Resgate e conservação da agrobiodiversidade crioula em Ibarama-RS: estratégias de manutenção

Marielen Priscila Kaufmann, Lia Rejane Silveira Reiniger, José Geraldo Wizniewsky, Marlove Fátima Brião Muniz

Resumo


A experiência centenária de manutenção e conservação das sementes crioulas em Ibarama-RS foi sendo resgatada e valorada, a partir da década de 1990, por iniciativa da Emater/RS-Ascar e apoio de outras instituições, como o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Ibarama e ONGs. Ao longo destes anos, outras instituições, como a Embrapa e a UFSM, contribuíram para a pesquisa e valorização da experiência. O objetivo deste trabalho é caracterizar as estratégias de manutenção da conservação da agrobiodiversidade crioula em Ibarama e relatar os condicionantes favoráveis e limitantes para o pleno desenvolvimento desta atividade. Destaca-se, portanto, a presença da Assistência Técnica, e as parcerias que foram importantes para a atividade, no sentido de estimular a produção científica relacionada à agrobiodiversidade crioula, a divulgação da experiência e o incentivo para o resgate de novas espécies e cultivares crioulas, além da ampliação do número de guardiões. A organização da produção de sementes em maior escala e produzidas com base em princípios ecológicos são as intenções futuras deste grupo que congrega esforços para a atuação na Associação dos Guardiões das Sementes Crioulas, entidade que congrega os principais atores desta experiência.


Palavras-chave


agricultura familiar, conservação on farm, sementes crioulas.

Texto completo:

PDF

Referências


ANJOS, F. S.; CALDAS, N. V. Pluriatividade e ruralidade: falsas premissas e falsos dilemas, In: CAMPANHOLA, C.; GRAZIANO DA SILVA, J. (eds) O novo rural brasileiro: novas ruralidades e urbanização, v. 7. Brasília: Embrapa, 2004, p. 71-105.

BARCHET, S. F. et. al. Câmbio de sementes e seus guardiões: experiências de conservação em dois municípios do Rio Grande do Sul. Agriculturas: experiências em agroecologia. Rio de Janeiro, v. 4, n. 3, out. 2007.

BEZERRA, A. C. A. Festa e cidade: entrelaçamentos e proximidades. Espaço e Cultura. Rio de Janeiro, n. 23, jan./jun. 2008, p. 7-18.

BRASIL. Instrução normativa nº 46 de 06 de outubro de 2011. Disponível em < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.711.htm> Acesso em: 14 maio 2013.

CAPORAL, F. R.; COSTABEBER, J. A. Por uma nova extensão rural: fugindo da obsolência. Extensão Rural, Santa Maria, n. 2, jan./dez. 1994, p. 7-32. Disponível em: . Acesso em: 26 out. 2016.

CAPORAL, F. R. La extensión agraria del sector público ante los desafíos del desarrollo sostenible: el caso de Rio Grande do Sul, Brasil. Córdoba, 1998. 517p. (Tese de Doutorado) Programa de Doctorado en Agroecología, Campesinado e Historia, ISEC-ETSIAN, Universidad de Córdoba, España, 1998.

CAPORAL, F. R; COSTABEBER, J. A. Agroecologia e extensão rural: contribuições para a promoção do desenvolvimento rural sustentável, 3 ed. Brasília: MDA/SAF/DATER, 2007.

CLEMENT, C.; ROCHA, S.F.R.; COLE, D.M.; VIVAN J.L. Conservação on farm. In: Nass, L. L. (Ed.) Recursos Genéticos Vegetais. Brasília: Embrapa, 2008. p. 511-543.

DOMINGUEZ, C. et al. Sistema informal de sementes: causas, conseqüências e alternativas.Pelotas: UFPel, 2000.

FERMENT, G. et al. Coexistência o caso do milho. Proposta de revisão da Resolução Normativa, n. 4. Brasilia: MDA, 2009.

FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION OF THE UNITED NATIONS (FAO). Report of the World Food Summit; 1996 Nov 13-17. Rome: FAO; 1997. p.123.

