A agroindústria familiar como estratégia de reprodução socioeconômica e de emancipação feminina em Linhares, Espírito Santo

Alessandra Maria da Silva, Erika Vanessa Moreira Santos, Niraldo José Ponciano

Resumo


Este trabalho teve por objetivo entender a importância da agroindústria artesanal de derivados do leite, como estratégia de reprodução socioeconômica e de emancipação das mulheres na agricultura familiar do município de Linhares, Espírito Santo. A pesquisa qualitativa foi realizada entre os meses de fevereiro a maio de 2016, no município de Linhares-ES, envolvendo dez famílias participantes de projetos da Extensão Rural oficial daquele município. Foram aplicadas entrevistas semiestruturadas com as dez mulheres produtoras de queijo integrantes das famílias que compuseram as unidades de análise. Os resultados foram transcritos, sistematizados e submetidos à análise de conteúdo. A pluriatividade para-agrícola, por meio da agroindustrialização da produção de leite, se mostrou como uma estratégia de reprodução socioeconômica das famílias diante de crises financeiras e contribuiu para elevar a autonomia e a autoestima das mulheres entrevistadas. No entanto, a autonomia financeira e decisória feminina se mostrou limitada pela dominação masculina no meio rural.


Palavras-chave


agricultura familiar, autonomia financeira feminina, pluriatividade, produção artesanal de queijos

Texto completo:

PDF

Referências


BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70. 1977. 225p.

BONI, V. Produtivo ou reprodutivo: o trabalho das mulheres nas agroindústrias familiares - um estudo na região oeste de Santa Catarina. 2005. 99f. Dissertação (Mestrado em Sociologia Política) – Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política, Universidade Federal de Santa Catarina.

BRUMER, A. Gênero e agricultura: a situação da mulher na agricultura do Rio Grande do Sul. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 12, n. 1, p. 205-227, 2004.

CARNEIRO, M. J. Do “rural” como categoria de pensamento analítico e como categoria analítica. In: CARNEIRO, M. J. (org.). Ruralidades Contemporâneas: modos de viver e pensar o rural na sociedade brasileira. Rio de Janeiro: Mauad X/Faperj, 2012.

CONTERATO, M. A. Dinâmicas regionais do desenvolvimento rural e estilos de agricultura familiar: uma análise a partir do Rio Grande do Sul. 2008. 290f. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Rural) – Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

FIGUEIREDO, M. A. B. Una estrategia de desarrollo local desde las experiencias agroecológicas de la región cañera pernambucana - Brasil. 2010. 273 f. Tesis (Doctorado en Agroecología) – Programa de Doctorado en Agroecología, Universidad de Córdoba.

LOPES, M. A. et al. Análise de rentabilidade de uma empresa com opção de comercialização de queijo ou leite. Arquivos Brasileiros de Medicina Veterinária e Zootecnia, v. 58, n. 4, p. 642-647, 2006.

MARTINE, G. A trajetória da modernização agrícola: a quem beneficia? Lua Nova, n. 23. p. 7-37, 1991.

MIOR, L. C. Agricultura familiar, agroindústria e desenvolvimento territorial. 2011. Disponível em: http://nmd.ufsc.br/files/2011/05/Mior_Agricultura-familiar_agroindustria_e_desenvolvimento_territorial.pdf. Acessado em: 04 jun. 2016.

PACHECO, M. E. L. Os caminhos das mudanças na construção da Agroecologia pelas mulheres. Agriculturas: Experiência em Agroecologia, Rio de Janeiro, v. 6, n. 4, p. 4-8, 2009.

REDIN, E. Estratégias de reprodução na agricultura familiar – um campo em permanente construção. ACTA Geográfica, Boa Vista, v. 6, n. 13, p. 155-173, 2012.

SANTOS, N. A. A divisão sexual do trabalho na agricultura familiar: entre a invisibilidade e a desvalorização do trabalho (re)produtivo de mulheres trabalhadoras rurais do município de Brejo/MA frente à expansão da monocultura de soja. Revista de Políticas Públicas, São Luís, Número Especial, p. 331-337, 2016.

SCHNEIDER, S. A pluriatividade no meio rural brasileiro: características e perspectivas para investigação. 2007. Disponível em: http://portal.mda.gov.br/dotlrn/clubs/redestematicasdeater/diversificaonaagriculturafamiliarfumicultura/contents/photoflow-view/content-view?object_id=884960. Acessado em 04 jun. 2016.

______. A pluriatividade na agricultura familiar, 2.ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2010.

SCOTT, P.; RODRIGUES, A. C.; SARAIVA, J. C. Onde mal se ouvem os gritos de socorro: notas sobre a violência contra a mulher em contextos rurais. In: SCOTT, P.; CORDEIRO, R.; MENEZES, M. (Orgs). Gênero e geração em contextos rurais. Ilha de Santa Catarina: Ed. Mulheres, 2010.

SILIPRANDI, E. Mulheres e agroecologia: a construção de novos sujeitos políticos na agricultura. 2009. 291 f. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Sustentável) – Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável, Universidade de Brasília.

______. Mulheres e agroecologia: transformando o campo, as florestas e as pessoas. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2015.

SILVA, J. M.; MENDES, E. P. P. Agricultores familiares e reprodução social: as comunidades Cruzeiros dos Martírios e Paulistas no município de Catalão (GO). In: NEVES, A.F. et al. (orgs.). Coletânea Interdisciplinar em Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação. v 1. [livro eletrônico]. São Paulo: Blucher, 2015.

SOUZA, R. E. M.; SILVA, M. G. S. N. Mulher: A quebra do paradigma da função reprodutiva. Revista Geografares, n.10, p.203-224, 2012.

SULZBACHER, A. W.; NEUMANN, P. S. O social e suas dimensões em agroindústrias familiares rurais. Extensão Rural, Santa Maria, v.21, n.3, p. 93-120, 2014.

VINHA, M. B. et al. Fatores socioeconômicos da produção de queijo minas frescal em agroindústrias familiares de Viçosa, MG. Ciência Rural, v. 40, n. 9, p. 2023-2029, 2010.

WESZ JUNIOR, V. J.; TRENTIN, I. C. L.; FILIPPI, E. E. A importância da agroindustrialização nas estratégias de reprodução das famílias rurais. In: Congresso da Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural, 44., 2006, Fortaleza, CE. Anais... Fortaleza: SOBER/BNB, 2006.

ZORZI, A. Uma análise crítica da noção de empoderamento com base no acesso das agricultoras ao Pronaf Mulher em Ijuí-RS. 2008. 137 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Programa de Pós-Graduação em Sociologia. Universidade Federal do Rio Grande do Sul.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2318179629950

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores - Indexers

INTERNACIONAL: 1- AGRIS 2- Latindex-Directorio 3- Diretório Luso-Brasileiro 4- REDIB 5- Journals for Free 6- EZB Nutzeranfragen 7- OAJI 8 - ROAD

NACIONAL: 9- AGROBASE 10- Portal livRe! 11- Sumários.org 12- Diadorim 13- Portal SEER 14- Portal de Periódicos CAPES 15- Rede Cariniana 16- Google Scholar 17 - Sabiia

Visite nosso perfil no Facebook

Visite nossa página no Facebook

 

Revista Extensão Rural

ISSN impresso: 1415-7802

ISSN on-line: 2318-1796

Digital Object Identifier (DOI): 10.5902/23181796

 

Licença Creative Commons
Revista Extensão Rural está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.


Baseado no trabalho disponível em https://periodicos.ufsm.br/extensaorural.


Acessos a partir de 20/10/2014