneradas ao desistirem do curso. Outro fator é que se verifica participação reduzida dos ex-alunos na vida interna da universidade, seja por falta de tempo, seja por falta de informações sobre seu funcionamento e espaços de atuação dos alunos na instituição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marileni Francieli Wilhelm, Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Francisco Beltrão, PR

Pedagoga/Professora de Geografia da rede estadual de ensino, Pós graduada em Neuroaprendizagem e Tecnologia da Informação na educação, Mestre/ Doutoranda em Geografia/ Linha Educação e Ensino pela UNIOESTE/ Francisco Beltrão/PR.

Marli Terezinha Szumilo Schlosser, Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Francisco Beltrão, PR

Graduação em História pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (1996), Graduação em Geografia pela Universidade do Oeste Paulista (2000), Mestrado em Geografia pela Universidade Estadual de Maringá (2001), Doutorado em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2005). Pós-doutorado no Programa de pós-graduação em Geografia da Universidade Federal de Pernambuco UFP (2009-2010). Atualmente é professora Associada C da Universidade Estadual do Oeste do Paraná. Tem experiência na área de História e Geografia, atuando principalmente nos temas: discurso, esquete, colonização, rádio, modernização, agroecologia e Educação do campo.

Referências

ADACHI, A. A. C. T. Evasão e evadidos nos cursos de graduação da UFMG. 2009. 214p.Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte-MG.

ANDRÉ, M.E.D.A. Texto, contexto e significado: algumas questões na análise de dados qualitativos. Cadernos de pesquisa, Vol.45, n.1, p. 66-71, 1983. Disponível em:http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/cp/article/view/1491. Acesso em: 15 abr. 2015.

ARAUJO, R.M.L. Instituições de formação profissional – história e perspectivas: o projeto da nova institucionalidade da educação profissional brasileira dos anos 1990. Rev. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, mar. 2014, v.22, n.82. Disponível em:http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40362014000100010. Acesso em: 20 mar. 2018.

BAGGI, C. A. S. & LOPES, D. A. Evasão e avaliação institucional no ensino superior: uma discussão bibliográfica. Avaliação, Campinas/Sorocaba, v. 16, n. 2, p. 355-374, jul. 2011.

BARDAGI, M. P. Evasão e comportamento vocacional de universitários: estudos sobre o desenvolvimento de carreiras na graduação. 2007. 242p. Tese (Doutorado em Psicologia) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Rio Grande do Sul, Porto Alegre-RS..

BERNARDO, M.V.C. et al. O Ensino noturno na UNESP. São Paulo: UNESP/Pró-Reitoria de Graduação,1996.

BRASIL / MEC / SESU. Secretaria de Educação Superior / Ministério da Educação. Comissão Especial de Estudos sobre a Evasão nas Universidades Públicas Brasileiras. Brasília, 1996/1997 Disponível em: http://www.andifes.org.br/wp-content/files_flutter/Diplomacao_Retencao_Evasao_Graduacao_em_IES_Publicas-1996.pdf. Acesso em: 25 out. 2016.

BRASIL. RESOLUÇÃO CNE/CP Nº 2, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2017. Institui e orienta a implantação da Base Nacional Comum Curricular, a ser respeitada obrigatoriamente ao longo das etapas e respectivas modalidades no âmbito da Educação Básica. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/historico/RESOLUCAOCNE_CP222DEDEZEMBRODE2017.pdf. Acesso em: 25 set. 2018.

BRASIL. LEI Nº 13.415, DE 16 DE FEVEREIRO DE 2017. Altera as Leis n º 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e 11.494, de 20 de junho 2007, que regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, a Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e o Decreto-Lei nº 236, de 28 de fevereiro de 1967; revoga a Lei nº 11.161, de 5 de agosto de 2005; e institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2017/Lei/L13415.htm. Acesso em: 25 set. 2019.

CASTRO, L. P. V. Evasão Escolar no Ensino Superior: Um estudo nos Cursos de Licenciatura da Universidade Estadual do Oeste do Paraná – UNIOESTE – Campus Cascavel. 2013. 168p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), Cascavel-PR.

ESTEVE, J. M. O mal estar docente: a-sala-de-aula e a saúde dos professores. Tradução Durley de Carvalho Cavicchia. Bauru, SP: EDUSC, 1999.

FERRETI, C. J.; SILVA, M. R. Reforma do ensino médio no contexto da medida provisória n° 746/2016: Estado, currículo e disputas por hegemonia. Revista Educação. Sociedade, Campinas, v. 38, n. 139, p. 385-404, abr./jun. 2017.

FRIGOTTO, G. A gênese das teses do Escola sem Partido: esfinge e ovo da serpente que ameaçam a sociedade e a educação. In: FRIGOTTO, G. (Org.). Escola “sem” partido: esfinge que ameaça a educação e a sociedade brasileira. Rio de Janeiro: UERJ, 2017. p. 17-34.

GAIOSO, N. P. L. O fenômeno da evasão escolar na educação superior no Brasil. 2005. 75 p. Dissertação (Mestrado em Educação) Universidade Católica de Brasília (UCB), Brasília-DF.

GADOTTI, M. Concepção dialética da educação e educação Brasileira contemporânea. In: Educação e Sociedade. CEDES, nº 8. São Paulo: Cortez, 1981.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2008.