GLIESSMAN, S. R. Agroecologia: processos ecológicos em agricultura sustentável. Porto Alegre: Ed. da Universidade UFRGS, 2000.

HECHT, S. La evolución del pensamiento agroecológico. In: ALTIERI, M. A. Agroecologia: a dinâmica produtiva da agricultura sustentável. 3. ed. Porto Alegre: Ed. da Universidade UFRGS, 2001.p. 15-30, 1999.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Estimativa 2011. Disponível em: http://www.cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?lang=&codmun=430975&search=rio-grande-do-sul|ibarama. Acesso em: 23 abr. 2014.

LEFF, E. et al. Más allá del desarollo sostenible: la construcción de una racionalidad ambiental para sustentabilidad – una visión desde América Latina. In: LEFF, E.; EZCURRA, E.; PISANTY, I.; LANKAO, P. R. (Coord.) La transición hacia el desarrollo sustentable: perspectivas de América Latina y el Caribe. México: [s.n.], 2002. p.479-578.

LONG, N. Sociologia del desarollo: una perspectiva centrada en el actor. San Luis de Potosí / México: El Colegio de San Luís / CIESAS, 2007.

REINIGER, L. et al. Ações de extensão, ensino e pesquisa relacionadas às cultivares de milho crioulo realizadas pela Associação dos Guardiões de Sementes Crioulas de Ibarama-RS, EMATER e UFSM. Cadernos de Agroecologia, v. 6, n. 2, dez. 2012.

RIECHMANN, J. Qué son los transgénicos. Bioingeniería y manipulación de los alimentos. Barcelona: Integral. 2011.

SABOURIN, E. Camponeses do Brasil: entre a troca mercantil e a reciprocidade. Rio de Janeiro: Garamond, 2009.

SANTILLI, J. Agrobiodiversidade e direitos dos agricultores. São Paulo: Peirópolis, 2009.

UNITED NATIONS.Special Rapporteur on the Right to Food.Report of the Special Rapporteur on the right to food, Olivier De Schutter, 2009. UN Doc. A/HRC/12/31, 21 July 2009, 12th Session.

YIN, R. K. Estudo de caso. Planejamento e métodos. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.




DOI: https://doi.org/10.5902/2318179621184

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

Licença Creative Commons
Extensão Rural está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

...................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

*** DESDE 2014 O PERIÓDICO É PUBLICADO TRIMESTRALMENTE***

.....................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

Geral: 10.5902/23181796 (os especificos estão nos RESUMOS - clique sobre o titulo do trabalho, no sumário) 


Periódico Extensão Rural

ISSN impresso: 1415-7802

ISSN on-line: 2318-1796

.........................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

INDEXADORES -  INDEXERS

INTERNACIONAL: 1- AGRIS 2- Latindex-Directorio 3- Diretório Luso-Brasileiro 4- REDIB 5- Journals for Free 6- EZB Nutzeranfragen 7- OAJI 8 - ROAD - 9- MIAR 

NACIONAL: 10- AGROBASE 11- Portal livRe! 12- Sumários.org 13- Diadorim 14- Portal SEER 15- Portal de Periódicos CAPES 16- Rede Cariniana 17- Google Scholar 18- Sabiia

 ...................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

CONTATO:
E-mail: atendimento.extensao.rural@gmail.com- Campus Universitário - Departamento de Educação Agrícola e Extensão Rural/Centro de Ciências Rurais/Universidade Federal de Santa Maria - Prédio 44 (CCR II) - 1º Piso - CEP: 97105-900 - Santa Maria - RS - BRASIL. 

 

"Os trabalho publicados na revista Extensão Rural são de responsabilidade dos seus autores e não representam necessariamente a opinião dos editores. Reprodução dos trabalhos é permitida, desde que a fonte seja citada."

.........................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

Visite nosso perfil no Facebook

Visite nossa página no Facebook


Baseado no trabalho disponível em https://periodicos.ufsm.br/extensaorural.