HERMIDA J. F.; LIRA. J. S. Imagens e Palavras. Políticas Educacionais em Tempos De Golpe: Entrevista com Dermeval Saviani. Revista Educação e. Sociedade. vol.39 n.144, Campinas jul./set. 2018. Disponível em: https://www.cedes.unicamp.br/publicacoes/edicao/824. Acesso em: 25 out.2019.

HICKMANN, J. Opção pela licenciatura no curso de Ciências Biológicas: fatores envolvidos na escolha. 2007. 98p. Monografia (Conclusão de Curso) Curso de Ciências Biológicas. Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), Cascavel-PR.

INEP. Resumo Técnico: Censo da Educação Superior – 2013. Ministério da Educação, Brasília, DF, 2014. Disponível em: . Acesso em: 20 mar. 2016.

LOBO, M. B. C. M. Panorama da evasão no ensino superior brasileiro: aspectos gerais das causas e soluções. ABMES Cadernos, v.1, n. 25, 2012.

MEC/ANDIFES/ABRUEM/SESU. Diplomação, retenção e evasão nos cursos de graduação em instituições de ensino superior públicas. Avaliação, Campinas, v.1, n. 2, p. 55-65, jul. 1996.

MARTINS. M. C. Base Curricular é conservadora, privatizante e ameaça autonomia, avaliam especialistas. Jornal da UNICAMP. Caminas, Dez. 2017. [Entrevista concedida a Manuel Alves Filho]. Disponível em: https://www.unicamp.br/unicamp/index.php/ju/noticias/2017/12/04/base-curricular-e-conservadora-privatizante-e-ameaca-autonomia-avaliam. Acesso em: 22 out. 2019.

MINAYO, M. C. de S. (org.). Pesquisa Social. Teoria, método e criatividade. 18 ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

NOTA PÚBLICA DA ANPED SOBRE A MEDIDA PROVISÓRIA DO ENSINO MÉDIO. Set. 2016. Disponível em: http://www.anped.org.br/news/nota-publica-da-anped-sobre-medida-provisoria-do-ensino-medio. Acesso em: 25 set. 2019.

PERONI, V.; CAETANO, M. R.; LIMA, P. Reformas educacionais de hoje: as implicações para a democracia. Revista Retratos da Escola, Brasília, DF, v. 11, n. 21, p. 415-432, jul./dez. 2017.

POLYDORO, S. A. O trancamento de matrícula na trajetória acadêmica do universitário: condições de saída e de retorno à instituição. 2000. 145p. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas-SP.

PONTUSCHKA, N.N. Políticas públicas na trajetória do ensino e da formação dos professores: a construção de conhecimentos. In: ALBUQUERQUE, Maria A. M. & FERREIRA, Joseane A. S. (Orgs.). Formação, pesquisas e práticas docentes: reformas curriculares em questão. João Pessoa: Mídia, 2013. p. 433-453.

SANTIAGO, A.R.F; CALLAI, H.C. O protagonismo social e a força do lugar nas políticas públicas de educação. In: SANTIAGO, Anna Rosa Fontella; CALLAI, Helena Copetti (Org.). Educação no contexto da globalização: reflexões a partir de diferentes olhares. Ijuí: Ed. Unijuí, 2014.

RIBEIRO, M. A. O projeto profissional familiar como determinante da evasão universitária: um estudo preliminar. Revista Brasileira de Orientação Profissional, 6(2), p. 55-70.

SILVA FILHO, R. L. L. et al. A Evasão no Ensino Superior Brasileiro. Cadernos de Pesquisa, São Paulo. v. 37 n. 132, p. 641-59, set./dez. 2007.

TERRIBILI FILHO, A. Educação superior no período noturno: impacto do entorno educacional no cotidiano do estudante. 2007. 186p. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Filosofia e Ciências (UNESP), Marília-SP. Disponível em: http://200.145.6.238/handle/11449/104842. Acesso em: 10 jan. 2016.

UNIOESTE. Resolução 069/2004. Aprova alteração da Seção I, do Capítulo I - Título VI, e do Capítulo I, do Título VIII, da Resolução nº 028/2003 (Regimento Geral da UNIOESTE). Conselho Universitário, Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, 2003. Disponível em: http://www.unioeste.br/servicos/arqvirtual. Acesso em: 13 fev. 2015.

VELOSO, T. C. M. A. A evasão nos Cursos de Graduação da Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Universitário de Cuiabá 1985/2 a 1995/2 – um processo de Exclusão. Cuiabá, 2000, 123 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT), Cuiabá-MT.

WILHELM, M. F. A Evasão dos Cursos de Licenciatura em Geografia da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE). 2019. 185 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), Francisco Beltrão-PR.

WOITOWICZ, E. A formação inicial de professores de Geografia no PIBID / UNIOESTE – Campus de Marechal Cândido Rondon-PR (2011-2015). 2016. 144 p. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), Francisco Beltrão-PR.

Downloads

Publicado

2019-12-31

Como Citar

Wilhelm, M. F., & Szumilo Schlosser, M. T. (2019). Evasão no curso de licenciatura em geografia da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE): indagações e complexidades. Geografia Ensino & Pesquisa, 23, e41. https://doi.org/10.5902/2236499437672

Edição

Seção

Produção do Espaço e Dinâmica Regional